Óleo de coco fortalece o sistema imunológico

Considerado um superalimento, o óleo de coco (extra-virgem) é uma gordura do bem, que, por apresentar a combinação do ácido láurico e do ácido cáprico, fortalece o sistema imunológico, combatendo bactérias, vírus e fungos. Você pode consumir, diariamente, de duas a três colheres de sopa do óleo. Confira os demais benefícios desse alimento:

Aumenta o colesterol bom

O óleo de coco é eficaz para aumentar os níveis de colesterol HDL, que é conhecido como o colesterol “bom”. Pesquisas feitas com mulheres com obesidade abdominal mostraram que a HDL aumentou para aquelas que consumiram o óleo de coco. Em contraste, as mulheres que consomem óleo de soja apresentaram uma diminuição no colesterol HDL.

Diminui a sensação de fome:

O óleo de coco pode ser um alimento funcional para alguns praticantes de musculação: em primeiro lugar, pelos fatores termogênicos apresentados do alimento. Elevando a temperatura corpórea, consegue-se, portanto, acelerar o metabolismo. Além disso, para indivíduos com dietas restritas em carboidratos, ele pode ser uma boa opção para o pré-treino, pois servirá rapidamente de energia ao corpo.

Faz bem para a pele:

Manter a pele hidratada faz parte de um dos benefícios do óleo de coco. Muitas mulheres já descobriram que ele é um hidratante maravilhoso para as pernas, braços e cotovelos. Você pode usá-lo em seu rosto também; embora isso não seja recomendado para pessoas com pele muito oleosa.

Ele também pode ajudar a reparar calcanhares rachados. Basta aplicar uma camada fina nos calcanhares na hora de dormir e calçar meias.

Combate infecções

O óleo de coco virgem tem fortes propriedades antibacterianas, que podem ajudar a combater infecções. Isso porque auxilia no retardo do crescimento da bactéria intestinal Clostridium difficile, que é a responsável por causar diarreia grave. Suas propriedades também são ótimas para combater várias outras bactérias e leveduras.

Cicatrização de feridas

Estudos feitos em ratos, cujas feridas foram tratadas com óleo de coco, mostraram uma redução dos marcadores inflamatórios, e o aumento da produção de colágeno, um componente importante da pele. Como resultado, as feridas foram curadas muito mais rápido.

Para acelerar a cicatrização de pequenos cortes ou arranhões, aplique um pouco de óleo de coco diretamente na ferida e cubra com uma bandagem.

Combate a candidíase

A Cândida albicans é um fungo responsável por infecções, que normalmente ocorrem em áreas quentes e úmidas do corpo, como a boca ou a vagina. O óleo de coco é um aliado ao combate da candidíase.

Melhora a saúde do fígado

A gordura saturada do óleo de coco protege o fígado de danos causados pelo álcool ou por toxinas. Em uma pesquisa, foi observada a diminuição nos marcadores inflamatórios do fígado e um aumento da atividade das enzimas hepáticas benéficas. Por isso, tenha sempre ele por perto. 

Melhora a função cerebral

Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) se transformam em cetonas, que podem atuar como uma fonte alternativa de energia para o seu cérebro. Vários estudos têm encontrado benefícios impressionantes desse óleo para distúrbios cerebrais, incluindo epilepsia e doença de Alzheimer.

Protege o cabelo

Um estudo comparou os efeitos do óleo de coco, óleo mineral e óleo de girassol no cabelo. O óleo de coco pode ajudar a reduzir a perda de proteína do cabelo, quando aplicado antes ou após a lavagem. Este resultado ocorreu com os cabelos danificados e também saudáveis. Isso porque o ácido láurico, o ácido gordo principal do óleo de coco, consegue penetrar a haste do cabelo de modo que a maioria das outras gorduras não consegue.

Como consumir o óleo de coco

O óleo de coco pode acompanhar tanto pratos doces quanto salgados e, o melhor, pode ser aquecido, afinal, estamos falando de lipídios já saturados. 

É possível preparar omeletes, shakes, sucos, bolos, tortas, entre outros pratos, usando o óleo de coco. Também cai super bem com frutas, iogurte e mingau de aveia.

