Inverno 2018: prevenção e tratamento de alergias

Quem sofre com alergias típicas do inverno está familiarizado com sintomas como coriza, olhos inchados, coceira nasal, dentre outros. Saiba como prevenir e tratar esses incômodos recorrentes, através de métodos naturais: 

Inale os vapores do eucalipto: Ferva folhas secas de Eucalyptus globulus amassadas; deixe descansar de 4 a 5 horas e coe os pedacinhos de folhas antes de aquecer o líquido para ser inalado. Você também pode adicionar de 5 a 10 gotas de óleo de eucalipto à água fumegante.

Coloque o recipiente na ponta de uma mesa, sente-se, incline a cabeça sobre ele e cubra-a com uma toalha para formar uma “tenda”. Respire a fumaça por cerca de 10 minutos, tomando cuidado para não ficar perto demais do vapor. Seus pulmões ficarão limpos e você ainda ganha um tratamento facial de bônus.

Contra a bronquite: O aroma penetrante da raiz-forte ralada, acompanhado do cheiro ácido do limão, ajuda a dissolver o muco nos canais dos seios da face e dos brônquios. Para fazer um xarope para tosse, rale um pedaço de raiz-forte sem casca em um recipiente ( ou use-a já preparada). Em seguida, transfira 50 g da raiz-forte ralada para um recipiente menor. Junte 80 ml de suco de limão e misture bem. Beba 1/2 colher de chá da mistura de duas a três vezes ao dia. A ação expectorante deve provocar a tosse depois de cada dose, ajudando seus pulmões a se livrarem do muco.

Chá antialérgico: Para um chá antialérgico, esmague 2 a 3 colheres de chá de flores de camomila alemã, despeje 240 ml de água fervente, deixe descansar por 10 minutos, coe e beba de três a quatro vezes ao dia.

Cuidado: embora a camomila seja uma erva tradicional no combate à febre, ela pode agravar os sintomas de qualquer pessoa alérgica à tasna, também conhecida como erva-de-santiago, uma prima da camomila. Para as demais pessoas, o azuleno contido na camomila contém propriedades anti-inflamatórias, indicadas no tratamento de infecções do trato respiratório e alergias.

Rinite: Caso consiga urtiga fresca ( uma erva daninha comum em jardins), use luvas quando a colher e ao lavar as folhas. Adicione 120 g da folha a 6 xícaras de água fervente, reduza o fogo e cozinhe até a água ficar verde. Coe o líquido em peneira fina para um bule de chá grande.

Em épocas de rinite alérgica, beba uma xícara do chá de urtiga pela manhã e outra à tarde. Pode adoçar com mel.

Formas naturais para controlar a pressão alta

Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como conseqüência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Há quem pense que basta tomar os remédios para resolver o problema de pressão arterial elevada, contudo, promover algumas mudanças no estilo de vida é fundamental. Existem formas naturais que ajudam, e muito, no controle da pressão alta:

Alho: com ação analgésica, antibacteriana e expectorante, o alho consegue tratar aquela hipertensão arterial leve. Ele vem sendo usado desde a antiguidade por suas propriedades antimicrobianas e pelos efeitos benéficos ao coração e circulação.

Alimentos ricos em potássio: o potássio é um excelente diminuidor da pressão arterial, por ajudar a mandar o sódio embora do corpo. E há muitas formas de consumi-lo, já que está presente na abóbora, cenoura, feijão preto, inhame, lentilha, chicória, espinafre, vagem, abacate, rabanete, couve-flor, banana, laranja, maracujá, mamão e ameixa. Quando o potássio entra nas células, o sódio sai. Essa dinâmica garante o equilíbrio hidroelétrico do corpo.

Quem é adepto do sal light ou sal sem sódio (só com potássio) deve ficar atento. Médicos explicam que ele pode fazer muito mal para os que tomam remédios para controlar a pressão que são poupadores de potássio. O potássio em excesso faz com que os músculos percam a força e, como o coração é um músculo, pode causar batidas descompassadas ou até mesmo fazê-lo parar. O ideal é consumir o potássio por meio de alimentos naturais.

