Segurança na estrada em dias chuvosos

Em períodos chuvosos, a atenção dos motoristas deve ser redobrada. Vale, portanto, anotar algumas dicas para que seu veículo esteja em perfeito equilíbrio dinâmico na hora de pegar a estrada.

Começando pelos pneus, é crucial que eles estejam em bom estado, com as ranhuras profundas e bem definidas, além, é claro, de estarem sempre calibrados conforme a especificação do fabricante. O mesmo vale para o estepe. As rodas também devem estar alinhadas e balanceadas, para que o veículo aproveite ao máximo – e sem vibrações – o potencial de aderência dos pneus.

Observados estes procedimentos, é hora de verificar a cambagem e o caster de cada uma das rodas.

Camber é o ângulo vertical da roda quando o carro é observado pela frente ou por trás. Se a base das rodas estiver projetada para fora, o carro terá mais aderência para percorrer curvas e menos aderência para acelerar ou frear em linha reta. Se, por outro lado, os pneus estiverem perfeitamente perpendiculares ao piso, então o carro terá muita aderência para acelerações e frenagens, mas deverá se mostrar escorregadio em curvas. Aqui, mais uma vez o ideal é seguir a recomendação do fabricante, que para a maioria dos carros gira em torno de 1º de inclinação externa.

Já o caster se mede pela inclinação para frente ou para trás da linha central do pivô de sustentação da roda. Sua aferição rotineira é importante, porque ao subir em calçadas ou colher buracos em estradas, as rodas – principalmente as dianteiras – podem sofrer pequenos recuos, alterando negativamente o comportamento do carro. Se uma roda estiver mais recuada que a outra, a direção do veículo irá puxar para o lado mais recuado. E mesmo que as duas rodas estejam igualmente recuadas, ainda assim o carro irá perder estabilidade e sensibilidade.

Com estas questões resolvidas, vale observar também a distribuição de peso dentro do automóvel. Se possível, distribua os passageiros de maneira que um lado do carro não fique muito mais pesado que o outro. A distribuição da bagagem também pode ajudar nessa tarefa, e é sempre conveniente que as malas mais pesadas sejam colocadas ao fundo do porta-malas, próximas ao banco traseiro. Assim garante-se um comportamento mais neutro por parte do veículo quando percorrendo curvas acentuadas.

Por fim, tenha a certeza de que seu carro está freando de forma similar em todas as quatro rodas (experimente frear levemente numa linha reta e sem inclinações, para ver se ele guina ou puxa para algum dos lados), e jamais dirija próximo a outros veículos. Esteja atento a manchas de óleo ou à presença de lama na pista, avisando sempre a quem vem no sentido contrário, e às autoridades competentes sobre os riscos encontrados.

Seguindo estas medidas simples, e observando o estado de molas e amortecedores, você estará no caminho certo para curtir este e muitos outros feriados.

Dicas de viagem

Se viajar é um dos grandes prazeres da vida, torne sua viagem tranquila e agradável, cuidando passo a passo de cada detalhe. Confira dicas importantes:

Antes de definir seu destino, investigue tudo a respeito dos lugares a que pretende viajar;

Viajar na baixa estação sai bem mais barato: hotel, atrações, passagens;

Organize uma lista com itens que não podem faltar na sua bagagem;

Deixe pronto tudo o que for possível em casa e no trabalho antes de partir;

Providencie alguém para cuidar do recebimento de contas, correspondências e assinaturas durante sua ausência;

Antes de partir, durma um pouco mais, coma alimentos leves e beba bastante água.

Equilíbrio entre conforto e elegância

Procure viajar com tecidos que não amassem muito, como malhas e microfibras;

Sapatos se salto médio são confortáveis e ideais para enfrentar as diferenças climáticas;

Não exagere na bagagem. Escolha peças com cores neutras para facilitar as combinações. Tons escuros para calças, saias, blazers, sapatos e bolsas. Deixe as cores claras e tons vivos para as blusas e camisetas;

No nécessaire procure colocar cosméticos pequenos, descartáveis, analgésicos, antiácidos e medicamentos de primeiros-socorros contra enjoo;

Leve sacos plásticos para armazenar roupas sujas ou molhadas.

