APLV: alternativas para a fase de amamentação

A sigla APLV refere-se à alergia à proteína do leite de vaca. Assim como outras alergias alimentares, ela ocorre quando o sistema imunológico reage a proteínas presentes nos alimentos por considerá-las elementos estranhos. O organismo inicia a produção de células inflamatórias e/ou anticorpos específicos (IgE) para combater as moléculas invasoras, desencadeando um processo alérgico.

Entre os principais sinais desse tipo de alergia estão aqueles de ordem digestiva, a exemplo de falta de apetite, vômitos, diarreia e sangue nas fezes. Outros sintomas comuns são os cutâneos, que incluem urticária (placas vermelhas na pele), dermatite atópica, coceira e inchaço. Vale lembrar também dos problemas respiratórios que os pequenos alérgicos à proteína do leite de vaca costumam apresentar – entre eles estão chiado no peito, pneumonia e tosse.

Não há um medicamento específico que trate a APLV. A principal forma de aliviar os sintomas é seguir uma dieta livre dos itens que provocam a alergia. A boa notícia é que a maior parte dos casos tende a desaparecer até os 5 anos de idade.

Além de conhecer os derivados do leite, pais e mães de pequenos com essa alergia devem estar atentos a substâncias com nomes muitas vezes complicados e que contêm a proteína do leite de vaca. De acordo com a SBP, algumas das principais são: alfacaseína, betacaseína, caseinato, alfalactoalbumina, betalactoglobulina, alfalactoglobulina, aroma de queijo, lactulose e lactose presente em medicamentos.

Alternativas às mães que amamentam:

No blog de Katia Ouang (minhasdikas.com), a Nutricionista Mariana Del Bosco escreveu sobre  a Alergia a Proteína do Leite de Vaca. Dentre outras informações, a profissional em questão apresenta alternativas às mães que amamentam, oferecendo dicas importantes a respeito dos cuidados em relação à alimentação, para não prejudicar o bebê.

“É bem difícil seguir a dieta isenta de alimentos que contêm as proteínas do leite. O leite está amplamente distribuído em preparações culinárias e nos alimentos industrializados, sendo assim, além de cortar o leite e seus derivados da dieta é preciso cozinhar de forma segura e checar a rotulagem de todos os alimentos industrializados.

O sanduíche vai ser bem diferente do habitual.  A começar pelo pão. Não há garantias que o pão da padaria não tenha sido contaminado com algum produto com leite. Já houve caso de padaria que usa leite em pó na receita para que o pão fique mais macio. Pães industrializados, por serem processados em equipamentos que tem contato com lácteos, podem conter traços de leite. Cheque nos SACs das empresas, quais pães são seguros para consumo. Na wickbold, o pão australiano está liberado, assim como toda a linha Pinheirense. Sugiro adquirir a máquina de pão para fazer receitas absolutamente seguras, saudáveis e deliciosas.”

Por não serem industrializados, os pães PInheirense são indicados em casos de APLV.

Leia a matéria completa em: http://www.minhasdikas.com/2013/03/coluna-da-mari-aplv.html

Pão Sueco com Aveia

O Pão Tipo Sueco light com Aveia faz parte da linha de produtos artesanais e sem conservantes produzidos pela Pinheirense. Além de saborosos, os nossos pães são saudáveis e possuem combinações variadas de sementes, que trazem inúmeros benefícios à saúde.

Benefícios da aveia:

A aveia apresenta efeitos benéficos sobre o colesterol, pressão arterial, níveis de açúcar no sangue, saciedade e saúde gastrointestinal. Excelente fonte de fibra solúvel, cálcio, ferro, manganês, folacina, vitamina E, tiamina, niacina, riboflavina e outras vitaminas do grupo B, ajuda na redução tanto do nível de açúcar no sangue quanto dos níveis de insulina, um fator importante no controle do diabetes.

O farelo de aveia é rico em betaglucano, o que ajuda a reduzir os níveis de colesterol, diminuindo os riscos de infartos. Alguns estudos demonstram que a aveia não apenas diminui o colesterol LDL, mas também aumenta os níveis do bom colesterol – o HDL.

Por possuir um valor elevado de saciedade, o que significa que leva um longo tempo para ser digerida, a sensação de fastio é mais duradoura. Acredita-se que tanto a proteína como as fibras de aveia contribuem para esse efeito.

Amendoim: aliado da saúde

Ao contrário do que muitos imaginam, o amendoim não é da família da amêndoa, mas uma leguminosa de origem vegetal que traz diversos benefícios para a saúde. É uma fonte de proteína e rico em gorduras monoinsaturadas, que ajudam a reduzir o “mau colesterol” (LDL).