Alimentos com ômega 3 e 6: o brasileiro tem hábito de comer pouco peixe. Mas o salmão, arenque, cavala, atum e sardinha carregam ômega 3 e 6, que ajudam a retirar o excesso de gordura ruim do sangue. Com isso, a circulação flui melhor, ajudando a controlar a pressão arterial. Linhaça e chia também contêm esses ômegas. Lembrar de ingerir um pouco por dia faz bem à saúde.

Evite gorduras ruins da carne vermelha: não é preciso parar de consumir carne vermelha, mas prefira os cortes magros e os prepare grelhados, assados ou cozidos, já que gordura em excesso pode aumentar o colesterol e causar entupimento nos vasos, dificultando a circulação do sangue e aumentando a pressão arterial.

Use ervas para substituir o sal: que o sal dá um sabor especial a qualquer preparação é fato, mas ele também é o vilão para aumentar a pressão. Colocar menos sal e preencher essa lacuna com outros temperos como a cebola, salsa, coentro, orégano, cebolinha, louro ou limão ajudam a dar sabor à preparação. Experimente reduzir a quantidade de sal gradativamente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que se ingira menos de cinco gramas de sal, o que equivale a menos de duas gramas de sódio. Fique atento aos rótulos dos alimentos ultra-processados.

Diga não a alimentos industrializados e dietéticos: embutidos, enlatados, salgados e refrigerantes sem açúcar costumam conter muito sódio, que aumenta a pressão por causa da retenção de líquidos.

Cistos mamários: tratamento e prevenção

Embora sejam comumente confundidos com tumores, de modo geral, os cistos não têm necessariamente relação com o câncer de mama. Os cistos simples são estruturas ovaladas ou arredondadas que apresentam líquido em seu interior e podem se apresentar em tamanhos diferentes.

Há cistos muito pequenos e praticamente imperceptíveis ao toque e, alguns, muito grandes, dolorosos, que chegam a causar uma diferença na superfície da mama. Nesses casos, é mais difícil diferenciá-los dos nódulos sólidos com base somente no exame clínico.

Em resumo, o cisto simples na mama pode ser definido como um caroço que não caracteriza o câncer de mama, nem aumenta o risco do seu aparecimento no futuro. É uma alteração mamária benigna, que acomete a maior parte das mulheres em idade reprodutiva e, geralmente, não apresenta sintomas, não sendo necessário nenhum tipo de tratamento específico.

Do ponto de vista oncológico (risco de ser câncer) apenas os cistos com conteúdo sólido podem ser preocupantes. Os cistos simples devem ser manejados de forma rotineira em relação à realização de mamografia e ultrassonografia mamária no que se refere ao rastreamento do câncer de mama, isto é, devem ser feitos anualmente. No entanto, podem necessitar de punção de agulha fina para evacuar o líquido, quando são muito grandes e se tornam perceptíveis, ou quando causam dor (também em função do grande volume).

Prevenção

Fibras: Os alimentos ricos em fibras não devem faltar em nenhum plano de alimentação, já que têm muitos benefícios para o corpo. Dentre os recomendados para prevenir o desenvolvimento de cistos nos seios estão:

  • Aveia
  • Leguminosas
  • Abacate
  • Pera
  • Maçã
  • Brócolis
  • Arroz integral
  • Pães integrais
Vegetais crucíferos: Esse tipo de verdura contém um composto chamado indol 3-carbinol, que pode contribuir para reduzir a capacidade dos estrogênios de se colar ao tecido mamário. Você pode escolher as seguintes:

  • Couve
  • Couve-de-bruxelas
  • Brócolis
  • Couve-flor
  • Nabo
  • Rabanete
  • Extrato de chá verde

Seu alto teor de antioxidantes contribui para combater a ação dos radicais livres que se acumulam no corpo e que estão associados ao desenvolvimento de tumores benignos e malignos.

É recomendável tomar uma xícara de chá verde por dia como um remédio natural para prevenir o câncer de mama.

Diminua o consumo de carboidratos:

Os tecidos mamários são sensíveis aos alimentos ricos em gordura e carboidratos refinados, já que os mesmos aumentam o estrogênio.

Ao produzir esses hormônios em excesso o tecido mamário se estimula e aumenta o risco de sentirmos dor, sofrermos de inflamações, cistos ou tumores.

