Primavera: flores que informam as horas

Diariamente, as plantas usam um “relógio” interno. Todos os seres vivos, incluindo os humanos, têm relógios internos que coordenam vários processos biológicos. No caso das plantas, atividades como o fechamento dos estômatos à noite são baseadas em um ritmo circadiano (um ciclo diário – do latim circa dies, “cerca de um dia”).

Esse ciclo foi observado pelo botânico Carl Lineu, no século XVIII. Ele percebeu que as flores de algumas plantas se abriam e se fechavam em determinadas horas do dia. A maravilha (Mirabilis jalapa), por exemplo, abre suas flores todos os dias por volta das quatro da tarde.

A dormideira (Mimosa pudica) pode retrair-se com a velocidade de um raio em reação ao toque. Comum nos trópicos, ela tem folhas compostas, formadas por numerosos folíolos, que se fecham em questão de segundos à primeira “mordiscada” de um inseto.

Já que as plantas reagem a estímulos, será que também são capazes de se comunicar?

Ecoturismo: opção de lazer e alternativa de desenvolvimento sustentável

“Eu também quero a volta à natureza. Mas essa volta não significa ir para trás, e sim para a frente”. Este pensamento, do filósofo Friedrich Nietzche, poderia traduzir as propostas do ecoturismo, um segmento da atividade turística que preza pela integração e interação do homem com a natureza, de maneira harmoniosa e sustentável.

Para tanto, a educação ambiental é crucial para que os adeptos desta atividade causem o menor impacto possível ao meio ambiente e consigam, de forma responsável e consciente, interagir com os patrimônios naturais e culturais.

O ecoturismo preza pela prática sustentável, uma vez que este segmento demanda a conservação da biodiversidade e utiliza os recursos naturais, culturais e sociais de forma planejada e racional.

A correria, o estresse e o consumismo desenfreado são alguns exemplos que servem para ilustrar o modelo de vida atual. O ecoturismo surge como uma alternativa, uma fuga dessa realidade, que tem sido questionada por aqueles que se veem encurralados, sufocados, tamanho o vazio do cotidiano e a superficialidade das relações mantidas no dia-a-dia.

Através do ecoturismo, são transmitidas curiosidades e informações relacionadas à natureza, cultura e história local, proporcionando uma integração educativa e envolvente com a região visitada.

A expressão ecoturismo é nova, surgiu na década de oitenta e, desde então, tem chamado a atenção dos aspirantes a um estilo de vida mais saudável e dos interessados em manter uma atividade física junto à natureza. Além disso, empresários e profissionais do ramo de turismo perceberam as potencialidades desta atividade, que vem crescendo rapidamente em todo mundo.

Segundo a Organização Mundial do Turismo, enquanto o segmento cresce 7,5% ao ano, o ecoturismo cresce mais de 20% e, aos poucos, órgãos e instituições ligados ao setor foram criados.

O potencial de mercado do ecoturismo no Brasil é enorme e promissor, visto que o país é privilegiado pela riqueza de ecossistemas e de biodiversidade. Já foram identificados por aqui 96 polos de ecoturismo, distribuídos entre as cinco regiões brasileiras.

Tamanha generosidade natural proporciona múltiplas opções: caminhadas, cavalgadas, mergulhos, passeios de barco ou uma simples observação da natureza.

Quatro condições básicas são necessárias para que uma atividade se classifique como ecoturismo: respeito às comunidades locais; envolvimento econômico efetivo das comunidades locais; respeito às condições naturais e conservação do meio ambiente e interação educacional – garantia de que o turista incorpore para a sua vida o que aprendeu durante a visita, gerando consciência para a preservação da natureza e dos patrimônios histórico, cultural e étnico.

Semana Mundial do Meio Ambiente

Comemorada entre os dias 30 de maio e 5 de junho, a Semana Mundial do Meio Ambiente busca chamar atenção em relação à ação política dos povos e dos países para o aumento da preservação ambiental e da conscientização.

A ONU (Organização das Nações Unidas) almeja, nesse período, estabelecer e personalizar questões ambientais, possibilitando a cada indivíduo a percepção de sua responsabilidade e como se tornar um agente de mudança, apoiando formas de desenvolvimento justo e sustentável.

