Greve dos caminhoneiros: cuidados ao comprar carnes

Dúvidas quanto a procedência e qualidade das carnes comercializadas no país aumentam cada vez mais entre os consumidores. É bom ficar atento a alguns detalhes, e evitar diferentes transtornos. Saiba quais cuidados tomar ao comprar esse alimento.

No caso da carne, julgue o livro pela capa. Mesmo não sendo o único fator de avaliação, deve, com certeza, ser levado em consideração. No caso do frango, sempre busque produtos frescos, em ambientes bem refrigerados e com aparência clara.

Para carne de porco, muito cuidado. Sempre procure padrões dentro do normal para cada corte, além de evitar aparências escurecida, com sinais de estarem velhas ou em conservação irregular.

Neste casos, é sempre importante ter um açougue ou comércio de confiança, em que você tenha certeza de que os produtos têm  boaprocedência e são bem armazenados. Sempre converse com o açougueiro, peça dicas e questione sobre a procedência e datas das carnes.

Além da aparência, carnes com odores também são perigosas. Caso compre uma peça que apresente cor escura e odores, retorne imediatamente ao estabelecimento e peça seu dinheiro de volta.

Produtos processados

Os produtos que passaram por algum processamento também são perigosos, pois podem ser “mascarados”. A carne moída, por exemplo, pode ser feita com carnes velhas, sendo uma tática utilizada por estabelecimentos irregulares para não desperdiçar as sobras.

Sempre peça para o açougueiro moer um pedaço de carne de sua escolha, para que assim tenha certeza da boa procedência do produto bruto.

Produtos embalados

Pensava-se que apenas os produtos vendidos fora de embalagens corriam riscos de má conservação. Muito pelo contrário. Aquele pequeno açougue perto de sua casa, pode ser muito mais higiênico e correto do que grandes empresas do segmento.

Quando desconfiar de carnes já embaladas, mesmo que sejam de grandes empresas, registre uma reclamação e peça a troca ou estorno do produto no local de compra. Sempre verifique a embalagem antes, constatando a origem e data de validade destes produtos.

Cuidado na sua conservação

Os produtos também podem perder qualidade na sua geladeira. Após abrir um pacote ou consumir uma fração de uma peça de carne, busque condições corretas de armazenamento. Consulte a validade de cada produto após ser congelado. Evite descongelar e fazer o recongelamento, prática que faz um empobrecimento da carne.

Faça denúncias

Para um controle adequado das condições sanitárias, faça denúncias de locais em que comprou produtos com aspecto ruim. Com essas reclamações, a vigilância sanitária poderá fazer as verificações e constatar se as condições são adequadas ou não. Cumpra com seu dever cívico e ajude os órgãos fiscalizadores a chegarem até os problemas.

Probióticos e Prebióticos para cuidar da saúde

Muita gente se confunde, mas probióticos e prebióticos são coisas diferentes, e ambos são vitais para a saúde. Graças a eles, podemos melhorar a digestão e fortalecer o sistema imunológico, para combater tanto as infecções, como muitos outros tipos de doenças.

Probióticos: A Organização Mundial da Saúde define probióticos como micro- organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, têm um efeito benéfico sobre a nossa saúde.

- Consumir probióticos como leites fermentados também nos protegem contra muitas doenças. No entanto, ressaltamos o termo “fermentado”. O leite natural pode ser, em muitos casos, mais tóxico do que benéfico ao nosso intestino, porque o que faz, muitas vezes, é “inflamá-lo”.

- Estes micro-organismos exercem também a função de mecanismo imunológico na mucosa intestinal. O que eles fazem é evitar que os microrganismos patogênicos prejudiciais cresçam e se desenvolvam.

- Você pode se assustar um pouco por pensar que o nosso sistema digestivo é “colonizado” por uma gama de bactérias. Isso é o que conhecemos como microbiota intestinal, que, além de vital para nossa saúde, é muito sensível ao tipo de alimento que comemos, bem como ao estresse, doenças e muitos tipos de medicamentos.

