Steve Jobs, o visionário: exposição no MIS

A exposição “Steve Jobs, o visionário” permanece no Museu da Imagem e do Som (MIS) até o dia 20 de agosto. Em Steve Jobs, o visionário, um percurso estruturado por células narrativas – Espiritualidade, Inovação, Competição, Fracasso, Negócios e Sonho – concebido pelo escritório Migliore + Servetto Architects traz uma experiência rica e profunda do universo de Jobs. Nela, o público terá acesso a 209 itens entre fotos, reportagens, objetos pessoais, filmes e produtos históricos que mostram a forma como o empresário pensava e criava.
Uma das facetas mais emblemáticas de Steve Jobs é sua espiritualidade. Na célula dedicada ao tema, a primeira da exposição, o público encontra itens ligados à sua relação com o budismo além de uma videoinstalação que ilustra a escolha pelo nome Apple.

“Só há verdadeira inovação, quando a tecnologia é acessível a todos”. Essa frase de Jobs inspira a coleção disponível na célula Inovação que exibe importantes produtos desenvolvidos por ele e que foram saltos evolutivos na tecnologia de informação. Centenas de pequenas e grandes inovações foram criadas por ele. Nesta seção, o público tem acesso a ícones como o Apple II, o Macintosh, iMac, e a primeira geração do iPod, IPhone e iPad, entre outros.

A exposição tem continuidade na célula Competição, outra característica marcante de Steve Jobs, na qual são destacados os embates com IBM e Bill Gates, entre outros. Em Fracasso, o público conhece a peça mais rara da exposição: o Apple 1, fabricado em 1976, que foi adquirido em um leilão da Christie’s por U$ 213,6 mil, em novembro de 2010, por Marco Boglione, fundador e presidente do Grupo BasicNet, multinacional italiana proprietárias de numerosas marcas de roupa e acessórios para esporte e tempo livre, entre as quais Superga, Kappa, Robe di Kappa e K-Way. Hoje, o computador já triplicou de valor. Outro destaque nesse tema é o Lisa, que, lançado em 1983, foi o primeiro computador pessoal a ter um mouse e uma interface gráfica – mas foi considerado como um dos maiores fracassos da Apple.

Steve Jobs, o visionário
Data: 15 de junho a 20 de agosto
Horário: terças a sábados, das 12h às 21h; domingos e feriados, das 11h às 20h
Local: Espaço Expositivo 1º andar e Espaço Redondo
Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
Classificação etária: livre
Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Yoga Day

Hoje, 21 de junho, é comemorado o Dia Internacional do Yoga. A história do Yoga na América do Sul começou em 1920, na Argentina, e de lá, veio ao Brasil através de Swami Asuri Kapila. O Yoga se tornou mais conhecido por aqui somente na década de 60, através dos ensinamentos do Coronel Caio Miranda.

Os benefícios da Yoga são vários: reduz o estresse, melhora a concentração, a autoestima e  a autoaceitação, é uma ótima aliada da memória, ajuda a emagrecer e a fortalecer os músculos, melhora a flexibilidade e o equilíbrio, auxilia na cura da depressão e na diminuição da ansiedade, melhora a postura corporal, o desempenho sexual e a qualidade do sono.

Em São Paulo, o projeto “Arte de Viver” oferece no próximo sábado, 24 de junho, um evento gratuito em comemoração à data. O encontro acontece entre às 15h e 17h30, na Praça da Paz (portão 8)- Parque do Ibirapuera.

Carnaval 2017: como fazer uma máscara de renda

O Carnaval chegou e, para entrar ainda mais no clima de festa, muitos foliões vão à procura de uma fantasia. Se você prefere trajes mais discretos e elegantes, a máscara de renda é uma ótima opção! Ela confere um ar de mistério e sensualidade, mas sem cair no brega. Veja como fazer a sua:

Materiais: 

- Molde da máscara: clique para salvar e imprimir (http://ww12.sprinklesinsprings.com/)

- Papel Filme; fita adesiva; tule; tinta tridimensional ( cor que preferir); tesoura; fitas ou cola para cílios transparente.

Como fazer a sua máscara:

1- Primeiramente, você precisa imprimir o molde da máscara: http://ww12.sprinklesinsprings.com/. Se preferir, pode usar qualquer outro molde ou criar o seu.
2- Coloque o molde sobre a superfície de trabalho e cubra-o com papel filme e cole-o com fita adesiva para evitar que saia do lugar.
3- Coloque o tule por cima do papel filme e do molde e fixe-o com a fita adesiva. O tule é que irá segurar a sua máscara, mas o papel filme irá evitar que a tinta fique colada no papel.
4- A tinta tridimensional pode ser da cor que você preferir, mas, neste caso, é na cor preta. O bom da tinta tridimensional é que ela já possui um aplicador em forma de bico e faz com que o trabalho fique mais caprichado.
5- Use o aplicador para ir desenhando a renda, com muito cuidado. Nesta parte do trabalho, você precisa ter em mente que é muito importante que todas as líneas estejam em contato, para que a máscara tenha mais “corpo” e fique bem firme na hora de usar. Quando tiver completado a máscara, espere até que a tinta seque.
6- Quando a tinta estiver seca, corte a máscara pelo seu contorno e corte também o tule que está na abertura dos olhos, do contrário, ele irá te incomodar na hora de usá-la.
7- Para finalizar a sua máscara, é preciso colocar duas fitas para amarrá-la, uma a cada lado da máscara. A fita pode ser da cor que desejar e o comprimento pode variar de pessoa para pessoa, mas o recomendado é que tenha entre 1 a 2 centímetros de largura. Na hora de colar a fita, você poderá colá-la com um pouco de tinta tridimensional ou com cola quente.

Pinheirense: um caso de amor

Fundada em 1937 por duas famílias de hábeis padeiros europeus, a Pinheirense continua fiel a sua missão de produzir pães artesanais, isentos de conservantes. E foi a partir de uma história de amor que nasceu essa empresa familiar.

Na década de 1930, o jovem padeiro austríaco Henrich Palme trabalhava na cozinha da Confeitaria Vienense, endereço histórico que marcou época nos anos dourados da capital paulista. Ali, ele conheceu o alemão Albert Neubauer, um experiente boulanger, que antes de se mudar para o Brasil, durante a Primeira Guerra Mundial, teve durante muitos anos a própria padaria, em Kiel. Os dois colegas tornaram-se amigos. Mas foi por causa da filha de Albert, Else – também funcionária da Vienense-, que a amizade deles se estreitou.

Henrich apaixonou-se por Else. Casaram-se, selando um matrimônio duplamente duradouro. De um lado, o amor entre homem e mulher. Do outro, a frutífera sociedade entre sogro e genro, que culminou com o nascimento da Pinheirense, em 1937, na Rua Coropés, no bairro de Pinheiros.

A produção artesanal seguia a receita original trazida da Alemanha por Albert. É  a mesma até hoje. Elaborada com farinha de trigo integral, processada pela própria empresa, e ingredientes selecionados, não leva nenhum conservante. São duas linhas de produtos: o Pão Sueco-aquelas conhecidas casquinhas crocantes-, e o Pão Integral- perfumadíssimo e muito fresco!

O tempo passou, mas a marca ainda se mantém fiel à qualidade. A clientela também! A Pinheirense é um desses raros exemplos em que a tradição do velho se renova no frescor de cada fornada.

Para uma ceia de Natal mais gostosa e saudável

Já experimentou o Pão Integral de nozes e passas da Pinheirense?! Deixe sua ceia de Natal mais saborosa e saudável! Todos os nossos produtos são artesanais, integrais e livres de conservantes!

Confira as vantagens das nozes e da uva-passa para a saúde:

Nozes: Ricas em vitamina E e potássio;

A maioria é rica em minerais, incluindo cálcio, ferro, manganês e zinco;

Boa fonte de ácido fólico, niacina e outras vitaminas do complexo B, e de proteína.

Uva-passa: Rica em pectina e bioflavonóides;

Contém fitoquímicos que podem diminuir os riscos de doenças do coração, câncer e derrames;

Lanche ou sobremesa doces e pouco calóricas.

Primavera 2016: o poder das flores

Durante milhões de anos, as plantas reagiram e se adaptaram a incontáveis habitats, resultando na impressionante diversidade atual de espécies. As plantas exibem uma variedade surpreendente de poderes, da capacidade de absorver energia da luz solar a uma aptidão para explorar outras formas de vida.

As flores têm um objetivo: a reprodução. Elas são os órgãos sexuais das plantas, produzindo pólen (que contém células sexuais masculinas) e óvulos (células sexuais femininas). As sementes são a “prole”.

Embora a reprodução vegetativa seja bem-sucedida para muitas plantas, ela tem uma grande desvantagem: todas as plantas têm a mesma constituição genética. A reprodução sexuada permite que uma planta troque genes com outra da mesma espécie, levando à variação genética.

Por estarem enraizadas no solo, juntar as células sexuais femininas e masculinas é um problema, e AS FLORES SÃO A SOLUÇÃO. Durante milhões de anos, uma enorme diversidade de formas e cores de flores se desenvolveu com o objetivo de se aproveitarem de polinizadores específicos, como vento, insetos, pássaros, pequenos mamíferos ou lagartos.

Os polinizadores são como mensageiros, transferindo o pólen de uma flor para as partes femininas de outras. Em um jardim repleto de flores, a oferta é grande para os insetos, e cada planta precisa que suas flores sejam notadas- daí a enorme variedade de cores, formas e fragrâncias.

Paralimpíada: força e superação

Para além do espetáculo esportivo que a Paralimpíada nos proporciona, o evento inspira a reflexão sobre inúmeras questões existenciais. Os paratletas são verdadeiros exemplos de força, superação e resiliência.

