Verão: quando a saúde do coração requer mais cuidados

Nos dias mais quentes do ano, muitas pessoas abusam de atividades físicas e cometem excessos na alimentação. Saiba que, no verão, os cuidados com a saúde do coração devem ser redobrados.

Não adianta passar a maior parte do ano sem praticar alguma atividade física e, de repente, correr para a academia, achando que irá transformar o seu corpo em apenas algumas semanas. Além disso, há aqueles que, sem recomendação de um nutricionista, começam a fazer uso indiscriminado de suplemento alimentares.

Cautela é a palavra de ordem, principalmente, para aqueles indivíduos que fazem parte do grupo de risco e, portanto, não podem fazer exercícios físicos sem uma avaliação médica prévia, tampouco abusar da alimentação. Os frutos do mar, por exemplo, têm alto teor de colesterol, principal fator desencadeante da aterosclerose.

Sendo assim, dê preferência à alimentos mais leves e bem cozidos. Muito cuidado ao pedir salada crua e peixe cru. Os raios solares e as temperaturas altas podem favorecer a oxidação da pele em contato com o alimento. Já o calor intensifica o risco de  proliferação de fungos e bactérias nos alimentos, principalmente, em carnes e cereais.

Pastas e molhos com maionese caseira, ou seja, preparada com ovo cru, devem ser evitados. Estes alimentos aumentam o risco de intoxicação por salmonela, uma bactéria perigosa, transmitida via alimentos contaminados. Caso já exista alguma contaminação, o calor irá aumentar o potencial de intoxicação por salmonela.

O limão e outras frutas cítricas são outros alimentos perigosos de serem ingeridos no verão.  Em contato com a epiderme exposta ao sol, esses alimentos mancham a pele. A causa é a furocumarina, substância presente no limão que tem a capacidade de captar a luz, causando manchas na pele que demoram até dois meses para saírem.

Beba muita água! Atenção redobrada a cardiopatas que fazem uso de medicamentos. No verão, o calor extremo e a umidade aumentam a perda de água e sais minerais através da transpiração e da respiração. Por isso, para evitar a desidratação, a melhor saída é ingerir bastante líquido nesta época do ano, principalmente pacientes de maior faixa etária e que fazem uso de diuréticos.

Ar-condicionado e ventilador fazem mal à saúde?

Você já deve ter se perguntado se aparelhos como o ventilador e o ar condicionado podem fazer mal a saúde. Nos dias mais quentes, fica difícil dispensá-los, ainda mais em cidades que apresentam a temperatura muito alta, na maior parte do ano, como no Rio de Janeiro, por exemplo. 

O princípio do ventilador é colocar o ar em movimento, criando uma corrente que refresca o ambiente. Mas imagine o que acontece quando se liga o aparelho em uma sala cheia de poeira, com mofos nas paredes e sem incidência de sol. Todas as partículas alergênicas da sujeira, fungos e bactérias ficam circulando no ambiente, o que pode ser seriamente prejudicial às pessoas alérgicas.

Sendo assim, o ideal é manter tanto o ambiente quanto o aparelho limpos, e jamais direcionar o vento para o seu corpo durante a noite.

A principal vantagem do ar condicionado é controlar a temperatura do ambiente, enquanto que, o principal problema é o ressecamento do ar, que piora consideravelmente a situação de pessoas alérgicas, com rinite ou asma.

Quando o tempo estiver seco, vale usar de artifícios enquanto o aparelho estiver ligado: umidificador, bacia d’água ou uma toalha molhada já melhoram a qualidade do ar em casa. Outro cuidado a ser tomado diz respeito à temperatura. A recomendação é ajustá-la entre os 23°C e os 27°C, no máximo. É bom lembrar que, para crianças alérgicas, inalar o ar frio é tão prejudicial quanto a falta de umidade e pode desencadear crises respiratórias. Cuidando da temperatura, também não há risco de choque térmico.

E acredite: se as condições de umidade estiverem boas e o ar condicionado for devidamente higienizado e tiver um bom filtro, o aparelho pode até contribuir para a diminuição das alergias, filtrando até 80% das partículas com bactérias e fungos.