Sinais de bom relacionamento

Sempre que se hospedar na casa de alguém leve uma pequena lembrança para os anfitriões ou para as crianças;

Em viagens coletivas, evite fumar, passear pelos corredores e ouvir aparelhos sonoros em alto volume. Falar baixo é imprescindível;

Em outros países, quando entrar em locais públicos, cumprimente e agradeça na língua local;

As gorjetas variam conforme a cultura de cada região. Informe-se sobre os hábitos culturais de seu local de destino;

Mantenha o bom humor.

Dicas de viagem

Se viajar é um dos grandes prazeres da vida, torne sua viagem tranquila e agradável, cuidando passo a passo de cada detalhe. Confira dicas importantes:

Antes de definir seu destino, investigue tudo a respeito dos lugares a que pretende viajar;

Viajar na baixa estação sai bem mais barato: hotel, atrações, passagens;

Organize uma lista com itens que não podem faltar na sua bagagem;

Deixe pronto tudo o que for possível em casa e no trabalho antes de partir;

Providencie alguém para cuidar do recebimento de contas, correspondências e assinaturas durante sua ausência;

Antes de partir, durma um pouco mais, coma alimentos leves e beba bastante água.

Equilíbrio entre conforto e elegância

Procure viajar com tecidos que não amassem muito, como malhas e microfibras;

Sapatos se salto médio são confortáveis e ideais para enfrentar as diferenças climáticas;

Não exagere na bagagem. Escolha peças com cores neutras para facilitar as combinações. Tons escuros para calças, saias, blazers, sapatos e bolsas. Deixe as cores claras e tons vivos para as blusas e camisetas;

No nécessaire procure colocar cosméticos pequenos, descartáveis, analgésicos, antiácidos e medicamentos de primeiros-socorros contra enjoo;

Leve sacos plásticos para armazenar roupas sujas ou molhadas.

Sinais de bom relacionamento

Sempre que se hospedar na casa de alguém leve uma pequena lembrança para os anfitriões ou para as crianças;

Em viagens coletivas, evite fumar, passear pelos corredores e ouvir aparelhos sonoros em alto volume. Falar baixo é imprescindível;

Em outros países, quando entrar em locais públicos, cumprimente e agradeça na língua local;

As gorjetas variam conforme a cultura de cada região. Informe-se sobre os hábitos culturais de seu local de destino;

Mantenha o bom humor.

Dica para viajantes

Um pouco de bicarbonato

O bicarbonato de sódio, além de manter seu refrigerador sem cheiros desagradáveis, garante o mesmo para o conteúdo da sua mala.

Não é preciso levar uma caixa cheia. É só encher uma embalagem de remédio ou de filme fotográfico com bicarbonato de sódio e fazer pequenos furos na tampa. Talvez, vaze um pouco durante a viagem, mas é improvável que o bicarbonato estrague algum item ( para evitar vazamentos, coloque a embalagem em um dos bolsos internos da mala).

Além de simplesmente controlar odores, pode ser usado para preparar um escalda-pés e para limpar uma garrafa térmica.

Atenção: o bicarbonato de sódio pode levantar suspeitas em viagens de avião, portanto, procure saber quais são as regras de embarque no país que pretende visitar, e livre-se da substância antes do check-in do seu voo. Você sempre pode comprar um vidro novo – bem barato- quando chegar ;-)

Ecoturismo: opção de lazer e alternativa de desenvolvimento sustentável

 

“Eu também quero a volta à natureza. Mas essa volta não significa ir para trás, e sim para a frente”. Este pensamento, do filósofo Friedrich Nietzche, poderia traduzir as propostas do ecoturismo, um segmento da atividade turística que preza pela integração e interação do homem com a natureza, de maneira harmoniosa e sustentável.

Para tanto, a educação ambiental é crucial para que os adeptos desta atividade causem o menor impacto possível ao meio ambiente e consigam, de forma responsável e consciente, interagir com os patrimônios naturais e culturais.

O ecoturismo preza pela prática sustentável, uma vez que este segmento demanda a conservação da biodiversidade e utiliza os recursos naturais, culturais e sociais de forma planejada e racional.

