Vacina da gripe: quem pode tomar

No último dia 23 começou a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza, estratégia do Ministério da Saúde para diminuir o impacto da gripe em todo o país. O Dia D, considerado a data mais importante de mobilização nacional, está marcado para o dia 12 de maio.

Se você faz parte dos grupos de risco para complicações da doença, sua participação é primordial. A escolha desses grupos se deve ao fato de eles serem mais vulneráveis aos efeitos da gripe e sofrerem mais com seus sintomas e desdobramentos. A lista inclui:

  • Crianças de 6 meses a 5 anos
  • Pessoas com mais de 60 anos
  • Gestantes
  • Mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias
  • Profissionais da saúde
  • Professores da rede pública e particular
  • População indígena
  • Portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide
  • Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia
  • Portadores de trissomias, como as síndromes de Down e de Klinefelter
  • Pessoas privadas de liberdade
  • Adolescentes internados em instituições socioeducativas, como a Fundação Casa

A gripe é uma doença séria, que mata mais de 650 mil pessoas todos os anos, de acordo com um recente levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além de causar aqueles sintomas clássicos — febre alta, nariz entupido, cansaço e dor no corpo —, ela está por trás de complicações como pneumonia e infarto.

Por que investir na Auto Hemoterapia

Em um mundo onde a indústria farmacêutica lucra bilhões, falar de tratamentos alternativos pode gerar muitos ataques. Antiga, empregada pela primeira vez em 1911, a Auto Hemoterapia estimula o aumento dos macrófagos, fortalecendo o sistema imunológico. Trata-se de um recurso terapêutico simples, que se resume em retirar sangue de uma veia e aplicá-lo no músculo.

O sangue é retirado no momento em que será aplicado no paciente e não recebe nenhum tratamento. A quantidade de sangue a ser aplicada depende da doença que deve ser tratada e pode variar de 5 mililitros a 20 mililitros. Cada braço só pode receber até 5 mililitros e cada nádega até 10 mililitros, segundo Luiz Moura. Quando o organismo recebe o sangue no músculo, o reconhece como um corpo estranho que é rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (conjunto de células que ajudam na formação do sangue e também nos mecanismos de defesa). Com isso, aumenta a produção dos macrófagos que tem taxa normal de 5% e, com a aplicação, sobe para 22%. Esta taxa mais alta permanece por cinco dias e começa a declinar novamente para os 5%, por isso, deve-se fazer uma nova aplicação após uma semana.

A auto-Hemoterapia começou a ser pesquisada no início do século passado, e foi particularmente usada durante a Primeira Guerra Mundial, quando ainda não existia a penicilina e os antibióticos, e os soldados morriam, em sua maioria, devido a infecções hospitalares. Foi então que os médicos começaram a aplicar a auto hemoterapia, que reduziu drasticamente a taxa de mortalidade, nesses casos.

No processo de Auto Hemoterapia, quando o sangue do paciente é reintroduzido em seu próprio músculo, o sistema de defesa irá atacar o sangue, porque ele carrega vestígios da doença que já está instalada no organismo da pessoa. Este aparecimento súbito de resistência impulsionado pelo próprio organismo seria o responsável por combater a própria doença.

Segundo especialistas e defensores da área, a Auto Hemoterapia é capaz de curar diversas doenças. Em uma pesquisa realizada em busca de pessoas que disseram ter sido curadas através da terapia, as que mais foram citadas entre os pacientes foram:

  • Acne
  • Asma, Rinite, Bronquite e alergias
  • Psoríase
  • Doença de Crohn
  • Lupus
  • Artrite reumatoide
  • Cistos
  • Hipertensão
  • Hepatite C
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Poliomiosite
  • Escaras
  • Depressão
  • Amigdalite
  • Febre reumática
  • Gota
  • Disritmia e convulsões (epilepsia)
  • Dores e processos inflamatórios
  • Herpes
  • Distúrbios circulatórios e processos inflamatórios
  • Úlceras
  • Diabete
  • Hipertensão
  • entre outros
Saiba mais em: http://www.autohemoterapiabrasil.com/

Cozinha: cuidado com utensílios de madeira e plástico

Tanto a madeira quanto o plástico estão muito presentes em utensílios de cozinha-tábuas, colheres, moedores, soquetes etc. Porém, eles são, constantemente, condenados por serem nocivos à saúde.

madeira acumula grande quantidade de fungos e bactérias, e mesmo com uma boa higienização, esses germes continuarão vivos e se misturarão aos alimentos na primeira oportunidade. Por ser um material vivo, cheio de células, que, em contato com outro material orgânico, puxa os sulcos, a madeira, neste caso, oferece riscos à saúde. E não há uma metodologia correta, eficiente para a higienização. E por higienização, entende-se desinfecção e limpeza, que é o que deve ser feito com tudo que usamos na cozinha.

