Dias chuvosos: cuidados essenciais para dirigir com segurança

Em períodos chuvosos, a atenção dos motoristas deve ser redobrada. Vale, portanto, anotar algumas dicas para que seu veículo esteja em perfeito equilíbrio dinâmico na hora de pegar a estrada.

Começando pelos pneus, é crucial que eles estejam em bom estado, com as ranhuras profundas e bem definidas, além, é claro, de estarem sempre calibrados conforme a especificação do fabricante. O mesmo vale para o estepe. As rodas também devem estar alinhadas e balanceadas, para que o veículo aproveite ao máximo – e sem vibrações – o potencial de aderência dos pneus.

Observados estes procedimentos, é hora de verificar a cambagem e o caster de cada uma das rodas.

Camber é o ângulo vertical da roda quando o carro é observado pela frente ou por trás. Se a base das rodas estiver projetada para fora, o carro terá mais aderência para percorrer curvas e menos aderência para acelerar ou frear em linha reta. Se, por outro lado, os pneus estiverem perfeitamente perpendiculares ao piso, então o carro terá muita aderência para acelerações e frenagens, mas deverá se mostrar escorregadio em curvas. Aqui, mais uma vez o ideal é seguir a recomendação do fabricante, que para a maioria dos carros gira em torno de 1º de inclinação externa.

Já o caster se mede pela inclinação para frente ou para trás da linha central do pivô de sustentação da roda. Sua aferição rotineira é importante, porque ao subir em calçadas ou colher buracos em estradas, as rodas – principalmente as dianteiras – podem sofrer pequenos recuos, alterando negativamente o comportamento do carro. Se uma roda estiver mais recuada que a outra, a direção do veículo irá puxar para o lado mais recuado. E mesmo que as duas rodas estejam igualmente recuadas, ainda assim o carro irá perder estabilidade e sensibilidade.

Com estas questões resolvidas, vale observar também a distribuição de peso dentro do automóvel. Se possível, distribua os passageiros de maneira que um lado do carro não fique muito mais pesado que o outro. A distribuição da bagagem também pode ajudar nessa tarefa, e é sempre conveniente que as malas mais pesadas sejam colocadas ao fundo do porta-malas, próximas ao banco traseiro. Assim garante-se um comportamento mais neutro por parte do veículo quando percorrendo curvas acentuadas.

Por fim, tenha a certeza de que seu carro está freando de forma similar em todas as quatro rodas (experimente frear levemente numa linha reta e sem inclinações, para ver se ele guina ou puxa para algum dos lados), e jamais dirija próximo a outros veículos. Esteja atento a manchas de óleo ou à presença de lama na pista, avisando sempre a quem vem no sentido contrário, e às autoridades competentes sobre os riscos encontrados.

Seguindo estas medidas simples, e observando o estado de molas e amortecedores, você estará no caminho certo para curtir este e muitos outros feriados.

Receita para um dia chuvoso

Em dias chuvosos, a vontade é de ficar embaixo do edredom, curtindo um bom filme e comendo guloseimas. Mas é possível substituir a pizza, o salgado gorduroso e doces cheios de calorias por alimentos saudáveis e também saborosos. Experimente o pão de queijo com mussarela de búfala, tapioca e linhaça:

Ingredientes:

  • 1 e ½ xícara de tapioca granulada
  • 3 xícaras de leite de inhame ou outro leite vegetal (coco, amêndoas, etc).
  • ¼ de xícara de óleo de coco, girassol ou azeite de oliva extra virgem
  • 1 ovo caipira
  • 1 xícara de mussarela de búfala, ou queijo sem lactose ou tofu (se optar por tofu, tempere com azeite, sal e orégano)
  • ¼ colher de sopa de sal marinho moído
  • 4 xícaras de polvilho doce
  • 2 colheres de sopa de linhaça
Preparo:
Aqueça o leite com o óleo de coco e despeje em uma tigela onde já esta a tapioca granulada. Reserve até esfriar. Quando a tapioca estiver fria, acrescente a mussarela de búfala, o ovo, e o polvilho aos poucos, até que fique em ponto de pão de queijo, desgrudando das mãos, mas não totalmente. Fica ainda mole. Passe água nas mãos para não grudar e faça bolinhas.

