O poder dos chás: bem-estar e saúde

O chá é uma bebida milenar conhecida no mundo inteiro. Sua história teve início na China, quando o imperador Shen Nung viu uma folha cair em um recipiente com água fervida e logo depois notou que a cor da água tornou-se acastanhada. Cientista e muito curioso, Shen resolveu experimentar e achou a bebida refrescante. Desde então, tem-se registros do uso do chá no território Chinês.

Quando chegou à Inglaterra – país onde a bebida tem grande popularidade -, o chá só fazia parte do cardápio da corte. Com o passar do tempo, a bebida se popularizou e caiu no gosto de todas as classes inglesas.

Além de uma bela história, o chá possui propriedades curativas, calmantes e refrescantes. Com uma grande variedade de cores e sabores fica fácil adaptá-lo aos costumes diários.

Vantagens do chá:

-É um estimulante refrescante, praticamente sem nenhuma caloria se tomado puro;

-Contém antioxidantes e bioflavonoides que podem reduzir o risco de câncer, doenças do coração e derrames;

-Contém tanino, que protege contra problemas dentários;

-Chás de ervas não contêm cafeína.

Confira alguns tipos de chás e as suas características:

Chá de hortelã: auxilia na digestão, em cólicas e dores estomacais. Pode ser usado em gargarejos para melhorar o hálito e dores de garganta. Combina com: bolo de chocolate.

Chá de camomila: a camomila tem propriedades calmantes e relaxantes, assim ajuda na qualidade do sono. Também é muito usada para diminuir o inchaço das temíveis olheiras. Combina com: pão integral e torradas.

Chá de erva-doce: ameniza as tosses e bronquite por apresentar características expectorantes e previne a retenção de líquido comum nas épocas quentes. Combina com: rosquinhas e bolos.

Chá mate: esse talvez seja o mais famoso de todos. A erva-mate tem poder estimulante, deixa o cérebro em alerta e o corpo pronto para a prática de atividades físicas. No calor, pode ser servido gelado, pois é bem refrescante. Combina com: sanduíche e pão de queijo.

Chá de urtiga: feito com a mesma planta que causa coceira na pele, o chá de urtiga é rico em vitamina C e em diversos sais minerais. Os herboristas recomendam que se tome este chá para o tratamento da artrite e da gota, e para aumentar a produção de leite nas mulheres durante o período de amamentação. Sirva com cubos de pão torrado.

Chá de hibisco: O chá de hibisco tem efeito diurético, por isso, é um aliado para evitar a retenção de líquidos. Também contribui para a diminuição do colesterol ruim, LDL, e aumento do colesterol bom, HDL; ajuda a baixar a pressão arterial; evita o acúmulo de gordura.

A bebida pode ser servida em qualquer hora do dia, é só escolher o sabor e se deliciar com os aromas e os sabores das ervas.

Cultive seu próprio jardim medicinal

No post de hoje, mostramos algumas ervas que podem compôr seu jardim medicinal. Basta investir um pouco de tempo e o valor das sementes, para, em seguida, poder preparar infusões, chás e bálsamos.

É importante escolher um local ensolarado e um solo fértil para preparar o jardim. As plantas perenes vão passar de estação a estação, enquanto as anuais devem ser replantadas ou transplantadas.

Manjericão: Anual. Colha as folhas novas do “rei das ervas” quando precisar. Usos: flatulência, falta de apetite, cortes e arranhões.

Camomila: Anual. Utilize as flores para infusões e pomadas. Usos: indigestão, ansiedade, inflamações cutâneas.

Tanaceto: Perene. Utilize flores e folhas para chás. Mastigue as folhas para aliviar a dor de cabeça. Usos: dores de cabeça, artrites, problemas da pele.

Erva-cidreira ou melissa: Perene. Da família da menta, a erva-cidreira é uma versátil erva medicinal. Usos: ansiedade, insônia, feridas, herpes, picadas de insetos, flatulência.

Salsa: Bianual. Semelhante à sua prima crespa P. crispum, essa erva é carregada de nutrientes. Usos: flatulência, dificuldade de respirar.

Sálvia: Perene. Seu nome significa “curar”, refletindo sua utilização primitiva como erva medicinal e não culinária. Usos: inflamações da boca e da garganta.

Hipérico: Perene. Suas folhas brilhantes e flores amarelas são as partes principais dessa erva. Usos: depressão leve a moderada.

Tomilho: Perene. O ativo principal do tomilho, o timol, é um forte antisséptico. Usos: tosses, congestão, indigestão, gases.

 

Jardim medicinal: aprenda a cultivar o seu

No post de hoje, mostramos algumas ervas que podem compôr seu jardim medicinal. Basta investir um pouco de tempo e o valor das sementes, para poder, em seguida, preparar infusões, chás e bálsamos.

É importante escolher um local ensolarado e um solo fértil para preparar o jardim. As plantas perenes vão passar de estação a estação, enquanto as anuais devem ser replantadas ou transplantadas.

Manjericão: Anual. Colha as folhas novas do “rei das ervas” quando precisar. Usos: flatulência, falta de apetite, cortes e arranhões.

Camomila: Anual. Utilize as flores para infusões e pomadas. Usos: indigestão, ansiedade, inflamações cutâneas.

Tanaceto: Perene. Utilize flores e folhas para chás. Mastigue as folhas para aliviar a dor de cabeça. Usos: dores de cabeça, artrites, problemas da pele.

Erva-cidreira ou melissa: Perene. Da família da menta, a erva-cidreira é uma versátil erva medicinal. Usos: ansiedade, insônia, feridas, herpes, picadas de insetos, flatulência.

Salsa: Bianual. Semelhante à sua prima crespa P. crispum, essa erva é carregada de nutrientes. Usos: flatulência, dificuldade de respirar.

Sálvia: Perene. Seu nome significa “curar”, refletindo sua utilização primitiva como erva medicinal e não culinária. Usos: inflamações da boca e da garganta.

Hipérico: Perene. Suas folhas brilhantes e flores amarelas são as partes principais dessa erva. Usos: depressão leve a moderada.

Tomilho: Perene. O ativo principal do tomilho, o timol, é um forte antisséptico. Usos: tosses, congestão, indigestão, gases.