Ao saber dessa informação, muita gente pensa: “Bom, então o melhor a fazer é comprar utensílios de plástico!” Péssima ideia. Muitos tipos de plástico, como o PVC, podem lixiviar para alimentos e bebidas. A lixiviação aumenta quando o plástico entra em contato com alimentos oleosos e gordurosos – durante o aquecimento -, ou tem seu processo potencializado em plásticos velhos ou rachados, causando impactos negativos à saúde.

Além disso, a maioria dos plásticos precisam de aditivos e estabilizantes para tornarem-se utilizáveis. O chumbo, por exemplo, é muitas vezes adicionado para tornar o plástico mais resistente, enquanto plastificantes são agregados para dar maior flexibilidade ao material.

Além de todo o mal que fazem à saúde, esses aditivos tóxicos também contribuem para a poluição.

Se tanto utensílios de plástico quanto os de madeira são prejudiciais, o que fazer nesse caso? A resposta é bastante simples: bambu! Utilizado, há milênios, pelos asiáticos, o material vem se destacando e, pouco a pouco, começa a ser mais valorizado pelos brasileiros. Por não apresentarem poros, as fibras do bambu não acumulam resíduos, além de possuir ação bactericida natural. Diferente da madeira, que necessita do uso de bactericidas em sua composição, o bambu possui uma propriedade natural que elimina as bactérias.

Por serem leves e resistentes, os utensílios produzidos a partir do bambu são de fácil manuseio e longa durabilidade. Além disso, o seu preço também é muito acessível!

Em uma época onde se fala tanto em sustentabilidade, vale ressaltar que o bambu é um material 100% ecológico, uma vez que é renovável e não polui o meio ambiente.

A cada vez que um bambu é cortado, imediatamente um novo broto está nascendo para ser utilizado dali a 4 anos.

A adoção de utensílios de alumínio também é aconselhável. Escumadeiras, conchas e colheres de alumínio não oferecem riscos consideráveis à saúde, porque o tempo de contato com o alimento é curto. No entanto, armazenar comida em recipientes de alumínio por tempos longos não é indicado, já que os resíduos eliminados podem ser prejudiciais à saúde.

 

Pão tipo Sueco light com aveia

O Pão Tipo Sueco light com Aveia faz parte da linha de produtos artesanais e sem conservantes produzidos pela Pinheirense. Além de saborosos, os nossos pães são saudáveis e possuem combinações variadas de sementes, que trazem inúmeros benefícios à saúde.

Benefícios da aveia:

A aveia apresenta efeitos benéficos sobre o colesterol, pressão arterial, níveis de açúcar no sangue, saciedade e saúde gastrointestinal. Excelente fonte de fibra solúvel, cálcio, ferro, manganês, folacina, vitamina E, tiamina, niacina, riboflavina e outras vitaminas do grupo B, ajuda na redução tanto do nível de açúcar no sangue quanto dos níveis de insulina, um fator importante no controle do diabetes.

O farelo de aveia é rico em betaglucano, o que ajuda a reduzir os níveis de colesterol, diminuindo os riscos de infartos. Alguns estudos demonstram que a aveia não apenas diminui o colesterol LDL, mas também aumenta os níveis do bom colesterol – o HDL.

Por possuir um valor elevado de saciedade, o que significa que leva um longo tempo para ser digerida, a sensação de fastio é mais duradoura. Acredita-se que tanto a proteína como as fibras de aveia contribuem para esse efeito.

Atum ou sardinha?

Atum ou sardinha, qual a opção mais saudável? Tanto na forma in-natura, quanto em conserva, ambos são opções deliciosas de peixe para quem gosta de se alimentar bem e com praticidade. Mas qual é a melhor opção?

No que concerne aos produtos em conserva, vale ressaltar que, além do peixe, água, óleo de soja e sal também estão contidos no produto. No caso do atum, algumas marcas apresentam ainda extrato vegetal em pó de soja, cenoura e batata, e, por isso, podem conter alguns gramas de carboidratos.