-São bactérias intestinais que nos permitem estimular os sucos digestivos e as enzimas naturais para obter uma boa digestão. Recomenda-se sempre comer alimentos probióticos orgânicos ou silvestres.

Prebióticos: Os prebióticos são um tipo de carboidrato que serve como substrato para os probióticos. Eles são componentes que nossos intestinos não digerem, mas que servem como uma base estrutural para fornecer a força para esses micro-organismos vivos que nos protegem contra os elementos nocivos.

- Sua função é estimular o sistema imunológico, favorecendo o desenvolvimento de bactérias benéficas na flora intestinal e impedindo o crescimento de patógenos.

-Os prebióticos nos ajudam a absorver alguns minerais como o cálcio e o magnésio.

- Nos ajudam a reduzir os gases e facilitam o equilíbrio intestinal.

-Combatem a prisão de ventre e a doença inflamatória intestinal.

Os melhores probióticos que você pode consumir diariamente: 

- kefir

- chucrute

- iogurte

-sopa de missô

- chá de kombucha

- azeitonas

-chocolate escuro (cacau 70 % ou mais, ou o consumo de aproximadamente duas colheres de pó de cacau ou um quadrado da barra)

- ervilhas

- queijo cotagge

Melhores prebióticos:

-alcachofras

- raiz de chicória

-alho

- cebola

-alho-poro

-farelo de trigo

-farinha de trigo

-banana

Pães integrais com kümmel

Os pães integrais com kümmel – de forma e tipo sueco- fazem parte da nossa linha de produtos artesanais e sem conservantes. Usada para fins medicinais e na culinária, o kümmel é uma planta herbácea, também considerada aromática.

O sabor das sementes dessa planta é parecido com o da erva doce. De origem europeia, o Kümmel (no Brasil, mais conhecido como alcarávia) ajuda na digestão.

Muito usado para aromatizar bolos, bolachas, pães, carne de porco e outras carnes gordurosas, além de ser aproveitado em queijos e sopas, é fundamental no preparo dos licores Wolfschmidt Kümmel, Mentzendorff Kümmel e Gilka Kümmel, da aguardente da escandinávia “Aquavit”, e do queijo tipo “Tilsit” alemão.

O sabor característico dos pratos preparados no sul da Alemanha e na Áustria é obtido com a utilização do Kümmel, geralmente misturado ao alho para o preparo de carnes e vegetais. Outra utilização clássica pode ser observada no Sauerkraut (Chucrute – preparado com repolhos fermentados e juníperos). No norte da África, especialmente na Tunísia, a alcarávia é utilizada no preparo de uma pasta apimentada chamada de harissa.

Versáteis, os Pães Pinheirense podem ser servidos junto a diferentes receitas e em várias ocasiões. Aproveite! Seu paladar e sua saúde agradecem!

Benefícios do óleo de coco

O óleo de coco emagrece, reduz o colesterol, acelera o metabolismo e controla diabetes. Descubra outros benefícios desta gordura do bem.

Aumenta o colesterol bom

O óleo de coco é eficaz para aumentar os níveis de colesterol HDL, que é conhecido como o colesterol “bom”. Pesquisas feitas com mulheres com obesidade abdominal mostraram que a HDL aumentou para aquelas que consumiram o óleo de coco. Em contraste, as mulheres que consomem óleo de soja apresentaram uma diminuição no colesterol HDL.

Diminui a sensação de fome:

Os triglicerídeos de cadeia média presentes no óleo de coco reduzem a sua sensação de fome, levando a uma redução espontânea da ingestão de calorias.

Faz bem para a pele:

Manter a pele hidratada faz parte de um dos benefícios do óleo de coco. Muitas mulheres já descobriram que ele é um hidratante maravilhoso para as pernas, braços e cotovelos. Você pode usá-lo em seu rosto também; embora isso não seja recomendado para pessoas com pele muito oleosa.

Ele também pode ajudar a reparar calcanhares rachados. Basta aplicar uma camada fina nos calcanhares na hora de dormir e calçar meias.

