Primavera: flores que informam as horas

Diariamente, as plantas usam um “relógio” interno. Todos os seres vivos, incluindo os humanos, têm relógios internos que coordenam vários processos biológicos. No caso das plantas, atividades como o fechamento dos estômatos à noite são baseadas em um ritmo circadiano (um ciclo diário – do latim circa dies, “cerca de um dia”).

Esse ciclo foi observado pelo botânico Carl Lineu, no século XVIII. Ele percebeu que as flores de algumas plantas se abriam e se fechavam em determinadas horas do dia. A maravilha (Mirabilis jalapa), por exemplo, abre suas flores todos os dias por volta das quatro da tarde.

A dormideira (Mimosa pudica) pode retrair-se com a velocidade de um raio em reação ao toque. Comum nos trópicos, ela tem folhas compostas, formadas por numerosos folíolos, que se fecham em questão de segundos à primeira “mordiscada” de um inseto.

Já que as plantas reagem a estímulos, será que também são capazes de se comunicar?

Reduza, reutilize, recicle

Reduza, reutilize e recicle: adote essa abordagem tríplice e se surpreenda com a economia que fará. 

A preferência por produtos que precisam de pouca ou nenhuma embalagem é um modo fácil de reduzir o que entra em sua casa e o que acaba no aterro sanitário. Reutilizar em vez de jogar fora é econômico – além de ser divertido inventar maneiras criativas para reaproveitar artigos domésticos. E tudo o que você encaminhar para a reciclagem, retornará em outros produtos.

Dicas para reduzir o lixo:

-Experimente usar sacos de papel, em vez de plástico, para embalar frutas e legumes no mercado.

-Leve sacolas reutilizáveis com você quando fizer compras.

- Prefira produtos que venham com o mínimo de embalagem, que usem embalagens recicláveis ou que venham em recipientes recarregáveis e/ou retornáveis. Algumas lojas de produtos naturais até incentivam os clientes a levarem seus próprios recipientes.

-Prefira produtos que podem ser reutilizados, como baterias recarregáveis, em vez das opções descartáveis.

Lista de reciclagem

Podem ser reciclados:

-garrafas e potes de vidro: remova as tampas;

- Papéis: jornais, revistas, catálogos de telefone, envelopes, embalagens, papelão, caixas de pizza;

-Latas de aço;

-Latas de aço de aerossol;

-Tampas de aço de potes de geleia;

-Tampas de metal de garrafas;

-Latas de alumínio;

-Embalagens de leite e suco;

- Garrafas PET;

-Lixo de jardinagem ( primeiro, use como adubo).

Caixas de papelão: use e reuse

Os chineses inventaram o papelão no começo do século XV, prevendo, assim, há centenas de anos, a demanda de caixas para comida chinesa. Em 1871, o nova-iorquino Albert Jones patenteou a ideia de colar papel corrugado entre dois papelões para criar um material rígido o suficiente para ser usado na remessa de mercadorias.

Mas foi apenas em 1890 que outro americano, Robert Gair, inventou a caixa de papelão corrugado. As caixas eram pedaços planos de papelão previamente cortados e que se dobravam, transformando-se em caixas, exatamente como as caixas de papelão que conhecemos hoje.

Antes de dispensar caixas de papelão, pense em como elas ainda podem ser úteis e reutilizadas. Confira algumas dicas:

Proteção contra a poeira: mantenha a poeira longe de pequenos utensílios, ferramentas elétricas ou teclados, por exemplo. Corte as abas de uma caixa de papelão de modo que a mesma fique sobre o objeto, adorne-a ou cubra-a com papel adesivo e use-a como proteção contra poeira.

Faça um jogo americano de mesa: corte vários pedaços de 30 cm x 45 cm de papelão e cubra-os com papel adesivo colorido.

Armazene os enfeites de Natal: quando desmontar a árvore de Natal, embrulhe os enfeites em jornal ou papel de seda e guarde-os numa caixa de papelão vazia ou numa caixa de bebidas alcoólicas com divisórias. Neste caso, cada segmento da caixa tem capacidade para armazenar vários enfeites.

Garagem para carros de brinquedo: Vire de lado uma caixa de papelão grande e deixe as crianças usarem-na como “garagem” para seus veículos de brinquedo. Elas também podem usar caixas menores como garagem de carros, ônibus e caminhões em miniatura.