Uma porção de 30 g de amendoim contém 40 mcg (microgramas) de ácido fólico, ou 16% da Ingestão Diária Recomendada, além de boas quantidades de potássio, tiamina, niacina, vitamina E, fósforo, magnésio, cobre, selênio e zinco. O amendoim também possui resveratrol (a substância encontrada no vinho tinto), além de outros flavonoides e antioxidantes.

Status de Superalimento 

Quando consumido regularmente, o amendoim pode reduzir tanto o risco de doenças do coração quanto o de diabetes tipo 2 nas mulheres. Para as pessoas que desejam emagrecer, esse alimento também é um bom aliado, pois ajuda a saciar a fome, proporcionando uma sensação de saciedade por mais tempo do que alimentos à base de carboidratos.

Pão Pinheirense e pasta de amendoim integral

A pasta de amendoim é uma opção prática, saudável e saborosa que combina com diferentes alimentos. É muito consumida por atletas, pois apresenta uma boa concentração de proteína, gorduras boas, fibras, vitaminas, minerais e zero de açúcar! Ela pode ser usada tanto como um hipercalórico natural para auxiliar na hipertrofia, ou como supressor natural de apetite (em quantidades menores) para quem está em fase de definição.

Experimente o Pão Integral Pinheirense com pasta de amendoim! Você vai ter energia de sobra para o seu treino! Todos os produtos da Pinheirense são integrais, artesanais e isentos de conservantes.

Conheça o mindful eating

Sabe aquele velho hábito de comer sem atenção, enquanto executa outras tarefas? Essa atitude rotineira nos faz comer em maior quantidade, além de aumentar nossa fome. Os alimentos desaparecem do prato, quando o cérebro mal registrou que estamos nos alimentando.

Mindful Eating é estar consciente sobre o que você come. A alimentação consciente envolve o desfrutar da comida, valorizando as diversas cores e texturas, sentindo a fragrância e o aroma do alimento. Comer devagar é aprender a saborear os vários ingredientes. 

Segundo o The Center for Mindful Eating, os princípios de comer com atenção plena são:

  • Permitir a si mesmo tornar-se consciente das oportunidades positivas e carinhosas que estão disponíveis através da seleção e preparação dos alimentos, respeitando a sua própria sabedoria interior.
  • Usar todos os seus sentidos na escolha do que comer para que seja gratificante para você e nutritivo para o seu corpo.
  • Reconhecer respostas aos alimentos (gostos, desgostos ou neutro) sem julgamento.
  • Se tornar consciente da fome e saciedade físicas para guiar suas decisões para começar e parar de comer.

Alguém que come de maneira consciente:

  1. Reconhece que não há maneira certa ou errada para comer, mas diferentes graus de consciência que cercam a experiência dos alimentos.
  2. Aceita que as suas experiências alimentares são únicas.
  3. É um indivíduo que por opção, direciona sua atenção para comer momento a momento.
  4. Ganha consciência de como pode fazer escolhas que suportem a saúde e o bem estar.
  5. Se torna consciente da interligação de terra, os seres vivos, das práticas culturais e o impacto de suas escolhas alimentares nesses sistemas.

Invista na clara de ovo

A clara de ovo é composta por 90% de água e 10% de proteínas. Cerca de 55% das proteínas da clara de ovo são formados pela albumina, que é considerada uma proteína de alto valor biológico (ou seja, é muito bem aproveitada pelo organismo), e que tem papel fundamental na reconstrução das fibras musculares. Confira os demais nutrientes:

-Selênio: uma única clara contém 9% das necessidades diárias;

-Potássio (2%);

-Magnésio (1%);

-Riboflavina (vitamina B2): 9% das necessidades diárias;

-Ácido pantotênico (B5): 1%;

-Colina;

-Betaína;

-Folato.

A clara de ovo é uma fonte de proteína barata e com teor quase zero de gordura. Além de ser utilizada por quem pratica atividade física e busca aumentar a massa muscular, há benefícios da clara de ovo para a saúde da pele e também para aqueles que estão querendo perder peso. O alto teor de proteínas da clara aumenta a saciedade e permite um consumo menor de calorias durante a refeição e ao longo do dia.

As claras também são uma alternativa saudável para quem adora ovo, mas está preocupado com os níveis de gordura da dieta.

Pasta de amendoim: status de superalimento!

Ao contrário do que muitos imaginam, o amendoim não é da família da amêndoa, mas uma leguminosa de origem vegetal que traz diversos benefícios para a saúde. É uma fonte de proteína rica em gorduras monoinsaturadas, que ajudam a reduzir o “mau colesterol” (LDL).

Uma porção de 30 g de amendoim contém 40 mcg (microgramas) de ácido fólico, ou 16% da Ingestão Diária Recomendada, além de boas quantidades de potássio, tiamina, niacina, vitamina E, fósforo, magnésio, cobre, selênio e zinco. O amendoim também possui resveratrol (a substância encontrada no vinho tinto), além de outros flavonoides e antioxidantes.