Os alimentos que devemos evitar são:

  • Carnes processadas
  • Carnes vermelhas
  • Laticínios
  • Frituras e doces
  • Pão branco
  • Xarope de bordo
  • Bolos
  • Comidas rápidas e pré-cozidas
  • Molhos industrializados
Exame de rotina: quando cistos são detectados, é recomendável fazer o devido acompanhamento médico, realizando, ao menos uma vez por ano, o exame de ultrassonografia das mamas. Em alguns casos, a punção, para a retirada do (s) cisto (s) será indicada.

Greve dos caminhoneiros: cuidados ao comprar carnes

Dúvidas quanto a procedência e qualidade das carnes comercializadas no país aumentam cada vez mais entre os consumidores. É bom ficar atento a alguns detalhes, e evitar diferentes transtornos. Saiba quais cuidados tomar ao comprar esse alimento.

No caso da carne, julgue o livro pela capa. Mesmo não sendo o único fator de avaliação, deve, com certeza, ser levado em consideração. No caso do frango, sempre busque produtos frescos, em ambientes bem refrigerados e com aparência clara.

Para carne de porco, muito cuidado. Sempre procure padrões dentro do normal para cada corte, além de evitar aparências escurecida, com sinais de estarem velhas ou em conservação irregular.

Neste casos, é sempre importante ter um açougue ou comércio de confiança, em que você tenha certeza de que os produtos têm  boaprocedência e são bem armazenados. Sempre converse com o açougueiro, peça dicas e questione sobre a procedência e datas das carnes.

Além da aparência, carnes com odores também são perigosas. Caso compre uma peça que apresente cor escura e odores, retorne imediatamente ao estabelecimento e peça seu dinheiro de volta.

Produtos processados

Os produtos que passaram por algum processamento também são perigosos, pois podem ser “mascarados”. A carne moída, por exemplo, pode ser feita com carnes velhas, sendo uma tática utilizada por estabelecimentos irregulares para não desperdiçar as sobras.

Sempre peça para o açougueiro moer um pedaço de carne de sua escolha, para que assim tenha certeza da boa procedência do produto bruto.

Produtos embalados

Pensava-se que apenas os produtos vendidos fora de embalagens corriam riscos de má conservação. Muito pelo contrário. Aquele pequeno açougue perto de sua casa, pode ser muito mais higiênico e correto do que grandes empresas do segmento.

Quando desconfiar de carnes já embaladas, mesmo que sejam de grandes empresas, registre uma reclamação e peça a troca ou estorno do produto no local de compra. Sempre verifique a embalagem antes, constatando a origem e data de validade destes produtos.

Cuidado na sua conservação

Os produtos também podem perder qualidade na sua geladeira. Após abrir um pacote ou consumir uma fração de uma peça de carne, busque condições corretas de armazenamento. Consulte a validade de cada produto após ser congelado. Evite descongelar e fazer o recongelamento, prática que faz um empobrecimento da carne.

Faça denúncias

Para um controle adequado das condições sanitárias, faça denúncias de locais em que comprou produtos com aspecto ruim. Com essas reclamações, a vigilância sanitária poderá fazer as verificações e constatar se as condições são adequadas ou não. Cumpra com seu dever cívico e ajude os órgãos fiscalizadores a chegarem até os problemas.

Benefícios do óleo de coco

O óleo de coco emagrece, reduz o colesterol, acelera o metabolismo e controla diabetes. Descubra outros benefícios desta gordura do bem.

Aumenta o colesterol bom

O óleo de coco é eficaz para aumentar os níveis de colesterol HDL, que é conhecido como o colesterol “bom”. Pesquisas feitas com mulheres com obesidade abdominal mostraram que a HDL aumentou para aquelas que consumiram o óleo de coco. Em contraste, as mulheres que consomem óleo de soja apresentaram uma diminuição no colesterol HDL.

Diminui a sensação de fome:

Os triglicerídeos de cadeia média presentes no óleo de coco reduzem a sua sensação de fome, levando a uma redução espontânea da ingestão de calorias.