Apesar de todas as dificuldades decorrentes de suas deficiências, essas pessoas conseguiram superar os seus limites, mostrando-nos que nada é impossível para aqueles que acreditam em si mesmos e têm amor pela vida.

Vivemos em mundo turbulento, onde a violência, os conflitos e outros males parecem não ter solução. Muitos indivíduos são acometidos por uma tristeza e um desânimo insuportáveis, não encontrando razão para viver, nem forças para superar os obstáculos que a vida lhes impõem.

Quais seriam as causas para tanta apatia e frustração? Vale muito a pena fazer essa reflexão, buscar ajuda e praticar o bem a si mesmo e ao próximo. Não é tarefa fácil mudar da noite para o dia, mas com força de vontade, esperança e paciência, consegue-se transformar uma vida amarga em uma existência plena, repleta de aprendizagens e momentos alegres.

Os paratetlas nos inspiram a superar as dificuldades, motivando-nos a viver com um propósito mais elevado: o de nos tornarmos seres humanos melhores e mais felizes. Força, resiliência e fé! Hoje e sempre!

Pinheirense comemora 79 anos!

Em 1937, surgia a Pinheirense, empresa paulistana fundada por talentosos imigrantes europeus que encontraram no Brasil a oportunidade de lançar a seleta receita preservada até os dias de hoje. Há 79 anos é mantida viva a tradição artesanal que garante a qualidade e sabor inconfundíveis de seus produtos.

O sucesso e longevidade comprovam o diferencial dessa empresa familiar, preocupada em conceber produtos saborosos e saudáveis, livres de conservantes e produtos químicos.

Aliados à produção artesanal, estão os grãos rigorosamente selecionados e ingredientes ricos em fibras e efeitos medicinais, como quinua, linhaça, castanha do Pará, kümmel, soja, dentre outros.

A Pinheirense está presente nos seguintes estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Brasília, Acre, Paraná, Goiás, Manaus.

O tempo passou, mas a marca permanece fiel às suas raízes e, sobretudo, à qualidade. Ao longo de seus 79 anos, a Pinheirense se tornou um desses raros exemplos em que a tradição do antigo se renova no frescor de cada fornada.

Pinheirense: há 79 anos, fidelizando clientes

Em 1937, surgia a Pinheirense, empresa paulistana fundada por talentosos imigrantes europeus que encontraram no Brasil a oportunidade de lançar a seleta receita preservada até os dias de hoje. Há 79 anos, é mantida viva a tradição artesanal que garante a qualidade e sabor inconfundíveis de seus produtos.

O sucesso e longevidade comprovam o diferencial dessa empresa familiar, preocupada em conceber produtos saborosos e saudáveis, livres de conservantes e produtos químicos.

O tempo passou, mas a marca permanece fiel às suas raízes e, sobretudo, à qualidade. E a clientela, também! Ao longo de seus 79 anos, a Pinheirense se tornou um desses raros exemplos em que a tradição do antigo se renova no frescor de cada fornada.

Páscoa: época de chocolate

Em 1502, a tripulação de Colombo retornava da quarta viagem ao Novo Mundo, quando levou na bagagem as primeiras sementes de cacau para a Europa. Durante os primeiros séculos, o chocolate era servido apenas como uma bebida. Na França do século XVIII, uma forma sólida do chocolate era vendida como um desjejum instantâneo.

Os efeitos estimulantes do chocolate, provocados por seu teor de cafeína, fez com que fosse considerado um alimento particularmente útil para os soldados que montavam guarda à noite.

Comercializada pela primeira vez por volta de 1910, a barra de chocolate chamou a atenção do público quando foi adotada pelo exército norte-americano, durante a Segunda Guerra Mundial, como o “alimento de combate”.

Componentes

Apesar de não ser uma rica fonte de nutrientes, o chocolate não é prejudicial à saúde quando consumido com moderação. Uma porção de 30 g de chocolate em barra apresenta cerca de 150 calorias e 2 ou 3 g de proteína. O grão original tem grandes doses de vitamina E e vitaminas B. Contudo, estes nutrientes estão muito diluídos, sendo negligenciados no chocolate processado de hoje.

O chocolate ao leite ou o meio amargo contém entre 40 e 53% de gordura ou de manteiga de cacau. Tanto o chocolate quanto o cacau em pó possuem cromo, ferro, magnésio, fósforo e potássio, mas a gordura e as calorias fazem do chocolate uma fonte inadequada desses minerais – exceto quando usado em suprimentos de emergência.

Um composto químico que previne o chocolate de ficar rançoso valorizou rapidamente a manteiga de cacau, transformando-a em um alimento de longa durabilidade e um óleo cosmético.

Prefira o chocolate amargo ao chocolate ao leite. O primeiro possui mais antioxidantes e menos gordura. O chocolate ao leite contém a gordura do leite, que é altamente saturada.