O meio ambiente engloba todas as cosias vivas e não vivas existentes na Terra, ou ainda em determinada região dela, que vem a afetar ecossistemas e a vida dos seres humanos. O meio ambiente é o conjunto de leis, condições, influências e da infraestrutura física, biológica e química que rege, abriga e permite a vida em todas as formas possíveis.

Objetivos:

- Redução da poluição;

- Redução do consumo de combustíveis não-renováveis pela sociedade;

- Desenvolvimento de fontes alternativas de energias, que são renováveis ou não poluem;

- Proteção de ecossistemas;

- Preservação de espécies em perigo de extinção;

- Estabelecimento de reservas naturais para proteção da biodiversidade e de ecossistemas dos quais a vida em nosso planeta depende;

- Conscientização para um consumo sustentável;

- Tratamento adequado de resíduos, por meio de reciclagem ou reaproveitamento.

Reduza, reutilize, recicle

Reduza, reutilize e recicle: adote essa abordagem tríplice e se surpreenda com a economia que fará. 

A preferência por produtos que precisam de pouca ou nenhuma embalagem é um modo fácil de reduzir o que entra em sua casa e o que acaba no aterro sanitário. Reutilizar em vez de jogar fora é econômico – além de ser divertido inventar maneiras criativas para reaproveitar artigos domésticos. E tudo o que você encaminhar para a reciclagem, retornará em outros produtos.

Dicas para reduzir o lixo:

-Experimente usar sacos de papel, em vez de plástico, para embalar frutas e legumes no mercado.

-Leve sacolas reutilizáveis com você quando fizer compras.

- Prefira produtos que venham com o mínimo de embalagem, que usem embalagens recicláveis ou que venham em recipientes recarregáveis e/ou retornáveis. Algumas lojas de produtos naturais até incentivam os clientes a levarem seus próprios recipientes.

-Prefira produtos que podem ser reutilizados, como baterias recarregáveis, em vez das opções descartáveis.

Lista de reciclagem

Podem ser reciclados:

-garrafas e potes de vidro: remova as tampas;

- Papéis: jornais, revistas, catálogos de telefone, envelopes, embalagens, papelão, caixas de pizza;

-Latas de aço;

-Latas de aço de aerossol;

-Tampas de aço de potes de geleia;

-Tampas de metal de garrafas;

-Latas de alumínio;

-Embalagens de leite e suco;

- Garrafas PET;

-Lixo de jardinagem ( primeiro, use como adubo).

Semana Mundial do Meio Ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho, será lembrado em São Paulo com programação especial até o dia 7 de junho. A iniciativa inclui com destaque as cinco diretrizes de gestão na Secretaria do Meio Ambiente: conservação ambiental e restauração ecológica; redução da pegada ambiental: da produção e consumo sustentáveis à gestão eficiente de resíduos sólidos; vulnerabilidade ambiental e mudanças climáticas; gestão e conservação da fauna silvestre e licenciamento ambiental.

Confira a programação desta terça-feira, 02 de junho:

Diálogos de Educação Ambiental – Coordenadoria de Educação Ambiental

Ampliar a reflexão sobre Educação Ambiental no Sistema Ambiental Paulista e oportunizar momentos de diálogo com a academia (universidades).
Horário: 8h30 às 12h30
Local: Auditório Augusto Ruschi – SMA
Av. Professor Frederico Hermann Jr., 345 - Pinheiros
São Paulo – SP

Gincana nos Parques – Coordenadoria de Educação Ambiental

Intervenção no espaço, tendo em vista a melhoria da experiência de educação ambiental que o parque possibilita.
Temas abordados: Mobilização e intervenção no espaço
Local: Parque Polo Ecocultural Pedra Branca – SP
Av. Santa Inês, 3321, Jardim Peri
São Paulo – SP
Local: Parque da Juventude
Av. Cruzeiro do Sul, 2630 (ao lado do metrô Carandiru), Santana
São Paulo – SP

Cetesb

Inaugurações de Estações Automáticas de Monitoramento da Qualidade do Ar

João do Pulo e Vista Verde: instaladas em cumprimento à exigência do licenciamento ambiental de ampliação da PETROBRAS – REVAP.
Local: São José dos Campos – SP

Instituto de Botânica e Jardim Botânico

Programa Portas Abertas (Exposições)