Faz bem para a pele:

Manter a pele hidratada faz parte de um dos benefícios do óleo de coco. Muitas mulheres já descobriram que ele é um hidratante maravilhoso para as pernas, braços e cotovelos. Você pode usá-lo em seu rosto também; embora isso não seja recomendado para pessoas com pele muito oleosa.

Ele também pode ajudar a reparar calcanhares rachados. Basta aplicar uma camada fina nos calcanhares na hora de dormir e calçar meias.

Combate infecções

O óleo de coco virgem tem fortes propriedades antibacterianas, que podem ajudar a combater infecções. Um estudo descobriu que ele ajuda a interromper o crescimento da bactéria intestinal Clostridium difficile, que é a responsável por causar diarreia grave.

Suas propriedades também são ótimas para combater várias outras bactérias e leveduras.

Cicatrização de feridas

Estudos feitos em ratos, cujas feridas foram tratadas com óleo de coco, mostraram uma redução dos marcadores inflamatórios, e o aumento da produção de colágeno, um componente importante da pele. Como resultado, as feridas foram curadas muito mais rápido.

Para acelerar a cicatrização de pequenos cortes ou arranhões, aplique um pouco de óleo de coco diretamente na ferida e cubra com uma bandagem.

Combate a candidíase

A Cândida albicans é um fungo responsável por infecções, que normalmente ocorrem em áreas quentes e úmidas do corpo, como a boca ou vagina.

O óleo de coco é um aliado ao combate da candidíase.

Melhora a saúde do fígado

A gordura saturada do óleo de coco protege o fígado de danos causados pelo álcool ou por toxinas.

Em uma pesquisa recente, observaram a diminuição nos marcadores inflamatórios do fígado, e um aumento da atividade das enzimas hepáticas benéficas. Por isso, tenha sempre ele por perto. 

Melhora a função cerebral

Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) se transformam em cetonas, que podem atuar como uma fonte alternativa de energia para o seu cérebro.

Vários estudos têm encontrado benefícios impressionantes desse óleo para distúrbios cerebrais, incluindo epilepsia e doença de Alzheimer.

Protege o cabelo

Um estudo comparou os efeitos do óleo de coco, óleo mineral e óleo de girassol no cabelo. O óleo de coco pode ajudar a reduzir a perda de proteína do cabelo, quando aplicado antes ou após a lavagem. Este resultado ocorreu com os cabelos danificados e também saudáveis.

Isso porque o ácido láurico, o ácido gordo principal do óleo de coco, consegue penetrar a haste do cabelo de modo que a maioria das outras gorduras não pode.

Receitas de sucos que curam

Os sucos são uma importante fonte de nutrientes e, além de saborosos, acompanham bem qualquer refeição. Consumir sucos de frutas e hortaliças frescas é uma das melhores formas de evitar diferentes doenças. Selecionamos algumas receitas de sucos que são indicados para uma série de males, como o colesterol alto, a insônia, a gripe, etc.

Suco contra colesterol alto: Ingredientes – 5 g de gengibre; 1 copo (americano) de água; 3 ramos de salsinha; 1/2 cenoura; 1 maçã média. Preparo: Pique em pedaços pequenos o gengibre, a maçã e os ramos de salsinha. Coloque no copo de liquidificador, junto com os demais ingredientes, e bata. Coe e beba em seguida.

Suco antidepressivo: Ingredientes: 5 g de folhas de maracujá; 2 folhas de limão; 20 ml de suco de uva; 20 ml de suco de maracujá; 20 ml de suco de maçã; 10 ml de chá de camomila; 1 copo (americano) de água. Preparo: Primeiro, faça um chá de folhas de limão e maracujá. Junte o chá de camomila, ferva a água e jogue na mistura. Leve ao liquidificador, junto com o restante dos ingredientes. Bata.

Suco contra pressão alta: Ingredientes: 1 limão siciliano grande; 1 copo (americano) de água mineral; 1 dente de alho. Preparo: Esprema o limão e junte o suco aos demais ingredientes no liquidificador, bata e beba em seguida.

Suco contra a Insônia: Ingredientes: 1 copo (americano) de água; 4 g de camomila; 2 g de melissa; 2 g de hortelã-pimenta; 1 folha de alface. Preparo: Fazer o chá por infusão das ervas e tomar logo em seguida.