Asse em forno preaquecido a 180°, por 25 a 30 minutos.

Oscilação de temperatura e os cuidados com a saúde

Mudanças bruscas de temperatura costumam comprometer a saúde de muita gente, que se vê à procura de soluções milagrosas para gripes, resfriados e alergias respiratórias, como a asma, a rinite e a sinusite. Existem formas simples e econômicas de prevenir e combater tais sintomas. No post de hoje, selecionamos alguns deles.

Alimento saboroso e saudável

A sopa de galinha funciona não apenas porque seu vapor ajuda a aliviar a congestão nasal, mas, também, porque os ingredientes anti-inflamatórios presentes no caldo reduzem o movimento dos neutrófilos – as células brancas do sangue que estimulam a formação do muco nos pulmões e no nariz.

Para aumentar ainda mais o poder da canja no combate ao resfriado, acrescente dois dentes de alho descascados e triturados quando a água estiver quase fervendo. O alho contém componentes sulfurosos antivirais, e é sabido que estimula o sistema imunológico.

Combata a tosse:

O tomilho é um expectorante natural. Por isso, prepare uma panela de chá de tomilho para combater a tosse persistente.

Faça uma infusão com 2 colheres de sopa de folhas secas de tomilho em 6 xícaras de água quente durante 10 minutos. Coe o líquido em 1 xícara de chá, adoce com mel, se desejar, e beba 1 xícara cheia duas a três vezes por dia.

Combata a febre: 

Nos primeiros estágios da gripe é possível ajudar o corpo a combater a febre, recorrendo a um banho de esponja a cada uma hora.

Mergulhe uma esponja em água morna, esprema-a para retirar o excesso do líquido e banhe o rosto, ombros, peito e extremidades. Se a febre persistir, beba 1 a 2 xícaras de chá de gengibre em intervalos curtos e regulares.

A erva vai provocar o suor – forma pela qual o corpo vai reagir para diminuir a temperatura.

Existem infinitos remédios caseiros para a dor de garganta, e muitos realmente aliviam os sintomas. O mais popular e renomado é o gargarejo com água morna e sal. Você pode também fazer um gargarejo com meio copo de água e adicionar duas colheres de chá de vinagre de maçã.

Inale os vapores do eucalipto: Ferva folhas secas de Eucalyptus globulus amassadas; deixe descansar de 4 a 5 horas e coe os pedacinhos de folhas antes de aquecer o líquido para ser inalado. Você também pode adicionar de 5 a 10 gotas de óleo de eucalipto à água fumegante.

Coloque o recipiente na ponta de uma mesa, sente-se, incline a cabeça sobre ele e cubra-a com uma toalha para formar uma “tenda”. Respire a fumaça por cerca de 10 minutos, tomando cuidado para não ficar perto demais do vapor. Seus pulmões ficarão limpos e você ainda ganha um tratamento facial de bônus.

Contra a bronquite: O aroma penetrante da raiz-forte ralada, acompanhado do cheiro ácido do limão, ajuda a dissolver o muco nos canais dos seios da face e dos brônquios. Para fazer um xarope para tosse, rale um pedaço de raiz-forte sem casca em um recipiente ( ou use-a já preparada).

Em seguida, transfira 50 g da raiz-forte ralada para um recipiente menor. Junte 80 ml de suco de limão e misture bem. Beba 1/2 colher de chá da mistura de duas a três vezes ao dia. A ação expectorante deve provocar a tosse depois de cada dose, ajudando seus pulmões a se livrarem do muco.

Chá antialérgico: Para um chá antialérgico, esmague 2 a 3 colheres de chá de flores de camomila alemã, despeje 240 ml de água fervente, deixe descansar por 10 minutos, coe e beba de três a quatro vezes ao dia.

