Dieta para tratar sinusite

Embora a nutrição não aja diretamente sobre a sinusite, algumas medidas alimentares podem ajudar bastante. Alguns pacientes com sinusite crônica dizem obter melhora após banirem laticínios de sua alimentação. As pessoas que desejarem experimentar essa abordagem devem consultar o médico, para saber se serão necessários suplementos ou um aumento de ingestão de alimentos ricos em cálcio, mas que não sejam derivados do leite.

Líquidos podem ajudar a diluir a secreção e estimular a drenagem: beba oito a dez copos de água; sucos, chás e sopas são ótimas pedidas.

Consuma muitas frutas, verduras e legumes frescos para obter vitamina C: frutas cítricas (além de seus sucos), uva e amora preta são úteis, já que também possuem bioflavonoides, pigmentos vegetais com propriedades anti-inflamatórias. Alimentos ricos em zinco estimulam o funcionamento imunológico e podem ter propriedades anti-inflamatórias: frutos do mar, carne, aves, leite, iogurte, feijão, nozes, sementes e grãos integrais.

Alguns alimentos são descongestionantes nasais naturais: entre eles estão o alho, a cebola, a pimenta e a raiz-forte. Ervas e temperos descongestionantes incluem gengibre, tomilho, cominho, cravo e canela.

Para alívio rápido, inale vapor ou cubra o rosto com toalhas quentes e úmidas, a fim de promover a drenagem e aumentar o fluxo sanguíneo na área. Chá quente ajuda a reduzir a congestão, pois contém teofilina, um composto que facilita a respiração, já que relaxa os músculos lisos das paredes do trato respiratório.

Inverno: cuidados com a pele do bebê

Durante o inverno, muitos pais se perguntam como cuidar adequadamente da pele do bebê, que costuma ficar ressecada devido a diferentes fatores, e não somente à temperatura mais fria.

Bebês e crianças podem ter crises da chamada dermatite atópica, que se manifesta em qualquer parte do corpo e, principalmente, nas dobras do pescoço, joelhos e cotovelos, através de placas vermelhas e coceira. 

Nos recém-nascidos, a camada mais externa da pele – extrato córneo- é bastante sensível, e precisa ser protegida do frio intenso, da água muito quente e de certos tecidos e produtos.

Na hora do banho, os responsáveis devem evitar esfregar a pele do bebê e usar água muito quente. O uso de sabonetes antissépticos e de esponjas ou buchas vegetais também não é recomendado. O ideal é dar preferência a sabonetes cremosos, lavando principalmente axilas, genitais e pés, sendo que as outras áreas devem ser lavadas apenas com a espuma de outros locais do corpo. Além disso, é essencial usar produtos hidratantes específicos para a idade, mas não sem antes consultar o pediatra.

Usar roupas de algodão, em detrimento das de lã, sobretudo na primeira camada, que fica em contato direto com a pele, também ajuda a evitar o problema, bem como não descuidar da hidratação da criança.

Para evitar o ressecamento da pele, algumas crianças, principalmente as com eczema atópico, precisam ainda usar emolientes após o banho.

Nos primeiros meses de vida, o ideal é não usar nenhum shampoo ou creme na pele do bebê. A espuma de banho da Cetaphil, por exemplo, é indicada, e pode ser usada da cabeça aos pés. Além disso, o creme, também da Cetaphil Dermopediatrics, é indicado para hidratação do rosto e corpo, e pode ser utilizado desde o primeiro dia de vida.

Combata as alergias típicas de inverno

Inale os vapores do eucalipto: Ferva folhas secas de Eucalyptus globulus amassadas; deixe descansar de 4 a 5 horas e côe os pedacinhos de folhas antes de aquecer o líquido para ser inalado. Você também pode adicionar de 5 a 10 gotas de óleo de eucalipto à água fumegante.

