Colágeno: tipos e benefícios

O colágeno é a proteína mais abundante no organismo, responsável pela firmeza e sustentação da pele, além de ter um papel fundamental na composição dos tendões e das cartilagens. Produzido naturalmente pelo organismo, tem uma grande tendência a diminuir com a idade, principalmente depois dos 30 anos. São vários os benefícios: melhora a firmeza e elasticidade da pele, previne o envelhecimento das células; protege as articulações; ajuda na prevenção do surgimento das celulites e estrias; melhora e potencializa a cicatrização; promove a renovação das células; previne contra a osteoporose, protegendo os ossos.

É sempre bom incluir alimentos na dieta que sejam ricos em colágeno. Mas a melhor forma de obtê-lo puro é por meio da suplementação, que pode ser encontrado em pó, líquido ou em cápsulas, podendo ser hidrolisado ou não. Confira os tipos existentes de colágeno:

Colágeno hidrolisado: 

O colágeno hidrolisado é mais fácil de ser absorvido pelo organismo. Não à toa, é um dos mais buscados e mais indicados por especialistas. O uso do colágeno hidrolisado melhora a firmeza e a elasticidade da parte mais profunda da pele, o que reduz a flacidez.

Colágeno em cápsulas: 

É a forma mais fácil e rápida de suplementar colágeno. Para consumi-lo corretamente, porém, é importante tomar diariamente a quantidade que o fabricante e o próprio produto sugerem, além de seguir rigorosamente a orientação médica.

Colágeno em pó: 

O colágeno em pó, por sua vez, pode ser encontrado com ou sem sabor. Ele é uma ótima opção para ajudar na saciedade e é fácil de ser preparado, uma vez que pode ser diluído na água.

Uma dica é prepará-lo com suco de laranja, que é muito rico em vitamina C e, por isso, ajuda o organismo a absorver melhor o colágeno e garantir seus benefícios.

As diferenças entre colágeno e colágeno hidrolisado

O colágeno hidrolisado passa por um processo de hidrólise, como você pode deduzir pelo próprio nome. Isso faz com que ele seja quebrado em partículas menores que as do colágeno normal, facilitando a absorção pelo corpo. Essa opção é muito usada na suplementação, por exemplo.

Além disso, o colágeno hidrolisado  é composto por aminoácidos, fornecendo a glicina e prolina para o corpo. Isso faz com que o corpo consiga trabalhar na regeneração e estabilidade das cartilagens.

Invista na clara de ovo

A clara de ovo é composta por 90% de água e 10% de proteínas. Cerca de 55% das proteínas da clara de ovo são formados pela albumina, que é considerada uma proteína de alto valor biológico (ou seja, é muito bem aproveitada pelo organismo), e que tem papel fundamental na reconstrução das fibras musculares. Confira os demais nutrientes:

-Selênio: uma única clara contém 9% das necessidades diárias;

-Potássio (2%);

-Magnésio (1%);

-Riboflavina (vitamina B2): 9% das necessidades diárias;

-Ácido pantotênico (B5): 1%;

-Colina;

-Betaína;

-Folato.

A clara de ovo é uma fonte de proteína barata e com teor quase zero de gordura. Além de ser utilizada por quem pratica atividade física e busca aumentar a massa muscular, há benefícios da clara de ovo para a saúde da pele e também para aqueles que estão querendo perder peso. O alto teor de proteínas da clara aumenta a saciedade e permite um consumo menor de calorias durante a refeição e ao longo do dia.

As claras também são uma alternativa saudável para quem adora ovo, mas está preocupado com os níveis de gordura da dieta.

Chia: confira os diversos benefícios dessa semente

Muitas pessoas ainda não conhecem, ou experimentaram as sementes de chia, que oferecem diversos benefícios para a saúde – ajudam a combater a diabetes, melhoram a digestão, diminuem o nível de colesterol LDL, contêm propriedades anti-inflamatórias, etc.

Você pode estar pensando, que se trata de um alimento nada agradável ao paladar, contudo, seu sabor neutro não altera o gosto dos outros alimentos. Além disso, são várias as opções de consumo da chia: com o seu iogurte predileto, ao leite, no mingau de aveia, na salada, em pudins, geleias, gelatinas, na vitamina, nas sopas e caldos, na lasanha e no arroz de forno, nas almôndegas, e por aí vai.

Conheça os principais componentes da semente de Chia:

-Ômega 3: A semente da chia é uma das mais ricas fontes conhecidas, tanto animal quanto vegetal. Possui teor muito maior do que o encontrado na linhaça e no salmão!

-Cálcio: apresenta cinco vezes a concentração do mineral encontrada no leite de vaca. Foi recentemente descoberto, que ele também ajuda a queimar gordura no organismo.

-Magnésio: possui duas vezes mais do que em castanhas e nozes .

-Manganês e fósforo: três vezes mais do que no espinafre.

-Proteínas:  É uma fonte de proteína completa, que fornece todos os aminoácidos essenciais que o homem precisa.

-Fibras: a alta concentração de fibras alimentares faz da chia um aliado do emagrecimento e na boa digestão. São também extremamente ricas em vitaminas e minerais, sendo uma das fontes vegetais mais ricas que se tem conhecimento até hoje.

-Antioxidantes: a presença do flavonoide kaempferol e, em menor quantidade, os ácidos cafeico e clorogênico presentes conferem à chia três vezes mais antioxidantes que as famosas uvas-do-monte.

Contra-indicação: Qualquer pessoa pode ingerir a semente. Porém, devido ao alto teor calórico, o excesso pode levar ao ganho de peso. Cada colher de sopa cheia possui aproximadamente 75 calorias. Há também pessoas com a chamada “síndrome do intestino irritável”, devendo ficar atentas com o consumo de sementes em geral.

Dica de consumo:

Misture as sementes de chia nos pães de forma Pinheirense, que além de integrais, são feitos artesanalmente e não apresentam conservantes em sua composição.