Pão tipo Sueco: alimento versátil e nutritivo

Além de saboroso, o pão tipo sueco da Pinheirense é um alimento nutritivo e versátil. Feita artesanalmente, toda a linha de produtos contém combinações variadas de sementes, e não apresenta conservantes e outros produtos químicos.

Versátil, esse tipo de pão cai super bem em diferentes ocasiões, e pode ser servido com diversos tipos de alimentos e refeições. Em reuniões de trabalho e, ou entre amigos, assim como numa vernissage, por exemplo, é uma opção prática, nutritiva e saborosa. Confira algumas receitas:

“Damas de Coração”:

Foto: Alessandra Pimentel

Rende 20 porções

Ingredientes: Pão tipo Sueco Pinheirense, 125ml de creme de leite, 2 colheres de sopa de açúcar, 10 morangos cortados ao meio, 2 colheres de sopa de açúcar de confeiteiro.

Preparo:

Bata o creme de leite, juntamente com o açúcar, até que se obtenha a consistência de chantily; com o saco de confeiteiro e o bico de sua preferência, adicione uma camada de chantily ao pão tipo sueco e, em seguida, acrescente o morango; decore com o açúcar de confeiteiro, usando uma peneira de aro fino.

Pesto de salsa com queijo de cabra:

Foto: Alessandra Pimentel

Rende 40 porções

Ingredientes: Pão tipo Sueco Pinheirense, 15g de salsa; 2 colheres de sopa de pinholes; 4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado; 1 dente de alho picado; 1 colher de sopa de azeite; sal e pimenta-do-reino; 100g de queijo cremoso de cabra; 20 folhas de salsa para decorar.

Preparo:

Coloque a salsa, os pinholes, o queijo parmesão, alho e azeite em um processador de comida ou em um liquidificador, até que a mistura se transforme em um purê. Adicione sal e pimenta a gosto. Use uma colher para adicionar uma camada de queijo de cabra ao pão sueco. Decore com as folhas de salsa.

Pegue sol em pequenas doses

Especialistas acreditam que a maioria dos cânceres de pele é causada por excessiva exposição solar antes dos 18 anos. Cerca de 80% dos sinais de envelhecimento da pele estão relacionados à exposição ao sol ao longo da vida. Então, quanto mais exposição ao sol você teve, maior a chance de rugas, manchas, sardas e alteração da cor da pele depois dos 50 anos.

Limite os banhos de sol intencionais, especialmente no meio do dia. Use chapéu para proteger o rosto, o pescoço e as orelhas e protetor para os lábios. Use óculos escuros quando estiver ao ar livre sob sol forte entre 10h e 16h, e escolha óculos que protejam contra 99% de raios UVA e UVB, os dois tipos de radiação ultravioleta na luz solar que podem provocar os maiores danos.

SE tiver de se expor ao sol, escolha um protetor solar de “largo espectro”, efetivo contra UVA e UVB, e com FPS 15 ou maior. Aplique 30 minutos antes da exposição e aumente aos poucos sua exposição ao sol. Um protetor solar “à prova d’água” fornece proteção por duas vezes mais tempo do que um “resistente à água”. O mais importante: não exagere no tempo de exposição ao sol.

Sorvete: excelente fonte de cálcio

Excelente fonte de cálcio, o sorvete apresenta uma quantidade considerável de proteína, assim como de vitamina A e riboflavina. Uma ótima escolha para fechar a refeição com uma sobremesa gelada são os sorvetes de fruta, que têm baixo teor de gordura.

Os frozen yogurts com pouca gordura também são bons substitutos para o sorvete; meia xícara com cobertura de frutas frescas e de germe de trigo torrado pode satisfazer o desejo de quem quer uma sobremesa gelada, e ainda funciona como um bom suplemento de cálcio, de vitaminas e de fibras.

Nada melhor nesses dias quentes, típicos do verão! Sirva seu sorvete predileto com o Pão tipo Sueco Pinheirense, que além de saboroso, é integral, livre de conservantes e produzido artesanalmente.