Combate infecções

O óleo de coco virgem tem fortes propriedades antibacterianas, que podem ajudar a combater infecções. Um estudo descobriu que ele ajuda a interromper o crescimento da bactéria intestinal Clostridium difficile, que é a responsável por causar diarreia grave.

Suas propriedades também são ótimas para combater várias outras bactérias e leveduras.

Cicatrização de feridas

Estudos feitos em ratos, cujas feridas foram tratadas com óleo de coco, mostraram uma redução dos marcadores inflamatórios, e o aumento da produção de colágeno, um componente importante da pele. Como resultado, as feridas foram curadas muito mais rápido.

Para acelerar a cicatrização de pequenos cortes ou arranhões, aplique um pouco de óleo de coco diretamente na ferida e cubra com uma bandagem.

Combate a candidíase

A Cândida albicans é um fungo responsável por infecções, que normalmente ocorrem em áreas quentes e úmidas do corpo, como a boca ou vagina.

O óleo de coco é um aliado ao combate da candidíase.

Melhora a saúde do fígado

A gordura saturada do óleo de coco protege o fígado de danos causados pelo álcool ou por toxinas.

Em uma pesquisa recente, observaram a diminuição nos marcadores inflamatórios do fígado, e um aumento da atividade das enzimas hepáticas benéficas. Por isso, tenha sempre ele por perto. 

Melhora a função cerebral

Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) se transformam em cetonas, que podem atuar como uma fonte alternativa de energia para o seu cérebro.

Vários estudos têm encontrado benefícios impressionantes desse óleo para distúrbios cerebrais, incluindo epilepsia e doença de Alzheimer.

Protege o cabelo

Um estudo comparou os efeitos do óleo de coco, óleo mineral e óleo de girassol no cabelo. O óleo de coco pode ajudar a reduzir a perda de proteína do cabelo, quando aplicado antes ou após a lavagem. Este resultado ocorreu com os cabelos danificados e também saudáveis.

Isso porque o ácido láurico, o ácido gordo principal do óleo de coco, consegue penetrar a haste do cabelo de modo que a maioria das outras gorduras não pode.

Pão integral e artesanal: nozes e passas

O Pão Integral de nozes e passas da Pinheirense é ideal para quem valoriza uma alimentação saudável e saborosa. Nossos pães são artesanais e isentos de conservantes. Seu paladar e sua saúde agradecem!

Confira os benefícios das nozes e da uva-passa para a saúde:

Nozes: Ricas em vitamina E e potássio.

A maioria é rica em minerais, incluindo cálcio, ferro, manganês e zinco.

Boa fonte de ácido fólico, niacina e outras vitaminas do complexo B, e de proteína.

Uva-passa: Rica em pectina e bioflavonóides.

Contém fitoquímicos que podem diminuir os riscos de doenças do coração, câncer e derrames.

Lanche ou sobremesa doces e pouco calóricas.

Receitas de sucos que curam

Os sucos são uma importante fonte de nutrientes e, além de saborosos, acompanham bem qualquer refeição. Consumir sucos de frutas e hortaliças frescas é uma das melhores formas de evitar diferentes doenças. Selecionamos algumas receitas de sucos que são indicados para uma série de males, como o colesterol alto, a insônia, a gripe, etc.

Suco contra colesterol alto: Ingredientes – 5 g de gengibre; 1 copo (americano) de água; 3 ramos de salsinha; 1/2 cenoura; 1 maçã média. Preparo: Pique em pedaços pequenos o gengibre, a maçã e os ramos de salsinha. Coloque no copo de liquidificador, junto com os demais ingredientes, e bata. Coe e beba em seguida.

Suco antidepressivo: Ingredientes: 5 g de folhas de maracujá; 2 folhas de limão; 20 ml de suco de uva; 20 ml de suco de maracujá; 20 ml de suco de maçã; 10 ml de chá de camomila; 1 copo (americano) de água. Preparo: Primeiro, faça um chá de folhas de limão e maracujá. Junte o chá de camomila, ferva a água e jogue na mistura. Leve ao liquidificador, junto com o restante dos ingredientes. Bata.