Mil e um motivos para consumir kefir

O kefir ou quefir é uma colônia de microrganismos simbióticos imersa numa matriz composta de polissacarídeos e proteínas, ou seja, uma colônia de lactobacilos e fungos que podem ser encontrados na natureza.

Trata-se de um alimento muito nutritivo e com grandes propriedades e benefícios para a saúde. A sua dupla fermentação – láctica e alcoólica- confere-lhe as características organolépticas que o distinguem do iogurte. A sua textura é espessa e o seu sabor ligeiramente ácido.

Inúmeros benefícios: 

É um alimento facilmente digerível e uma rica fonte de proteínas e cálcio, que pode ser incluído na dieta diária de qualquer pessoa. Em linhas gerais, promove uma purificação orgânica que auxilia a saúde e, consequentemente, a longevidade.

Kefir também é rico em vitamina B12, B1 e vitamina K. É uma fonte excelente de biotina, a vitamina B que aumenta a assimilação das outras vitaminas do complexo B. Seus grãos têm propriedades antitumorais, antibacterianas e antifúngicas e seu consumo diário produz bons efeitos em convalescença após doenças graves.

A bebida é preparada com a colocação dos grãos de quefir no leite. Após a fermentação, os grãos são retirados podendo ser reaproveitados para a produção de mais fermentados. O leite fermentado tem sabor ácido suave, é espumoso e de baixo teor alcoólico. Para quem gosta do sabor um tanto ácido, embora levemente adocicado, o kefir pode ser bebido simples, ao natural.

Quem não aprecia a acidez pode juntar um pouco de mel. É também muito saboroso misturado com sumos de fruta ou em batidos de frutas.

Como fazer o Kefir em casa:

Você pode comprar grãos de kefir em lojas de alimentos saudáveis e supermercados. Coloque 1-2 colheres de sopa de grãos de kefir em um pequeno frasco.

Em seguida, adicione cerca de 2 xícaras de leite, de preferência orgânico. O leite de vaca é mais saudável. Deixar uma polegada de espaço na parte superior do frasco. Pode adicionar um pouco de creme gordo se quiser que o kefir seja mais espesso. Coloque a tampa e deixe por 12-36 horas, à temperatura ambiente.

Então, suavemente, retire os grãos do líquido e coloque-os em um novo frasco com um pouco de leite, para que você possa usar novamente. Delicioso, nutritivo e altamente sustentável!

1- Problemas estomacais: O kefir ajuda a reduzir a acidez estomacal em excesso, sendo, portanto, um ótimo alimento para pessoas com problemas de gastrite, úlcera e refluxo, entre outros.

2- Problemas hepáticos: Tem uma importante função referente ao controle de produção da bílis pelo fígado, sendo indicado como coadjuvante nos casos de hepatite.

3- Problemas intestinais: Suas leveduras, bactérias amigas e lactobacilos ajudam a enfrentar e suavizar as crises de colite em suas diversas formas, como também outras patologias relacionadas ao cólon e ao ataque às bactérias nocivas presentes no intestino. Poderoso aliado no combate à diarreia, constipação intestinal e inflamações.

4- Problemas articulares: A presença do cálcio na composição do kefir ajuda no combate a osteopenia, osteoporose e reumatismo.

5- Problemas respiratórios: Mais uma propriedade importante do kefir está ligada à melhora nas crises de asma, bronquite e tuberculose.

6- Fortalecimento do sistema imunológico: As alergias, candidíase e outras doenças oportunistas relacionadas ao sistema imunológico em desequilíbrio serão tratados com o uso do kefir.

7- Problemas emocionais: A presença do triptofano estimula o cérebro na produção de endorfinas e serotonina, ajudando nos casos de depressão e ansiedade.

8- Problemas dermatológicos: O kefir ajuda a manter a pele, cabelo e unhas saudáveis.

9- Problemas circulatórios: Estimula a circulação, favorecendo o bom funcionamento do coração, regulando a pressão arterial e ajudando no combate ao colesterol ruim.

10- Benefícios musculares: Rico em proteínas, que são os agentes fundamentais na construção muscular, também ajuda a potencializar a absorção de glicose pelas células musculares, o que promove grande ajuda no rendimento físico.

11- Ajuda a emagrecer: É um aliado importante no combate aos quilos adicionais.