A entrada do Jardim Botânico será gratuita neste dia e haverá programação especial com as seguintes atividades.
Abertura da exposição permanente: “A História do Botânico no Brasil.”
Local: Museu Botânico Dr. João Barbosa Rodrigues
Exposição “Água um bem precioso”
Local: Jardim Botânico – SP
Av. Miguel Stéfano, 3.031 - Água Funda
São Paulo – SP
Entrada gratuita

Instituto Florestal

SIMA – Semana Integrada do Meio Ambiente

Estação Experimental de São José do Rio Preto contribui na organização do evento e participará com um estande no dia 2 de junho, para divulgação das atividades e da missão do Instituto Florestal no estado, na região e no município.
Local: Praça Rui Barbosa – Centro
São José do Rio Preto – SP

Ambiente cultural

Local: Biblioteca Municipal
Rua Minas Gerais, 279  - Centro Avareense de Integração Social
Avaré – SP

Trilha “A cultura no ambiente”

Local: Horto Florestal
Rua Pernambuco, s/n – Ipiranga
Avaré – SP

Visita ao Aterro Sanitário Municipal

Local: Aterro Sanitário Municipal
Avaré/SP

Oficina pedagógica para professores “Por dentro da microbacia”

Local: E.E. Dona Benê de Andrade
Av. Paranapanema, 150 – São Luiz
Avaré – SP

Atendimento às escolas de educação infantil dando inicio ao Projeto Trilha do Beija-Flor

Local: Estação Ecológica Itirapina (214 km de SP, perto de Rio Claro)
Rua 8, s/n° – Santa Cruz
Itirapina – SP

Gincanas Ecológicas, oficinas de ecobrinquedos e plantio de mudas com as três escolas municipais e uma escola estadual situadas nas proximidades do Viveiro

Horário: das 8h às 17h
Local: Viveiro Florestal de Taubaté
Rod. Oswaldo Cruz – Km 14
Taubaté – SP

Zoo-SP (Fundação Parque Zoológico de São Paulo)

As apresentações didáticas e as apresentações no espaço “Vida de Bicho”

Apresentações em que educadores conversam sobre animais com o público. Durante esta semana, o tema abordado será “Meio Ambiente”.
Apresentações didáticas: 10h30, 11h30, 13h30 e 14h30.
Vida de Bicho: 11h e 14h.
Local: Zoológico de São Paulo
Av. Miguel Stéfano, 4.241 – Água Funda
São Paulo – SP

Fundação Florestal

Participação da UC no Festival da Mata Atlântica, com palestras, exposições, ações de limpeza da praia

Organização: Prefeitura de Ubatuba – Secretaria de Turismo
Local: APA Marinha Litoral Norte / Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE-SS)
Rua Esteves da Silva, 510 – Centro
Ubatuba – SP

Participação no Festival da Mata Atlântica, com palestras e trilhas

Local: PESM – Núcleo Picinguaba – Litoral Norte
Rua Esteves da Silva, 510 – Centro
Ubatuba – SP

Semana de diversas atividades com crianças, jovens e adultos. As atividades estão relacionadas com sensibilização para conservação e preservação da natureza

Local: PE Ilhabela (PEIb)
Praça Coronel Julião de Moura Negrão, 115 – Vila Centro
Ilhabela – SP

Palestras em escolas dos municípios abrangidos pela UC (Cananeia, Iguape, Ilha Comprida) com foco na preservação dos oceanos, oficina de mosaico de lixo.

Local: APA Marinha Litoral Sul
Rua Vladimir Besnard, s/n - Morro São João
Cananéia – SP

Palestra sobre a UC, sobre as bacias hidrográficas e visita a uma bacia.

Local: PE Restinga de Bertioga
Rua Gonçalo Da Costa, 140 – Centro
Bertioga – SP

Visita à estação de tratamento SABESP, plantio de espécies nativas, trilha da Água Branca, teatro de fantoches, exposição “Água e Vida”

Local: PE Ilhabela (PEIb)
Praça Coronel Julião de Moura Negrão, 115 – Vila Centro
Ilhabela – SP

Palestras; vídeos; trilha da Bica; trilha até o Mirante; atividades ao ar livre; dinâmicas

Local: PESM Curucutu
Rua Dom Sebastião Leme, 135 - Jardim Ivoty
Itanhaém – SP

Palestras sobre temas ambientais

Local: PESM Itariru
Estrada do Caracol , 410 - Caracol
Pedro de Toledo – SP

Exposição “ÁGUA”, circuito de atividades lúdicas/dinâmicas para escolas agendadas

Local: PE Cantareira – Núcleo Engordador
Av. Cel. Sezefredo Fagundes, (altura do nº 19.100) – Jardim Cachoeira
São Paulo – SP

Reduza o lixo!