Faça um relógio de sol com papelão: é uma ótima maneira de mostrar às crianças a mudança da órbita solar com o passar dos dias. Pegue um pedaço de 10 x 10 cm de papelão e finque uma haste ao meio. Se necessário, aparafuse ou pregue uma tábua pequena à ponta da haste, para mantê-la na vertical. Coloque o relógio num local ensolarado. De hora em hora, peça às crianças que marquem onde a sombra da haste aparece no papelão. Verifique novamente no dia seguinte, e o relógio de sol parecerá preciso. Mas verifique uma semana depois, e as sombras não se alinharão às marcas nas horas certas. Quando, curiosas, as crianças tentarem descobrir o motivo, d ê a elas uma pista: a Terra está inclinada sobre seu eixo.

Aulas de jardinagem para as crianças

Ensinar jardinagem aos filhos pode ser uma aula sobre as alegrias da economia e do raciocínio criativo. A criança que decide usar uma antiga vara de pescar como estaca para os tomates, um sapato velho como jardineira para ervas culinárias e uma esferográfica para deixar reto um caule de flor dobrado, certamente vai aprender a amar o desafio de resolver problemas empregando a imaginação – um florescente integrante da fraternidade do “faça você mesmo”.

Para começar, equipe seu filho com uma pequena pá e um balde, e deixe-o colocar a mão na terra. Ajude-o a plantar uma mistura de sementes de flores, verduras e legumes que produzirão plantas compactas, fáceis de cuidar, e deixe-o aprender por tentativa e erro. Seja o modelo, utilizando o maior número possível de objetos domésticos comuns, e logo ele seguirá seu exemplo.

No fim da estação de crescimento, mantenha as plantas no lugar, para que a criança possa observar o que acontece no jardim dela no outono e no inverno. Ao longo dos anos, esse canteiro pode aumentar  ela trabalhará sozinha – com sorte, como aprendiz na arte da autossuficiência :-)

Para as crianças: aula de jardinagem

Ensinar jardinagem aos filhos pode ser uma aula sobre as alegrias da economia e do raciocínio criativo. A criança que decide usar uma antiga vara de pescar como estaca para os tomates, um sapato velho como jardineira para ervas culinárias e uma esferográfica para deixar reto um caule de flor dobrado, certamente vai aprender a amar o desafio de resolver problemas empregando a imaginação – um florescente integrante da fraternidade do “faça você mesmo”.

Para começar, equipe seu filho com uma pequena pá e um balde, e deixe-o colocar a mão na terra. Ajude-o a plantar uma mistura de sementes de flores, verduras e legumes que produzirão plantas compactas, fáceis de cuidar, e deixe-o aprender por tentativa e erro. Seja o modelo, utilizando o maior número possível de objetos domésticos comuns, e logo ele seguirá seu exemplo.

No fim da estação de crescimento, mantenha as plantas no lugar, para que a criança possa observar o que acontece no jardim dela no outono e no inverno. Ao longo dos anos, esse canteiro pode aumentar  ela trabalhará sozinha – com sorte, como aprendiz na arte da autossuficiência :-)

Pinheirense adota embalagens oxibiodegradáveis

A Pinheirense já iniciou a adoção de embalagens oxibiodegradáveis; por enquanto, o Pão Tradicional Tipo Sueco de 180g apresenta a nova tecnologia, que contém o aditivo D2W, o que permite a completa degradação do plástico em um período de 18 meses, contra os 500 anos do plástico comum.

Pão Tradicional Tipo Sueco, 180g

O diferencial do plástico oxibiodegradável é justamente o de acelerar a sua degradação no meio ambiente, visando o menor impacto ambiental possível.

Destacamos algumas vantagens da embalagem oxibiodegradável:

A oxibiodegradação destas embalagens não deixa nenhum tipo de resíduo nocivo ao meio ambiente;

Embalagens oxibiodegradáveis são recicláveis por processos comuns, tais como: mecânica, energética ou química;

Tais embalagens são aprovadas para contato com alimentos;

Podem ser fabricados a partir de plásticos reciclados;

Podem ser reutilizados enquanto não começarem a degradar;

Não emitem Metano em sua degradação;