Status de Superalimento 

Quando consumido regularmente, o amendoim pode reduzir tanto o risco de doenças do coração quanto o de diabetes tipo 2 nas mulheres. Para as pessoas que desejam emagrecer, esse alimento também é um bom aliado, pois ajuda a saciar a fome, proporcionando uma sensação de saciedade por mais tempo do que alimentos à base de carboidratos.

Pão Pinheirense e pasta de amendoim integral

A pasta de amendoim é uma opção prática, saudável e saborosa que combina com diferentes alimentos. É muito consumida por atletas, pois apresenta uma boa concentração de proteína, gorduras boas, fibras, vitaminas, minerais e zero de açúcar! Ela pode ser usada tanto como um hipercalórico natural para auxiliar na hipertrofia, ou como supressor natural de apetite (em quantidades menores) para quem está em fase de definição.

Experimente o Pão Integral Pinheirense com pasta de amendoim! Você vai ter energia de sobra para o seu treino! Todos os produtos da Pinheirense são integrais, artesanais e isentos de conservantes.

Pães integrais com aveia

O Pão de Trigo Integral com Aveia e o Pão Tipo Sueco com Aveia fazem parte da linha de produtos artesanais e sem conservantes produzidos pela Pinheirense. Além de saborosos, os nossos pães possuem combinações variadas de sementes, que trazem inúmeros benefícios à saúde.

Benefícios da aveia:

A aveia apresenta efeitos benéficos sobre o colesterol, pressão arterial, níveis de açúcar no sangue, saciedade e saúde gastrointestinal. Excelente fonte de fibra solúvel, cálcio, ferro, manganês, folacina, vitamina E, tiamina, niacina, riboflavina e outras vitaminas do grupo B, ajuda na redução tanto do nível de açúcar no sangue quanto dos níveis de insulina, um fator importante no controle do diabetes.

O farelo de aveia é rico em betaglucano, o que ajuda a reduzir os níveis de colesterol, diminuindo os riscos de infartos. Alguns estudos demonstram que a aveia não apenas diminui o colesterol LDL, mas também aumenta os níveis do bom colesterol – o HDL.

Por possuir um valor elevado de saciedade, o que significa que leva um longo tempo para ser digerida, a sensação de fastio é mais duradoura. Acredita-se que tanto a proteína como as fibras de aveia contribuem para esse efeito.

Ômega-3 não protege o coração

Ao contrário do que muitos de nós imaginávamos, as cápsulas de ômega-3, um dos suplementos mais procurados e vendidos sem prescrição médica, não trazem benefícios ao sistema cardiovascular.

O Instituto Cochrane, responsável pela investigação, aponta que não há evidências suficientes de que a ingestão de alimentos ricos em ômega-3, ou de suplementos desse ácido graxo essencial, faça bem ao coração. Em contrapartida, o ácido alfa-linolênico (ALA), tipo de ômega-3 encontrado nas sementes de chia e linhaça, é o único que pode atenuar os riscos de doenças cardiovasculares e arritmia cardíaca.

Apesar dessa nova revelação acerca do ômega-3, o seu consumo traz muitos outros benefícios à saúde, e não deve ficar de fora da sua dieta. O ômega-3 é um tipo de gordura poli-insaturada, muito benéfica ao organismo. É essencial, ou seja, o corpo não consegue produzi-la, devendo ser obtida por meio da alimentação ou de suplementos especializados.

As gorduras são importantes fontes de energia, conferem sabor aos alimentos e são primordiais para a absorção, no intestino, das vitaminas lipossolúveis- vitamina A, vitamina D, vitamina E e vitamina K.

Benefícios:

  • Tem ação anti-inflamatória.
  • Fortalece o sistema imunológico.
  • Contribui para uma pele saudável.
  • Auxilia no controle da pressão arterial.
  • Possui efeito antitrombótico, ou seja, inibe a agregação plaquetária, além de estimular a vasodilatação.
  • Protege a retina.
  • Melhora o desempenho cognitivo.
  • Auxilia no tratamento da depressão.
  • Ajuda a reduzir os níveis de colesterol e triglicérides no sangue.

Poderosa linhaça!

Dentre os alimentos de origem vegetal, a linhaça dourada é o que mais possui ômega 3 em sua composição. Além disso, apresenta fibras, proteínas, vitaminas A, E, B1, B6, B12, potássio, sódio, fosforo, ferro, zinco, e outros minerais.

São muitos os benefícios da linhaça dourada para a saúde: melhora a saúde do coração, ajuda no controle do diabetes e de inflamações, auxilia na prevenção de determinados tipos de câncer, beneficia a saúde do intestino e melhora o sistema imunológico, ajuda no emagrecimento.

