Óleo de rícino para a pele e os cabelos

O óleo de rícino é extraído das sementes de mamona, planta muito comum e abundante no Brasil, e é utilizado para fins industriais, medicinais e até mesmo para fins estéticos – no tratamento da pele e dos cabelos.

Além de tratar a acne e a oleosidade, o óleo de rícino é um hidratante natural, que também combate o envelhecimento precoce da pele.  O produto é interessante para a pele oleosa por ser pouco comedogênico, ou seja, não causa acnes ou lesões na pele. Ele também tem um efeito adstringente, reduzindo a proliferação bacteriana, uma das causas da acne. Ele faz tudo isso promovendo a hidratação necessária para que esta pele fique saudável.

O óleo de rícino também tem uma ação cicatrizante potente, devido principalmente à presença da vitamina E. Por isso, ele pode ser um aliado de pessoas com estrias recentes (aquelas com aspecto avermelhado).

Sua capacidade de cicatrização aliada à hidratação natural o tornam um bom cosmético pós-sol, principalmente após queimaduras solares, mas sempre misturado a algum creme e nunca diretamente na pele. Uma dica interessante para hidratar a pele: use uma colher de sopa de óleo de rícino com uma colher de óleo de coco. Misture todos os ingrediente e aplique pelo corpo. Deixe agir por meia hora antes de enxaguar.

Benefícios do óleo de rícino para os cabelos:

Massagear o óleo no couro cabeludo pode resultar em crescimento extra do cabelo. Este óleo quente apresenta a capacidade de melhorar a circulação. Ele deve ser aplicado da mesma forma que é aplicado na pele para infecções fúngicas, massageando o couro cabeludo. Confira os demais benefícios:

  • Fortalece os fios
  • Combate a queda dos cabelos
  • Combate a quebra do fios
  • Contém vitamina E, minerais e vitaminas que auxiliam no crescimento
  • Ativa a circulação no couro cabeludo
  • Contém propriedades anti-bacterianas e anti-fúngicas
  • Trata pele seca e coceira no couro cabeludo
  • Ajuda no tratamento de calvície e alopécia
  • Diminui caspas (usando na raiz)
  • Hidrata e recupera os fios profundamente
  • Encorpa os fios
  • Sela as cutículas da fibra capilar dando brilho
  • Ajuda manter a hidratação dentro dos fios (sela)

Eczema

O eczema é uma erupção escamosa e pruriginosa habitualmente causada por sensibilidade a alimentos e a certas substâncias químicas, ou a condições ambientais como clima seco, por exemplo. Por isso, é bom evitar alimentos que desencadeiem ou agravem o eczema, além de causas externas como o atrito de roupas de algodão com a pele.

Nem sempre, a erupção é uma reação alérgica propriamente dita, mas uma reação do sistema imunológico a alguma substância geralmente inofensiva. Os sintomas variam e podem aparecer em qualquer parte do corpo em poucos minutos, ou mesmo horas, após a exposição ao alimento ou à substância desencadeante. O eczema pode ser genético, e pessoas com asma, febre do feno e urticária tendem a desenvolvê-lo.

Fique de olho na alimentação:

Certos alimentos como frutos do mar, nozes, ovos e derivados do leite desencadeiam o eczema. O ideal é submeter-se a exames que testem alergias a alimentos para evitar restrições alimentares desnecessárias.

Consuma mais antioxidantes: O clima seco também pode provocar eczemas ao desencadear a formação de radicais livres. Dessa forma, antioxidantes como o betacaroteno ajudam a combater o problema. Frutas e legumes que tenham cores fortes tais como o damasco, a abóbora, a manga, a cenoura e a batata-doce são boas alternativas.

Consuma alimentos ricos em ácidos graxos essenciais: alimentos como óleos vegetais, peixes com alto teor de gordura e linhaça podem diminuir os inchaços, ao ajudar a produzir hormônios chamados prostaglandinas, que reduzem as inflamações.

Vitamina B6: alguns pesquisadores acreditam que uma alimentação rica em vitamina B6 protege contra erupções sensíveis. Boas fontes dessa vitamina são o óleo vegetal, ovos, peixes gordos, legumes, arroz integral, germe de trigo e verduras de folhas verdes.