Ginástica Hipopressiva

Você sabe o que é a ginástica hipopressiva? As primeiras técnicas hipopressivas foram criadas em 1980, por Marcel Caufriez, no Hospital Universitário Erasme, em Bruxelas, sob o título “Aspiração Diafragmática”, aplicado com técnicas manuais na reabilitação urogenital.

Quando o indivíduo realiza os exercícios da Ginástica Hipopressiva, o mesmo colabora para a ativação automática dos músculos do períneo e da faixa abdominal, atuando então na garantia de diversos benefícios, como na melhora das tensões dos músculos respiratórios e dos músculos antigravitacionais hipertónicos.

As técnicas hipopressivas englobam posturas e movimentos rítmicos que visam a diminuição da pressão nas cavidades torácica, abdominal e pélvica. A prática regular de hipopressivos causa, a curto e a longo prazos, efeitos positivos para a saúde, tais como:

-diminuição da pressão intra abdominal;

- melhora da competência do assoalho pélvico;

-proporciona mais tônus e coativação da musculatura abdominal;

- melhora o desempenho sexual;

- trata e previne incontinência urinária;

- prevenção e tratamento de diástase;

- afina a cintura;

- reposiciona órgãos internos;

- melhora a circulaçõ;

- tratamento e prevenção de hérnias;

- atua no intestino melhorando constipação;

- melhora a postura;

- melhora sequelas no período pós-parto.

Qualidade de vida na terceira idade

Com o tempo, a expectativa de vida da população aumentou e, juntamente com esse fato, surgiram novas questões relacionadas à saúde. Encontramos homens e mulheres acima dos 50 anos de idade que continuam a atuar profissionalmente e com qualidade de vida. Contudo, muitos ainda desconsideram a importância de manter atividades físicas regulares e hábitos de vida saudáveis.

Aproximadamente 70% dos brasileiros com mais de 50 anos são sedentários. A população dessa faixa etária também é a que apresenta a maior incidência de doenças cardiovasculares, assim como lesões ortopédicas que dificultam ou incapacitam a prática de atividades físicas. A maioria das pessoas tem dúvidas sobre como, quando e quanto praticá-las, para preservar a saúde sem correr riscos.

O processo natural de envelhecimento motiva a perda de pelo menos 30% das fibras musculares. Além disso, já é comprovado que exercícios com resistência ajudam os 70% restantes a garantirem estabilidade e conforto.

Os benefícios cardiorrespiratórios proporcionados através da atividade física são inquestionáveis, principalmente, nessa fase da vida. Entretanto, muitos se veem diante de um dilema: o exercício físico melhora o coração, mas também pode comprometer a parte óssea, muscular e ósseo-articular, quando feito sem a devida supervisão. 

Vale lembrar, que para as pessoas idosas, um programa de atividade física sem a devida precaução tem levado a uma maior incidência de patologias, como a morte súbita. Assim, a primeira providência é consultar um cardiologista para medir a pressão arterial, fazer eletrocardiograma, verificar quais são as condições orgânicas e demarcar os próprios limites.

O cardiologista irá dizer se serão necessários exames mais detalhados e específicos, o que não costuma acontecer entre 90% e 95% dos casos. Em seguida, a pessoa poderá iniciar progressivamente uma atividade física aeróbica, como caminhadas e natação. Simultaneamente, ela deve manter algum tipo de exercício de força que inclua resistência e desenvolva a coordenação.

Em suma, são inúmeros os benefícios da atividade física regular quando feita sob supervisão e respeitando a capacidade de reservas do organismo de cada indivíduo.

Por uma vida equilibrada

Qualidade de vida e felicidade podem ser subjetivas, contudo, não se pode negar que a saúde é um bem incomparável. Afinal, o que conseguimos realizar sem ela? Para garantir uma vida equilibrada (em um mundo cada vez mais desequilibrado), o indivíduo precisa estar atento a sua saúde física e mental.

Diversos estudos, de diferentes centros de pesquisa do mundo, relacionam a alimentação saudável e balanceada, aliada à prática de atividade física, com a manutenção da saúde. A atividade física traz benefícios à saúde cardiovascular, estética, densidade mineral óssea, redução da ansiedade, depressão, socializando o indivíduo e liberando substâncias que estimulam a sensação de bem-estar; reduz o risco de lesão nas atividades cotidianas, entre outros inúmeros benefícios.

Mas para ter uma vida saudável, exercício apenas não basta. Uma alimentação equilibrada garante o bom funcionamento do organismo, prevenindo-o de doenças. Já é comprovado que a dieta alimentar tem estreita relação não apenas com o desempenho físico, mas, também, mental, além de reforçar o sistema imunológico, auxiliar na perda de peso e retardar o processo de envelhecimento.

Alimentos Funcionais

Alimentos funcionais ou nutracêuticos são aqueles que contribuem para o bom funcionamento do metabolismo e na prevenção de doenças, além de fornecerem energia para o corpo e uma nutrição adequada. Confira alguns desses alimentos funcionais e seus respectivos benefícios:

Aveia: Ajuda a diminuir o colesterol “ruim” – o LDL, ajuda a melhorar a prisão de ventre – fator de risco para o câncer de intestino. Quantidade recomendada: três colheres de sopa por dia de farelo de aveia; quatro colheres de sopa de aveia.

Frutas e Verduras: Ajudam a prevenir diversos tipos de câncer. O consumo regular de frutas e verduras variadas auxilia na redução de doenças cardíacas e da pressão sanguínea, além de evitar doenças como catarata. Quantidade recomendada: três a cinco frutas, e pelo menos três tipos de verduras diferentes por dia.

Peixes: aqueles ricos em Ômega 3, como o salmão, o atum, a sardinha e o bacalhau, previnem infartos e derrames, protegem o coração, reduzem o colesterol “ruim” (LDL) e aumentam o “bom” (HDL); podem reduzir dores de artrite, melhorar a depressão e proteger o cérebro contra doenças como o Mal de Alzheimer. Quantidade recomendada: 180 gramas por semana (para reduzir risco de doenças do coração);

Chá Verde: Auxilia na prevenção de tumores malignos, além de retardar o envelhecimento; pode diminuir as doenças do coração, prevenir pedras nos rins e auxiliar no tratamento da obesidade. Quantidade recomendada: de quatro a seis xícaras por dia (para reduzir os riscos de gastrite e câncer de esôfago).

Pratique a caminhada nórdica

Se você quer fazer um exercício completo enquanto caminha, pense em praticar a caminhada nórdica, que usa bastões parecidos com os de esqui. Um esporte relativamente novo, criado no fim da década de 1990 como uma forma para treinar esquiadores finlandeses.

Usar os bastões é simples. Coloque um bastão no chão e impulsione o corpo com o bastão do mesmo lado. Quando for pisar com a perna esquerda, coloque o bastão do lado direito no chão e use o pé direito para impulsionar o corpo.

Estudos mostram que caminhar com bastões queima até 50% mais calorias do que as caminhadas rápidas normais, além de exercitar 90% dos músculos do corpo, graças à força abdominal e da parte superior do corpo exigida para baixar e levantar os bastões.

Uma vantagem para pessoas com dores nos joelhos e quadris é que parte da força da caminhada é transferida para os bastões e não para as articulações.