1. Cuidado com o Coração:
O excesso de colesterol deixa os vasos sanguíneos congestionados. Para afastar este risco a melhor opção é o atum
Atum………………………16 mg de colesterol
Sardinha………………….31 mg de colesterol

2. Sem Pressão:
Um dos responsáveis pela hipertensão é o sódio que está muito mais presente na sardinha. Fique com o atum.
Atum…………………….. 130 mg de sódio
Sardinha………………….274 mg de sódio

3. Vida longa aos Ossos:
Diferentemente do concorrente, a sardinha fornece doses extras de cálcio. Esse mineral protege da osteoporose.
Sardinha…………………..330 mg de cálcio
Atum……………………….4,2 mg de cálcio

4. Proteção-cabeça:
O Ômega 3 é um nutriente importante para o cérebro. Neste item, é a sardinha que vence a disputa apertada.
Sardinha………………….1g de Ômega 3
Atum……………………… 0,6g de Ômega 3

5. Energia a Mais:
No quesito disposição, quem sai na frente é a sardinha. Ela tem uma pitada de carboidrato.
Sardinha…………………1g de carboidrato
Atum…………………….. 0g de carboidrato

6. Sangue Bom:
Há uma boa diferença na dose de ferro nos dois alimentos. Se a impressão é barrar a anemia, prefira a sardinha.
Sardinha…………………..2,1 mg de ferro
Atum………………………. 0,7 mg de ferro

7. Controle a Balança:
Não quer ver o ponteiro subir? Então opte pelo atum. Ele é ligeiramente menos calórica.
Sardinha………….. ……..2,1 mg de ferro
Atum………………………. 0,7 mg de ferro

As quantidades aqui comparadas correspondem a 60 gramas de atum e de sardinha em conversa em óleo (3 colheres de sopa de cada um).

Sinais e sintomas de deficiência de Vitamina D

Aproximadamente 80% das pessoas que vivem em um ambiente urbano são carentes em vitamina D. Além de fundamental para a saúde dos ossos, essa substância também age no coração, cérebro e no mecanismo de proliferação e inibição das células. É eficaz no fortalecimento do sistema de defesa do organismo, auxiliando no combate de doenças, como diabetes, hipertensão, esclerose múltipla e doença de Crohn, pois tem o poder de modular o sistema imunológico.

Fatores de risco comuns para a deficiência de vitamina D:

  • Ter a pele escura e não passar um tempo bom sob o sol.
  • Estar acima do peso ou obeso.
  • Viver longe do equador, onde há pouco sol durante o ano.
  • Sempre usar protetor solar quando sair (sim, protetor solar interfere na síntese de Vitamina D).
  • Passar a maior parte do tempo dentro de ambientes fechados.

Sinais e sintomas de deficiência de Vitamina D

-ficar doente ou contrair infecções com frequência;

- fadiga e cansaço;

- dor nos ossos e nas costas;

- depressão;

- dificuldades de cicatrização;

- perda óssea;

- perda de cabelo;

- dor muscular.

Como obter a Vitamina D

Para evitar a carência da substância é importante tomar de 15 a 20 minutos de sol ao dia. Braços e pernas devem estar expostos, pois a quantidade de vitamina D que será absorvida é proporcional à quantidade de pele exposta.

Todos os alimentos fontes de vitamina D são de origem animal porque as fontes vegetais não conseguem sintetizar a vitamina da maneira como os alimentos provenientes de animais. Até mesmo o salmão, alimento com as maiores quantidades da substância, apresenta somente 6,85% das necessidades diária de vitamina D em uma porção de 100 gramas. Sendo assim, tomar sol é fundamental para evitar a carência do nutriente.

Os suplementos de vitamina D podem ser utilizados em casos de constatação de carência da substância ou no tratamento de algumas doenças. A falta do nutriente é constatada após exame de sangue.

 

Propriedades medicinais da cúrcuma

A cúrcuma, também conhecida como açafrão-da-Índia, açafroa, cúrcuma longa, gengibre amarelo, raiz de sol e turmerico, é uma planta herbácea da família do gengibre, originária da Ásia. Por possuir compostos com propriedades medicinais, oferece diversos benefícios à saúde. A curcumina é o ingrediente ativo principal da cúrcuma, e tem efeitos anti-inflamatórios, além de ser um antioxidante muito forte. 