Suco contra pressão alta: Ingredientes: 1 limão siciliano grande; 1 copo (americano) de água mineral; 1 dente de alho. Preparo: Esprema o limão e junte o suco aos demais ingredientes no liquidificador, bata e beba em seguida.

Suco contra a Insônia: Ingredientes: 1 copo (americano) de água; 4 g de camomila; 2 g de melissa; 2 g de hortelã-pimenta; 1 folha de alface. Preparo: Fazer o chá por infusão das ervas e tomar logo em seguida.

Suco contra a gripe: Ingredientes: 3 ramos de agrião; 1 colher (sopa) de mel; 1 copo de água de coco; 3 ramos de hortelã. Preparo: Faça um chá com a hortelã e o agrião. Junte o chá com os demais ingredientes e bata no liquidificador.

Suco contra gota: Ingredientes: 1 copo (americano) de água de coco; 4 fatias médias de melancia; adoçante. Preparo: bata a melancia no liquidificador com as sementes, coe e acrescente a água de coco. Beba logo em seguida.

Vacina da gripe: quem pode tomar

No último dia 23 começou a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza, estratégia do Ministério da Saúde para diminuir o impacto da gripe em todo o país. O Dia D, considerado a data mais importante de mobilização nacional, está marcado para o dia 12 de maio.

Se você faz parte dos grupos de risco para complicações da doença, sua participação é primordial. A escolha desses grupos se deve ao fato de eles serem mais vulneráveis aos efeitos da gripe e sofrerem mais com seus sintomas e desdobramentos. A lista inclui:

  • Crianças de 6 meses a 5 anos
  • Pessoas com mais de 60 anos
  • Gestantes
  • Mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias
  • Profissionais da saúde
  • Professores da rede pública e particular
  • População indígena
  • Portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide
  • Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia
  • Portadores de trissomias, como as síndromes de Down e de Klinefelter
  • Pessoas privadas de liberdade
  • Adolescentes internados em instituições socioeducativas, como a Fundação Casa

A gripe é uma doença séria, que mata mais de 650 mil pessoas todos os anos, de acordo com um recente levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além de causar aqueles sintomas clássicos — febre alta, nariz entupido, cansaço e dor no corpo —, ela está por trás de complicações como pneumonia e infarto.

Por que investir na Auto Hemoterapia

Em um mundo onde a indústria farmacêutica lucra bilhões, falar de tratamentos alternativos pode gerar muitos ataques. Antiga, empregada pela primeira vez em 1911, a Auto Hemoterapia estimula o aumento dos macrófagos, fortalecendo o sistema imunológico. Trata-se de um recurso terapêutico simples, que se resume em retirar sangue de uma veia e aplicá-lo no músculo.

O sangue é retirado no momento em que será aplicado no paciente e não recebe nenhum tratamento. A quantidade de sangue a ser aplicada depende da doença que deve ser tratada e pode variar de 5 mililitros a 20 mililitros. Cada braço só pode receber até 5 mililitros e cada nádega até 10 mililitros, segundo Luiz Moura. Quando o organismo recebe o sangue no músculo, o reconhece como um corpo estranho que é rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (conjunto de células que ajudam na formação do sangue e também nos mecanismos de defesa). Com isso, aumenta a produção dos macrófagos que tem taxa normal de 5% e, com a aplicação, sobe para 22%. Esta taxa mais alta permanece por cinco dias e começa a declinar novamente para os 5%, por isso, deve-se fazer uma nova aplicação após uma semana.

A auto-Hemoterapia começou a ser pesquisada no início do século passado, e foi particularmente usada durante a Primeira Guerra Mundial, quando ainda não existia a penicilina e os antibióticos, e os soldados morriam, em sua maioria, devido a infecções hospitalares. Foi então que os médicos começaram a aplicar a auto hemoterapia, que reduziu drasticamente a taxa de mortalidade, nesses casos.