Coloque o recipiente na ponta de uma mesa, sente-se, incline a cabeça sobre ele e cubra-a com uma toalha para formar uma “tenda”. Respire a fumaça por cerca de 10 minutos, tomando cuidado para não ficar perto demais do vapor. Seus pulmões ficarão limpos e você ainda ganha um tratamento facial de bônus.

Contra a bronquite: O aroma penetrante da raiz-forte ralada, acompanhado do cheiro ácido do limão, ajuda a dissolver o muco nos canais dos seios da face e dos brônquios. Para fazer um xarope para tosse, rale um pedaço de raiz-forte sem casca em um recipiente ( ou use-a já preparada). Em seguida, transfira 50 g da raiz-forte ralada para um recipiente menor. Junte 80 ml de suco de limãe e misture bem. Beba 1/2 colher de chá da mistura de duas a três vezes ao dia. A ação expectorante deve provocar a tosse depois de cada dose, ajudando seus pulmões a se livrarem do muco.

Chá antialérgico: Para um chá antialérgico, esmague 2 a 3 colheres de chá de flores de camomila alemã, despeje 240 ml de água fervente, deixe descansar por 10 minutos, coe e beba de três a quatro vezes ao dia.

Cuidado: embora a camomila seja uma erva tradicional no combate à febre, ela pode agravar os sintomas de qualquer pessoa alérgica à tasna, também conhecida como erva-de-santiago, uma prima da camomila. Para as demais pessoas, o azuleno contido na camomila contém propriedades anti-inflamatórias, indicadas no tratamento de infecções do trato respiratório e alergias.

Rinite: Caso consiga urtiga fresca ( uma erva daninha comum em jardins), use luvas quando a colher e ao lavar as folhas. Adicione 120 g da folha a 6 xícaras de água fervente, reduza o fogo e cozinhe até a água ficar verde. Coe o líquido em peneira fina para um bule de chá grande.

Em épocas de rinite alérgica, beba uma xícara do chá de urtiga pela manhã e outra à tarde. Pode adoçar com mel.

Tangerina: fonte de vitamina C, betacaroteno e potássio

 

Além de ser fonte de vitamina C ( uma fruta de tamanho médio fornece cerca de 60% da Ingestão Diária Recomendada- IDR – para um adulto), as tangerinas são mais ricas em vitamina A ( na forma de betacaroteno) do que qualquer outra fruta cítrica.

Uma tangerina de tamanho médio apresenta 775 UI ( Unidade Internacional) ou 77 ER ( Equivalentes de Retinol) de vitamina A, e 130 mg de potássio, e somente 35 calorias. Além disso, ainda são ricas em pectina – uma fibra solúvel que ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue – e também possuem tangeretina, um flavonóide mais comumente encontrado nas frutas cítricas, que, segundo alguns estudos, seriam responsáveis por interferir em uma ou mais etapas do processo de formação de tumores.

Auxílio no tratamento de indisposições estomacais

Os chineses usavam a tangerina para tratar a indisposição estomacal, melhorar a náusea e como expectorante. Na França, esta fruta é dada para crianças, para curar a indigestão e o soluço.

Receita sustentável:

A casca da tangerina possui concentrações elevadas de vitaminas A, C, cálcio e fósforo, podendo ser usada para fazer doces e geleias.

Geleia de tangerina:

Ingredientes: Suco de 30 tangerinas; Casca de 5 tangerinas; 1 kg de açúcar orgânico.

Preparo:

Ferver as cascas das 5 tangerinas, trocando a água por três vezes;
Raspar a parte branca e descartar;
Cortar as cascas em tirinhas bem fininhas;
Levar ao fogo o suco das tangerinas, com o açúcar e as cascas em tirinhas;
Cozinhar em fogo baixo até atingir o ponto de geleia.

Dica: sirva com o Pão de trigo integral e com o tipo Sueco da Pinheirense. Uma delícia! Lembrando que nossos produtos são artesanais, integrais e livres de conservantes e outros produtos químicos.