Reduza, reutilize e recicle: adote essa abordagem tríplice e se surpreenda com a economia que fará. 

A preferência por produtos que precisam de pouca ou nenhuma embalagem é um modo fácil de reduzir o que entra em sua casa e o que acaba no aterro sanitário. Reutilizar em vez de jogar fora é econômico – além de ser divertido inventar maneiras criativas para reaproveitar artigos domésticos. E tudo o que você encaminhar para a reciclagem, retornará em outros produtos.

Dicas para reduzir o lixo:

-Experimente usar sacos de papel, em vez de plástico, para embalar frutas e legumes no mercado.

-Leve sacolas reutilizáveis com você quando fizer compras.

- Prefira produtos que venham com o mínimo de embalagem, que usem embalagens recicláveis ou que venham em recipientes recarregáveis e/ou retornáveis. Algumas lojas de produtos naturais até incentivam os clientes a levarem seus próprios recipientes.

-Prefira produtos que podem ser reutilizados, como baterias recarregáveis, em vez das opções descartáveis.

Lista de reciclagem

Podem ser reciclados:

-garrafas e potes de vidro: remova as tampas;

- Papéis: jornais, revistas, catálogos de telefone, envelopes, embalagens, papelão, caixas de pizza;

-Latas de aço;

-Latas de aço de aerossol;

-Tampas de aço de potes de geleia;

-Tampas de metal de garrafas;

-Latas de alumínio;

-Embalagens de leite e suco;

- Garrafas PET;

-Lixo de jardinagem ( primeiro, use como adubo).

 

Caixas de papelão: use e reuse

Os chineses inventaram o papelão no começo do século XV, prevendo, assim, há centenas de anos, a demanda de caixas para comida chinesa. Em 1871, o nova-iorquino Albert Jones patenteou a ideia de colar papel corrugado entre dois papelões para criar um material rígido o suficiente para ser usado na remessa de mercadorias.

Mas foi apenas em 1890 que outro americano, Robert Gair, inventou a caixa de papelão corrugado. As caixas eram pedaços planos de papelão previamente cortados e que se dobravam, transformando-se em caixas, exatamente como as caixas de papelão que conhecemos hoje.

Antes de dispensar caixas de papelão, pense em como elas ainda podem ser úteis e reutilizadas. Confira algumas dicas:

Proteção contra a poeira: mantenha a poeira longe de pequenos utensílios, ferramentas elétricas ou teclados, por exemplo. Corte as abas de uma caixa de papelão de modo que a mesma fique sobre o objeto, adorne-a ou cubra-a com papel adesivo e use-a como proteção contra poeira.

Faça um jogo americano de mesa: corte vários pedaços de 30 cm x 45 cm de papelão e cubra-os com papel adesivo colorido.

Armazene os enfeites de Natal: quando desmontar a árvore de Natal, embrulhe os enfeites em jornal ou papel de seda e guarde-os numa caixa de papelão vazia ou numa caixa de bebidas alcoólicas com divisórias. Neste caso, cada segmento da caixa tem capacidade para armazenar vários enfeites.

Garagem para carros de brinquedo: Vire de lado uma caixa de papelão grande e deixe as crianças usarem-na como “garagem” para seus veículos de brinquedo. Elas também podem usar caixas menores como garagem de carros, ônibus e caminhões em miniatura.

Faça um relógio de sol com papelão: é uma ótima maneira de mostrar às crianças a mudança da órbita solar com o passar dos dias. Pegue um pedaço de 10 x 10 cm de papelão e finque uma haste ao meio. Se necessário, aparafuse ou pregue uma tábua pequena à ponta da haste, para mantê-la na vertical. Coloque o relógio num local ensolarado. De hora em hora, peça às crianças que marquem onde a sombra da haste aparece no papelão. Verifique novamente no dia seguinte, e o relógio de sol parecerá preciso. Mas verifique uma semana depois, e as sombras não se alinharão às marcas nas horas certas. Quando, curiosas, as crianças tentarem descobrir o motivo, d ê a elas uma pista: a Terra está inclinada sobre seu eixo.