Fibras alimentares e seus benefícios para a saúde

Em outros posts, já falamos sobre as virtudes das favas como fontes de antioxidantes, mas é necessário lembrar que elas estão entre os alimentos mais ricos em fibras, já que apresentam tanto as insolúveis, que ajudam o sistema gastrointestinal a eliminar dejetos mais rapidamente, quanto as solúveis, que formam um gel no intestino, auxiliando na redução do nível do LDL, o colesterol ruim, retirando-o do corpo.

Pesquisas mostram que 175 g de favas ao dia conseguem baixar o colesterol em até 10% em apenas seis semanas. Além disso, têm um nível baixo do índice glicêmico, uma medida do impacto dos alimentos no nível de açúcar no sangue.

Todos os pães da Pinheirense são integrais, artesanais e isentos de conservantes

Mas favas não são o tipo de alimento que ingerimos várias vezes por dia. É mais provável que você adquira a maior parte das fibras de pães, cereais e massas. Pães integrais e cereais consumidos no café da manhã constituem mais de 75% de todas as porções de alimentos integrais ingeridas. Entretanto, a maioria das pessoas não ingere a quantidade suficiente desses produtos.

Então, como trocar o pão por um mais saudável? Dê preferência aos integrais, sem conservantes e outros aditivos químicos. Sua saúde agradece!

A alimentação mais saudável

Por muito tempo, se alimentar como um grego foi louvado como o nirvana alimentar: onde mais seria possível ingerir nozes e castanhas à vontade e se deliciar com pão encharcado de azeite?

Na última década, médicos e nutricionistas começaram a promover o estilo vegano, que exclui produtos de origem animal, e a paleodieta, em que se come somente o que se pode caçar ou colher, como um homem das cavernas, e essa alimentação foi deixada de lado.

Contudo, a dieta mediterrânea está de volta; dois estudos relevantes e recentes ratificaram seus benefícios à saúde:

- Cérebro mais poderoso: pessoas saudáveis que seguiram essa alimentação tiveram uma probabilidade 19% menor de sofrer problemas da memória, de acordo com um estudo do campus de Birmingham da Universidade do Alabama com mais de 17 mil participantes.

-Coração mais saudável: aqueles que se alimentaram no estilo mediterrâneo tiveram probabilidade 30% menor de morrer de doença cardiovascular ou sofrer um AVC, de acordo com um estudo espanhol em que mais de 7 mil voluntários foram acompanhados durante 8 anos, recentemente publicado na revista New England Journal of Medicine.