A correria, o estresse e o consumismo desenfreado são alguns exemplos que servem para ilustrar o modo de vida atual. O ecoturismo surge como uma alternativa, uma fuga dessa realidade que tem sido questionada por aqueles que se veem encurralados, sufocados, tamanho o vazio do cotidiano e a superficialidade das relações mantidas no dia-a-dia.

Através do ecoturismo, são transmitidas curiosidades e informações relacionadas à natureza, cultura e história local, proporcionando uma integração educativa e envolvente com a região visitada.

A expressão ecoturismo é nova, surgiu na década de oitenta, e, desde então, tem chamado a atenção dos aspirantes a um estilo de vida mais saudável e dos interessados em manter uma atividade física junto à natureza. Além disso, empresários e profissionais do ramo de turismo perceberam as potencialidades desta atividade que vem crescendo rapidamente em todo mundo.

Segundo a Organização Mundial do Turismo, enquanto o segmento cresce 7,5% ao ano, o ecoturismo cresce mais de 20% e, aos poucos, órgãos e instituições ligados ao setor foram criados.

O potencial de mercado do ecoturismo no Brasil é enorme e promissor, visto que o país é privilegiado pela riqueza de ecossistemas e de biodiversidade. Já foram identificados por aqui 96 polos de ecoturismo, distribuídos entre as cinco regiões brasileiras.

Tamanha generosidade natural proporciona múltiplas opções: caminhadas, cavalgadas, mergulhos, passeios de barco ou uma simples observação da natureza.

Quatro condições básicas são necessárias para que uma atividade se classifique como ecoturismo: respeito às comunidades locais; envolvimento econômico efetivo das comunidades locais; respeito às condições naturais e conservação do meio ambiente e interação educacional – garantia de que o turista incorpore para a sua vida o que aprendeu durante a visita, gerando consciência para a preservação da natureza e dos patrimônios histórico, cultural e étnico.

Turismo Sustentável

Ao longo dos anos, a atividade turística tem provado que é altamente lucrativa e persuasiva. Com o desenvolvimento dos serviços de transporte, meios de comunicação, hospedagem, lazer e alimentação, principalmente, além da capacitação profissional do setor, o turismo alcançou seu ápice e, atualmente, tem como desafio transformar-se em uma indústria sustentável de fato.

Foto: Bruno Ponce

Desde o aparecimento da atividade turística, tal como a conhecemos, até os dias de hoje, muitas são as preocupações e questionamentos levantados pela sociedade mundial acerca dos seus impactos negativos nas regiões receptoras em níveis social, econômico, cultural e ambiental. O turismo sustentável surge como uma ferramenta de conservação dos recursos naturais, do crescimento econômico e da integridade sociocultural das áreas exploradas.

“Há um segmento da atividade turística que se confunde com a própria questão da sustentabilidade na medida em que proporciona a distribuição dos lucros, a preservação do meio ambiente e da cultura local, garantindo um bom legado às futuras gerações”, diz o empresário do setor hoteleiro, Nauro Grehs.

O empresário Nauro Grehs

Este segmento do turismo encontra-se em ascensão em todo o mundo, é a tendência atual e, nas regiões onde as ações sustentáveis já são colocadas em prática, nota-se uma grande evolução e a comprovação de que a atividade turística obtém muito mais vantagens, inclusive econômicas, quando em sintonia com a sustentabilidade. O Ecoturismo, segmento que cresce 7,5% ao ano, é considerado pelos especialistas como um grande aliado e propulsor do turismo sustentável, já que tem como princípio a conservação da biodiversidade e o uso dos recursos naturais, culturais e sociais de forma planejada e racional.

Para que a sustentabilidade do turismo seja possível, é preciso realizar um planejamento a longo prazo e fazer uso de indicadores de desempenho que possam monitorar a valorização econômica, ambiental e sócio-ambiental, além de investir em práticas e tecnologias que permitam minimizar impactos. A proteção do meio ambiente e o sucesso do desenvolvimento da atividade turística são inseparáveis.  

“O planejamento da atividade turística precisa desenvolver o controle da capacidade de carga de todas as áreas visitadas e com potencial turístico; deve-se educar tanto o turista, quanto a população local sobre a importância da preservação ambiental também para a manutenção de um turismo capaz de gerar benefícios econômicos e ambientais”, explica Nauro Grehs.