Suco contra a gripe: Ingredientes: 3 ramos de agrião; 1 colher (sopa) de mel; 1 copo de água de coco; 3 ramos de hortelã. Preparo: Faça um chá com a hortelã e o agrião. Junte o chá com os demais ingredientes e bata no liquidificador.

Suco contra gota: Ingredientes: 1 copo (americano) de água de coco; 4 fatias médias de melancia; adoçante. Preparo: bata a melancia no liquidificador com as sementes, coe e acrescente a água de coco. Beba logo em seguida.

Previna-se das infecções que mais ameaçam brasileiros em 2018

São seis as infecções que mais ameaçam os brasileiros em 2018: a febre amarela, dengue, zika e chikungunya, Hepatite A, sífilis, gripe e sarampo. Conheça as causas dessas doenças, e saiba como preveni-las:

Dengue, zika e chikungunya: devido a tamanha urbanização, de nada adianta tentar exterminar o mosquito transmissor dessas doenças – o Aedes aegypti. É importante combater a proliferação, descartando redutos de água parada, e minimizando o contato com o mosquito, por meio de repelentes e telas nas casas.

• Evite deixar água parada em locais propícios para a multiplicação dos mosquitos, como latas, copos plásticos, pneus, vasos de plantas, garrafas ou caixa d’água.
• Não deixe que a água da chuva se acumule nestes locais.
• Lixos devem ficar bem tampados.
• O uso de repelenteé uma ótima forma de afastar as picadas.
• Instalar redes de proteção nas portas e janelas da sua casa também pode evitar a presença do mosquito transmissor.

No caso da zika, o tratamento é de acordo com os sintomas e baseado no uso de paracetamol para febre e dor, sob orientação médica. Em relação à chikungunya, além do uso de medicação para a febre (paracetamol), entram em cena os anti-inflamatórios, para controlar as dores articulares. Em ambos os casos, não é recomendado usar o ácido acetil salicílico (AAS), devido ao risco de hemorragia. E é preciso fazer repouso absoluto e beber líquidos em abundância.

Febre Amarela: doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

Prevenção: Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente como caixas d’água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos.

Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de dengue ou febre amarela, deve-se fazer a aplicação de inseticida através do “fumacê”. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

Hepatite A: O vírus da hepatite A é transmitido de pessoa doente para pessoa saudável, ou através de alimentos ou água contaminada. Por essa razão é mais comum em lugares com saneamento básico insuficiente. Com relação aos alimentos, os frutos do mar são especialmente propícios a transmitir a hepatte A, principalmente os moluscos que retém muita água e podem hospedar o vírus.

Existe vacinação contra a hepatite A, mas uma série de medidas, principalmente, de higiene são importantes formas de prevenção da doença. Entre elas, estão:

  1. Lavar bem as mãos antes e depois de usar o banheiro e ao cozinhar.
  2. Lavar os alimentos, antes do consumo.
  3. Cozinhar bem os frutos do mar e evitar comê-los crus ou mal cozidos.
  4. As medidas de higiene devem ser redobradas, caso existam infectados morando na mesma residência e também em ambientes como creches, escolas, restaurantes, etc.
  5. Só consumir água filtrada, fervida ou mineral (em garrafa).
  6. Evitar exposição à águas potencialmente contaminadas, como riachos, valões, ou lugares com esgoto à céu aberto.
  7. Evitar comer em ambientes nos quais não se sabe a procedência e modo de preparo dos alimentos.
  8. Conferir se os salões de beleza estão esterilizando os kits de manicure, antes de fazer qualquer procedimento, ou leve os próprios instrumentais.
Sífilis: Lesões duras, mas nem sempre doloridas nos órgãos genitais são o primeiro sintoma da sífilis. Chamadas de cancros, elas geralmente aparecem nos genitais, mas podem ocorrer também no ânus, na pele, na gengiva, na palma das mãos e na planta dos pés. Mesmo sem tratamento, essas lesões costumam desaparecer em alguns dias, mas a doença continua ativa no organismo e pode provocar outros sintomas: manchas avermelhadas na pele e nas mucosas (sífilis secundária) e alterações no sistema nervoso central (sífilis terciária).
A sífilis é uma doença infectocontagiosa, sexualmente transmissível, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode também ser transmitida verticalmente, ou seja, da mãe para o feto, por transfusão de sangue ou por contato direto com sangue contaminado. Se não for tratada precocemente, pode comprometer vários órgãos como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso.
Prevenção: O uso de preservativos durante as relações sexuais é a única maneira de prevenir a doença.
Gripe: o vírus da gripe H3N2 já é o de maior circulação nos EUA, em 2018. Esse subtipo do vírus é particularmente perverso e já está amplamente difundido. E as atuais vacinas contra a gripe parecem incompatíveis a ele. Na Austrália, por exemplo, onde a temporada de gripe começa mais cedo, estima-se que as vacinas foram eficazes em apenas 10% dos casos.
A circulação global de pessoas é uma das hipóteses para explicar as quase 2 mil mortes em 2016 por H1N1, um subtipo do Influenza A, no nosso país. Esse agente teria pegado carona em viajantes no início daquele ano, e alastrando-se antes da campanha de vacinação, provocou um ataque-surpresa.
Além da vacina contra a gripe, há medidas de prevenção que podem e devem ser seguidas:
- Proteja o nariz e a boca. Cubra-os enquanto espirra ou tosse e use lenços descartáveis.
- Evite tocar a boca e o nariz.
- Lave as mãos com água e sabão e use álcool gel 70% regularmente, especialmente depois de tocar o nariz e a boca ou superfícies que possam estar contaminadas.
- Melhore a circulação de ar abrindo as janelas.
- Evite ficar por muito tempo em locais com grande aglomeração de pessoas.
- Mantenha hábitos saudáveis: coma bem, durma bem e faça exercícios.
Sarampo: Primeira do mundo a ser declarada livre do sarampo, a América agora tem oito países com notificação da doença. Em 2017, eram quatro. Foram 185 casos só nos três primeiros meses de 2018, diz a Organização Mundial de Saúde. No mesmo período de 2017, a OMS registrava 22 casos (mais muitos casos na Venezuela ainda não tinham sido confirmados). Nesse ano, a Venezuela apresenta a maioria das notificações – 159. Em seguida, estão os Estados Unidos, com 11 casos. Depois, vem o Brasil, com oito casos importados da Venezuela. Os outros 5 países com casos são: Antígua e Barbuda (1 caso), Canadá (3), Guatemala (1), México (1) e Peru (1).
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa a pessoa, geralmente por tosse, espirros, fala ou respiração, por isso a facilidade de contágio da doença. Além de secreções respiratórias ou da boca, também é possível se contaminar através da dispersão de gotículas com partículas virais no ar, que podem perdurar por tempo relativamente longo no ambiente, especialmente em locais fechados como escolas e clínicas. A doença é transmitida na fase em que a pessoa apresenta febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta de apetite e dura até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas.
A suscetibilidade ao vírus do sarampo é geral e a única forma de prevenção é a vacinação. Apenas os lactentes cujas mães já tiveram sarampo ou foram vacinadas possuem, temporariamente, anticorpos transmitidos pela placenta, que conferem imunidade geralmente ao longo do primeiro ano de vida (o que pode interferir na resposta à vacinação). As crianças devem tomar duas doses da vacina combinada contra rubéolasarampo e caxumba (tríplice viral): a primeira, com um ano de idade; a segunda dose, entre quatro e seis anos. Os adolescentes, adultos (homens e mulheres) e, principalmente, no contexto atual do risco de importação de casos, os pertencentes ao grupo de risco, também devem tomar a vacina tríplice viral ou dupla viral (contra sarampo e rubéola).

 

Benefícios da batata yacon

A batata yacon, que pode ser encontrada nas feiras e supermercados de todo o Brasil, apresenta diversos benefícios para a saúde. E um deles é contribuir no controle da diabetes. Mas como isso acontece?

O tubérculo é rico em um carboidrato chamado frutooligossacárico, que funciona em nosso organismo de forma parecida com as fibras. Em suma, as moléculas desse carboidrato não são “quebradas” com facilidade pelo nosso organismo. Sendo assim, sua absorção é mais lenta, o que resulta na liberação do açúcar no sangue em baixas quantidades, equilibrando, dessa forma, as taxas de glicose do organismo.

