Como me livrei dos sintomas da rinite

Desde que me entendo por gente, sofro com a rinite alérgica, aquela sensação desagradável de falta de ar, congestão nasal, nariz escorrendo (coriza), coceira no nariz e nos olhos, espirros sem fim, muitas vezes acompanhados de dor de cabeça.

Há três meses, parei de consumir leite (costumava tomar de duas a três canecas por dia) e, superando todas as minhas expectativas, os sintomas da rinite melhoraram MUITO, quase 100%! Nenhum médico, alergista, nutricionista ou coisa do gênero havia sugerido que o leite poderia ser um vilão, e muito menos me explicado a relação direta entre alimentação e alergia (não apenas a rinite).

Já sabia, obviamente, que a adoção de uma dieta saudável era fundamental para a saúde e qualidade de vida. Mas acredito que, assim como eu, muitas pessoas ouvem e leem essas coisas, concordam ( e até acham o máximo), porém, não colocam em prática tais avisos e conselhos. O ser humano, de um modo geral, tem o (péssimo) hábito de ir empurrando as coisas com a barriga, deixando sempre pra depois o que já poderia, há muito tempo, ter sido resolvido e evitado.

Foi o meu fisioterapeuta quem me alertou sobre a relação entre os laticínios e a rinite alérgica.”Tente cortar somente o leite. Tenho certeza de que irá ajudar”, disse ele. E posso, com muita segurança, dizer que me sinto novinha em folha após seguir o conselho dele. Além disso, (só para não perder o hábito) fui pesquisar na Internet sobre o assunto e descobri o que nenhum médico jamais havia me explicado:

“O corpo produz muco por si só. O que é ótimo para a saúde, porque essa substância pegajosa serve para hidratar o pulmão, lubrificar o esôfago, reter e eliminar micro-organismos que entram pelas vias aéreas, entre outras coisas. Ou seja, em quantidades normais, o muco é uma mão na roda para o sistema imunológico. O problema é quando o corpo começa a produzir muco demais. Isso pode acontecer quando a pessoa consome leite e derivados em excesso, por exemplo, pois os produtos lácteos causam um aumento na produção de muco ou engrossam o catarro existente. Além disso, me explicou a nutricionista Priscila Di Ciero, o leite tem muitas moléculas que conseguem atravessar e desequilibrar a mucosa intestinal. O organismo entende então que essas moléculas são substâncias estranhas e, portanto, devem ser combatidas e eliminadas. “As reações subsequentes desencadeiam aumento de produção de muco. E isso se deve às proteínas encontradas no leite de vaca que passam para a circulação sem serem devidamente digeridas”.” (leia mais no blog “Casa Vegana”)

Em dias frios, a alergia sempre piorava bastava, o que prejudicava bastante a qualidade do meu sono, assim como o meu humor. Em Nova Friburgo, cidade serrana do estado do Rio, a sensação é a de que o inverno já chegou, rs. Contudo, ao contrário do que acontecia comigo, repetidamente, ano após ano, não estou mais sofrendo com os sintomas da rinite. Pela manhã, em jejum, tomo meio copo de água fria com o suco puro de um limão. Espero de quinze a vinte minutos, para tomar um copo de iogurte natural desnatado, que passou a substituir a caneca de leite com Nescafé. 

Sinto-me renovada, mais disposta, mais feliz! E desejo o mesmo a todas as pessoas. Aproveito, para recomendar o livro “O Poder de Cura do Limão”, de Conceição Trucom. Essa fruta é capaz de fazer “milagres”… Vale muito a pena adotar a disciplina em todos os aspectos de nossa vida, inclusive, em relação à alimentação. Boa sorte!

Os benefícios do limão vão além dos listados nesta imagem!