No processo de Auto Hemoterapia, quando o sangue do paciente é reintroduzido em seu próprio músculo, o sistema de defesa irá atacar o sangue, porque ele carrega vestígios da doença que já está instalada no organismo da pessoa. Este aparecimento súbito de resistência impulsionado pelo próprio organismo seria o responsável por combater a própria doença.

Segundo especialistas e defensores da área, a Auto Hemoterapia é capaz de curar diversas doenças. Em uma pesquisa realizada em busca de pessoas que disseram ter sido curadas através da terapia, as que mais foram citadas entre os pacientes foram:

  • Acne
  • Asma, Rinite, Bronquite e alergias
  • Psoríase
  • Doença de Crohn
  • Lupus
  • Artrite reumatoide
  • Cistos
  • Hipertensão
  • Hepatite C
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Poliomiosite
  • Escaras
  • Depressão
  • Amigdalite
  • Febre reumática
  • Gota
  • Disritmia e convulsões (epilepsia)
  • Dores e processos inflamatórios
  • Herpes
  • Distúrbios circulatórios e processos inflamatórios
  • Úlceras
  • Diabete
  • Hipertensão
  • entre outros
Saiba mais em: http://www.autohemoterapiabrasil.com/

Cozinha: cuidado com utensílios de madeira e plástico

Tanto a madeira quanto o plástico estão muito presentes em utensílios de cozinha-tábuas, colheres, moedores, soquetes etc. Porém, eles são, constantemente, condenados por serem nocivos à saúde.

madeira acumula grande quantidade de fungos e bactérias, e mesmo com uma boa higienização, esses germes continuarão vivos e se misturarão aos alimentos na primeira oportunidade. Por ser um material vivo, cheio de células, que, em contato com outro material orgânico, puxa os sulcos, a madeira, neste caso, oferece riscos à saúde. E não há uma metodologia correta, eficiente para a higienização. E por higienização, entende-se desinfecção e limpeza, que é o que deve ser feito com tudo que usamos na cozinha.

Ao saber dessa informação, muita gente pensa: “Bom, então o melhor a fazer é comprar utensílios de plástico!” Péssima ideia. Muitos tipos de plástico, como o PVC, podem lixiviar para alimentos e bebidas. A lixiviação aumenta quando o plástico entra em contato com alimentos oleosos e gordurosos – durante o aquecimento -, ou tem seu processo potencializado em plásticos velhos ou rachados, causando impactos negativos à saúde.

Além disso, a maioria dos plásticos precisam de aditivos e estabilizantes para tornarem-se utilizáveis. O chumbo, por exemplo, é muitas vezes adicionado para tornar o plástico mais resistente, enquanto plastificantes são agregados para dar maior flexibilidade ao material.

Além de todo o mal que fazem à saúde, esses aditivos tóxicos também contribuem para a poluição.

Se tanto utensílios de plástico quanto os de madeira são prejudiciais, o que fazer nesse caso? A resposta é bastante simples: bambu! Utilizado, há milênios, pelos asiáticos, o material vem se destacando e, pouco a pouco, começa a ser mais valorizado pelos brasileiros. Por não apresentarem poros, as fibras do bambu não acumulam resíduos, além de possuir ação bactericida natural. Diferente da madeira, que necessita do uso de bactericidas em sua composição, o bambu possui uma propriedade natural que elimina as bactérias.

Por serem leves e resistentes, os utensílios produzidos a partir do bambu são de fácil manuseio e longa durabilidade. Além disso, o seu preço também é muito acessível!

Em uma época onde se fala tanto em sustentabilidade, vale ressaltar que o bambu é um material 100% ecológico, uma vez que é renovável e não polui o meio ambiente.

A cada vez que um bambu é cortado, imediatamente um novo broto está nascendo para ser utilizado dali a 4 anos.

A adoção de utensílios de alumínio também é aconselhável. Escumadeiras, conchas e colheres de alumínio não oferecem riscos consideráveis à saúde, porque o tempo de contato com o alimento é curto. No entanto, armazenar comida em recipientes de alumínio por tempos longos não é indicado, já que os resíduos eliminados podem ser prejudiciais à saúde.