Receita: Sagu ao leite

Ingredientes:

1 litro de leite desnatado
4 colheres (sopa) de açúcar
1 xícara (chá) de sagu
Canela em pau e em pó a gosto

Preparo:

Misture o leite com o açúcar. Junte o sagu e a canela em pó e mexa devagar. Despeje em um refratário e leve ao forno médio, preaquecido, mexendo de vez em quando enquanto cozinha. Deixe no forno até o sagu ficar macio. Retire e deixe esfriar. Decore com canela em pau e, se desejar, polvilhe a canela em pó.

Preparo: Demorado (acima de 45 minutos); Rendimento: 10; Dificuldade: Fácil; Categoria: Doce caseiro; Calorias: 170

Aprenda a deixar suas peças de couro sem mofo

Basta esfriar um pouco, para que lembremos daquelas peças de couro até então esquecidas no armário. Além de nos proteger do frio, o couro nunca sai de moda, e confere um look elegante e, dependendo do modelo, também despojado.

Mas todo ano é a mesma coisa: nos deparamos com jaquetas, sobretudos e demais pertences de couro mofados, com aquele aspecto e cheiro nada agradáveis.

O mofo/bolor é provocado por fungos, que se proliferam em locais úmidos e escuros e, em períodos do ano mais frios, principalmente no inverno, é ainda maior a proliferação do fungo causador do mofo.

O que fazer?

- Nunca guarde roupas de tecido ou couro em sacos ou capas plásticas, use as de algodão ou TNT. O plástico não deixa a peça respirar, ou seja: quando a temperatura sobe/esquenta o plástico sua – fica úmido. Depois, quando a temperatura cai/esfria, as gotículas caem nas roupas deixando-as úmidas. Com o tempo o mofo aparece – pela umidade e falta de luz.

- Outro erro comum é não arejar e limpar a roupa com freqüência. A cada 3 meses, é aconselhável colocar os artigos de couro para arejar em local ventilado e iluminado.Mas atenção: não coloque no sol.

- Outra dica é não guardar papéis e sacolas plásticas dentro dos armários, tão pouco encher as gavetas e prateleiras com caixas de papel. Isso evita a circulação de ar e ajuda na proliferação do mofo, traças e baratas.

- a cada 3 meses limpe as peças de couro com pano úmido bem torcido quase seco, coloque-as para arejar e evite os sacos plásticos.

- Umedeça um pano limpo e seco em vinagre de álcool puro.

- Passe no artigo/peça de couro que está com mofo ou com cheiro forte de guardado até limpá-la.

- Seque com pano seco e limpo

- Deixe arejar por duas horas em local ventilado e iluminado. Não exponha ao sol!

- Hidrate: Umedeça um pano limpo e seco em óleo de amêndoa.

- Passe no artigo/peça de couro.

- Deixe agir por 15 minutos

- Em seguida, passe um pano limpo e seco para retirar o excesso do óleo.

- Peças danificadas devem ser tratadas por lavanderias especializadas. Muitas vezes elas precisam passar por um tratamento mais intenso, inclusive raspagem.

Para espantar o frio: receita de caldo verde

Clássico da culinária brasileira, herança da gastronomia portuguesa, o caldo verde não apenas esquenta o corpo todo, como alimenta. Seus ingredientes são bastante encorpados. A couve combina perfeitamente com a linguiça. Já a batata dá a liga necessária para engrossar.

Veja como é fácil de fazer:

Ingredientes
6 batatas
1 tablete de caldo de galinha ou de carne
1 1/2 l de água
2 colheres (sopa) de azeite
1 paio
1 gomo de linguiça portuguesa
1/2 maço de couve

Modo de preparo
Em uma panela, coloque a água, o caldo de galinha ou de carne e as batatas. Após cozinhar, passar as batatas pelo espremedor ou amasse-as com o auxílio de um garfo. Coloque novamente na panela e adicione o paio e a linguiça portuguesa (fatiados). Cozinhe mais um pouco e acrescente azeite, sal e a couve. Desligue e sirva.