Por que caímos?

Ninguém esquece como andar. Porém, por volta dos 40 anos de idade, diversos fatores físicos nos deixam mais propensos às quedas. Com o passar do tempo, cresce a probabilidade de que isso aconteça. Fique atento com os seguintes itens:

Falta de exercício: A fraqueza das pernas é a maior causa das quedas, mais do que quadruplicando o risco de acidentes. Músculos fracos tornam a pessoa propensa a cair e diminuem a probabilidade de que interrompa a queda ou recupere o equilíbrio se começar a escorregar. Caso tenha tempo para somente uma atividade, caminhe ou faça um treino de força para as pernas.

Problemas de visão: Glaucoma, degeneração macular e catarata se tornam mais comuns com a idade. Em geral, como a visão se deteriora aos poucos, talvez não seja possível notar isso no início. É importante detectar tais doenças cedo. Não aceite as mudanças de visão como parte do envelhecimento – há tratamentos efetivos para preservar a visão de danos maiores. Vá ao oftalmologista com frequência.

Medicação: Antidepressivos, antiarrítmicos, digoxina e diuréticos aumentam de forma significativa o risco de queda. Além disso, se estiver tomando três ou mais tipos de medicação, a probabilidade de queda aumenta.

Perigos ambientais: Capachos, bagunça e salas superlotadas se tornam campos minados à medida que você envelhece. Até mesmo os carpetes representam um risco, pois pode-se tropeçar caso a sola do sapato agarrar nele. Outros problemas domésticos em potencial incluem baixa iluminação, a falta de corrimãos ou corrimões frouxos nas escadas e no chuveiro/banheira.

Artrite: Se você tem artrite, a probabilidade de sofrer uma queda é duas vezes maior. Não é a artrite em si que aumenta o risco, mas o fato de que, em geral, as pessoas com a doença param de se exercitar. Dessa forma, os músculos enfraquecem.

Depressão: A depressão duplica o risco de queda. Algumas razões possíveis incluem o fato de não se prestar atenção ao que está ao redor. Ingerir mais álcool e comer menos, ou os efeitos colaterais de medicamentos.

Quedas anteriores: Se você já sofreu alguma queda antes, a probabilidade de voltar a cair é três vezes maior do que a de uma pessoa que nunca caiu.