Dicas de consumo: 

Suco detox com linhaça dourada:

Ingredientes:

- 1 Fatia de abacaxi.

– 1 Folha de couve (tamanho médio).

– ½ Limão (apenas o suco).

– 1 Colher (chá) de semente de linhaça dourada.

– 1 Colher (café) de gengibre ralado.

– 200 ml de água.

– 2 Cubos de gelo.

Preparo:

Bater tudo no liquidificador, sem açúcar e sem coar, para não retirar as fibras e não deixar osuco calórico.

Farelo Funcional:

Ingredientes:

– 6 Colheres (sopa) de aveia em flocos grossos (SEM GLÚTEN).

– 6 Colheres (sopa) de linhaça dourada triturada.

– 6 Colheres (sopa) de farinha de amaranto.

– 6 Colheres (sopa) de quinoa.

Preparo:

Misture todos os ingredientes e guarde em um pote de vidro com tampa. Evite deixar aberto para que os grãos não percam qualidade nutricional e sensorial.

Molho para saladas:

Ingredientes:

– 2 Colheres (sopa) de farinha de linhaça dourada.
– 2 Colheres (sopa) de azeite de oliva.
– 3 Colheres (sopa) de shoyu.
– 2 dentes de alho amassados.
– ½ Xícara (chá) de água.
– 1 Tomate sem pele e sem semente.
– Suco de 2 limões.

Preparo:

Junte todos os ingredientes no liquidificador e bata bem.

Além de não utilizar conservantes e produtos químicos em seus produtos, a Pinheirense faz uso de combinações variadas de sementes, aumentando o poder nutritivo dos pães e seus benefícios à saúde. O pão de forma integral com linhaça e o pão tipo sueco com linhaça fazem parte da nossa linha de produtos integrais, artesanais e sem conservantes. Experimente!

Formas naturais para controlar a pressão alta

Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como conseqüência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Há quem pense que basta tomar os remédios para resolver o problema de pressão arterial elevada, contudo, promover algumas mudanças no estilo de vida é fundamental. Existem formas naturais que ajudam, e muito, no controle da pressão alta:

Alho: com ação analgésica, antibacteriana e expectorante, o alho consegue tratar aquela hipertensão arterial leve. Ele vem sendo usado desde a antiguidade por suas propriedades antimicrobianas e pelos efeitos benéficos ao coração e circulação.

Alimentos ricos em potássio: o potássio é um excelente diminuidor da pressão arterial, por ajudar a mandar o sódio embora do corpo. E há muitas formas de consumi-lo, já que está presente na abóbora, cenoura, feijão preto, inhame, lentilha, chicória, espinafre, vagem, abacate, rabanete, couve-flor, banana, laranja, maracujá, mamão e ameixa. Quando o potássio entra nas células, o sódio sai. Essa dinâmica garante o equilíbrio hidroelétrico do corpo.

Quem é adepto do sal light ou sal sem sódio (só com potássio) deve ficar atento. Médicos explicam que ele pode fazer muito mal para os que tomam remédios para controlar a pressão que são poupadores de potássio. O potássio em excesso faz com que os músculos percam a força e, como o coração é um músculo, pode causar batidas descompassadas ou até mesmo fazê-lo parar. O ideal é consumir o potássio por meio de alimentos naturais.

Alimentos com ômega 3 e 6: o brasileiro tem hábito de comer pouco peixe. Mas o salmão, arenque, cavala, atum e sardinha carregam ômega 3 e 6, que ajudam a retirar o excesso de gordura ruim do sangue. Com isso, a circulação flui melhor, ajudando a controlar a pressão arterial. Linhaça e chia também contêm esses ômegas. Lembrar de ingerir um pouco por dia faz bem à saúde.

Evite gorduras ruins da carne vermelha: não é preciso parar de consumir carne vermelha, mas prefira os cortes magros e os prepare grelhados, assados ou cozidos, já que gordura em excesso pode aumentar o colesterol e causar entupimento nos vasos, dificultando a circulação do sangue e aumentando a pressão arterial.

Use ervas para substituir o sal: que o sal dá um sabor especial a qualquer preparação é fato, mas ele também é o vilão para aumentar a pressão. Colocar menos sal e preencher essa lacuna com outros temperos como a cebola, salsa, coentro, orégano, cebolinha, louro ou limão ajudam a dar sabor à preparação. Experimente reduzir a quantidade de sal gradativamente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que se ingira menos de cinco gramas de sal, o que equivale a menos de duas gramas de sódio. Fique atento aos rótulos dos alimentos ultra-processados.

Diga não a alimentos industrializados e dietéticos: embutidos, enlatados, salgados e refrigerantes sem açúcar costumam conter muito sódio, que aumenta a pressão por causa da retenção de líquidos.