Selecionamos algumas receitas, que irão ajudá-lo (a) a incluir a batata yacon em sua dieta diária:

Batata de Yacon Sauté

Ingredientes: 1 batata yacon; 1 a 2 dentes de alho amassados ou picados; Fio de azeite.

Modo de Preparo:

Descasque as batatas yacon e, em seguida, corte em cubos médios; deixe tudo mergulhado na água. Esquente a frigideira e adicione fios de azeite. Coloque as batatas e o alho e deixe dourar. Polvilhe uma pitada de gersal por cima e sirva com azeite de hortelã ou outro de sua preferência.

Salada de batata yacon

Ingredientes: 400 gramas de Yacon; 300 gramas de alface americana cortada; 2 unidades de pepino japonês; 300 gramas de agrião; 12 unidades de tomate uva ou sweet grape; 10 unidades de azeitona preta sem caroço (opcional).

Modo de Preparo:

Higienize o yacon, os pepinos, a alface, os tomates e o agrião. Descasque o yacon e corte-o em quadrados pequenos. Reserve. Descasque os pepinos, fatie, reserve. Separe as folhas da alface americana e corte-as, reserve. Separe as folhas dos caules do agrião e reserve. Mantenha a salada na geladeira até a hora de servir.

Suco com batata yacon

Ingredientes: 1 batata yacon pequena ( 100 g) sem casca; 1 kiwi; suco de 2 laranjas.

Modo de preparo: 
Retire a casca da yacon somente na hora de preparar o suco, pois ela escurece rapidamente. No liquidificador, bata a batata com os demais ingredientes. Coe (se preferir) e beba em seguida.

Cuidado: muitos pães contêm azodicarbonamida

O título da matéria publicada na revista “Super Interessante” já denuncia: “Você está comendo sola de sapato no hambúrguer”. Isso porque muitas empresas utilizam uma substância chamada azodicarbonamida na fabricação de pães. Não por acaso, os sanduíches de muitos fast foods, por exemplo, têm gosto e cheiro estranhos. Link para a matéria completa: https://goo.gl/1muWbc

“O nome da substância responsável pela textura esponjosa é tão obscuro quanto sua utilização na indústria alimentícia: azodicarbonamida. O composto químico é um condicionador de massas e branqueador de farinhas que também é empregado na fabricação de tapetes de yoga, borracha para sola de sapatos, isopor e chinelos. É ele que dá resistência e leveza aos materiais.”

Ao comprar pães e sanduíches, tome cuidado, e certifique-se de que não está ingerindo essa substância, tão danosa para a saúde. Dê preferência aos produtos artesanais e isentos de conservantes e outros produtos químicos, como os da Pinheirense. Conheça os nossos produtos – pães integrais de forma e pães tipo Sueco. A receita original, da década de 1930, é mantida até os dias de hoje. 

Água engarrafada nem sempre é mineral

Água é vida! Mesmo sendo indispensável para todas as funções do nosso corpo, sua relevância para a saúde, assim como a sua potabilidade, nem sempre são consideradas. Talvez, você não esteja a par de alguns fatos sobre a água engarrafada (aquela comercializada em cada esquina). E mesmo que já tenha conhecimento acerca das informações a seguir, vale a pena relembrá-las:

- Estima-se que 25% da água engarrafada seja, na realidade, água de torneira filtrada;

- Água mineral é frequentemente rica em sódio;

- Diferentemente do sistema de abastecimento de água municipal, a água engarrafada pode não conter flúor suficiente para proteger contra as cáries;

- Não é uma boa ideia reutilizar garrafas plásticas de água. Lavá-las e reusá-las muitas vezes acelera o processo de quebra do plástico, aumentando a exposição a substâncias químicas potencialmente prejudiciais;

- Verifique a data de engarrafamento e a data de validade para descobrir quão fresca é a água. Normalmente, a água engarrafada contém um menor número de bactérias prejudiciais. Mas, se a água for armazenada por períodos longos em temperatura ambiente, as bactérias podem proliferar rapidamente. O melhor a fazer é armazenar a água em locais refrigerados;

- Recipientes abertos de água engarrafada devem ser refrigerados, caso bactérias potencialmente prejudiciais tenham entrado neles.