Cuidado: embora a camomila seja uma erva tradicional no combate à febre, ela pode agravar os sintomas de qualquer pessoa alérgica à tasna, também conhecida como erva-de-santiago, uma prima da camomila. Para as demais pessoas, o azuleno contido na camomila contém propriedades anti-inflamatórias, indicadas no tratamento de infecções do trato respiratório e alergias.

Rinite: Caso consiga urtiga fresca ( uma erva daninha comum em jardins), use luvas quando a colher e ao lavar as folhas. Adicione 120 g da folha a 6 xícaras de água fervente, reduza o fogo e cozinhe até a água ficar verde. Coe o líquido em peneira fina para um bule de chá grande.

Em épocas de rinite alérgica, beba uma xícara do chá de urtiga pela manhã e outra à tarde. Pode adoçar com mel.

Estação das chuvas: dicas para quem vai viajar

Verão combina com férias, que por sua vez combinam com pegar a estrada. No entanto, as altas temperaturas coincidem também com a estação das chuvas, tornando este um período potencialmente perigoso para quem gosta de viajar. Vale, portanto, anotar algumas dicas para que seu veículo esteja em perfeito equilíbrio dinâmico na hora de sair com a família.

Começando pelos pneus, é crucial que eles estejam em bom estado, com as ranhuras profundas e bem definidas, além, é claro, de estarem sempre calibrados conforme a especificação do fabricante. O mesmo vale para o estepe. As rodas também devem estar alinhadas e balanceadas, para que o veículo aproveite ao máximo – e sem vibrações – o potencial de aderência dos pneus.

Observados estes procedimentos, é hora de verificar a cambagem e o caster de cada uma das rodas.

Camber é o ângulo vertical da roda quando o carro é observado pela frente ou por trás. Se a base das rodas estiver projetada para fora, o carro terá mais aderência para percorrer curvas e menos aderência para acelerar ou frear em linha reta. Se, por outro lado, os pneus estiverem perfeitamente perpendiculares ao piso, então o carro terá muita aderência para acelerações e frenagens, mas deverá se mostrar escorregadio em curvas. Aqui, mais uma vez o ideal é seguir a recomendação do fabricante, que para a maioria dos carros gira em torno de 1º de inclinação externa.

Já o caster se mede pela inclinação para frente ou para trás da linha central do pivô de sustentação da roda. Sua aferição rotineira é importante, porque ao subir em calçadas ou colher buracos em estradas, as rodas – principalmente as dianteiras – podem sofrer pequenos recuos, alterando negativamente o comportamento do carro. Se uma roda estiver mais recuada que a outra, a direção do veículo irá puxar para o lado mais recuado. E mesmo que as duas rodas estejam igualmente recuadas, ainda assim o carro irá perder estabilidade e sensibilidade.

Com estas questões resolvidas, vale observar também a distribuição de peso dentro do automóvel. Se possível, distribua os passageiros de maneira que um lado do carro não fique muito mais pesado que o outro. A distribuição da bagagem também pode ajudar nessa tarefa, e é sempre conveniente que as malas mais pesadas sejam colocadas ao fundo do porta-malas, próximas ao banco traseiro. Assim garante-se um comportamento mais neutro por parte do veículo quando percorrendo curvas acentuadas.

Por fim, tenha a certeza de que seu carro está freando de forma similar em todas as quatro rodas (experimente frear levemente numa linha reta e sem inclinações, para ver se ele guina ou puxa para algum dos lados), e jamais dirija próximo a outros veículos. Esteja atento a manchas de óleo ou à presença de lama na pista, avisando sempre a quem vem no sentido contrário, e às autoridades competentes sobre os riscos encontrados.

Seguindo estas medidas simples, e observando o estado de molas e amortecedores, você estará no caminho certo para curtir com a família as maravilhas deste e de muitos outros verões.