Por ser um poderoso anti-inflamatório, é muito efetiva para o tratamento de doenças inflamatórias como artrites, tendinites e machucados em geral. A planta também é um excelente purificador do sangue, ajudando a controlar o colesterol. Os chineses a usam nos seus tratamentos medicinais há mais de quatro mil anos e seu consumo é bastante seguro.

A maioria dos estudos sobre o açafrão mostra que seus benefícios à saúde ocorrem quando se consome uma dosagem superior a um grama por dia intercalado com as refeições. No entanto, é muito difícil chegar a este nível de consumo usando-o apenas como tempero dos alimentos.

Para obter seus efeitos completos, é preciso tomar um extrato que contenha quantidades significativas de curcumina. Já a absorção da mesma nos intestinos é potencializada ao ser consumida com pimenta do reino, gengibre ou azeite.

Pesquisas mostraram que o consumo diário de duas a três gramas de cúrcuma por um período de dois meses curou úlceras estomacais em até 75 por cento dos pacientes tratados.

Entre os principais benefícios da cúrcuma à saúde destacam-se:

- É um composto anti-inflamatório natural;

- aumenta drasticamente a capacidade antioxidante do organismo;

- reduz o risco de doença cardíaca;

- diminui os níveis de colesterol no organismo;

- melhora a função cerebral e diminui o risco de mal de Alzheimer;

- ajuda a prevenir e até mesmo a tratar alguns tipos de câncer;

- pacientes com artrite respondem muito bem à suplementação com curcumina;

- age na prevenção ao diabetes.

Sugestões de consumo: 

– Adicione cúrcuma ao ovo cozido da salada para dar-lhe uma cor amarela mais apetitosa;

– Misture o arroz integral com passas e castanha de caju e tempere com açafrão, cominho e coentro;

– Adicione a especiaria diretamente à couve-flor cozida no vapor, ou ainda faça um molho cremoso para acompanha-la adicionando açafrão e cebola seca a um pouco maionese, sal e pimenta.

– Cúrcuma é um ótimo tempero para incrementar as receitas que levam lentilhas.

– Dê aos molhos para salada um tom amarelo-alaranjado, adicionando um pouco de pó de açafrão a eles.

Pinheirense: Pão Sueco com gergelim

Assim como os demais produtos da Pinheirense,  o Pão tipo Sueco com Gergelim é integral, artesanal e isento de conservantes. Os muitos benefícios da semente de gergelim para a saúde derivam de seu teor nutricional, incluindo vitaminas, minerais, óleos naturais, e compostos orgânicos que consistem em cálcio, ferro, magnésio, fósforo, manganês, cobre, zinco, fibra, tiamina, vitamina B6, folato, proteína e triptofano.

O gergelim também auxilia no tratamento da hemorroida, do diabetes, na perda de peso, na prevenção do envelhecimento precoce, na manutenção de ossos saudáveis, além de melhorar a respiração, evitar a asma e ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares.

Dieta: erros comuns ao tentar cortar carboidratos

Uma dieta pobre em carboidratos densos – arroz, massas, farinha, biscoito, bolo, pães, etc- pode ser uma maneira eficaz de se perder peso e beneficiar a saúde. Contudo, muitas pessoas naufragam em uma dieta assim e não conseguem atingir seu objetivo: Por quê?

Cortar completamente as fontes desse nutriente: Ao cortar completamente as fontes de carboidrato, a pessoa se sente cansada, lenta e irritada. Além disso, uma dieta muito radical aumenta a vontade de atacar a primeira guloseima que aparece. 

Não ingerir os carboidratos certos: Nem todos os carboidratos são iguais: existem os simples e os complexos. Os primeiros são absorvidos rapidamente pelo organismo e estão presentes, por exemplo, no pão branco, em biscoitos e em bebidas açucaradas. Já os complexos – mais indicados para quem deseja emagrecer – estão nos alimentos integrais, como nos pães Pinheirense, e em vegetais como a batata-doce e a mandioca, e são digeridos mais devagar por conterem fibras. O resultado disso é mais saciedade.

Não controlar as porções: Nem sempre um alimento com baixa quantidade de carboidratos possui poucas calorias. Estar maneirando no arroz, no macarrão, no pão e na batata, por exemplo, não significa que você pode exagerar no consumo de outros alimentos. Por exemplo: carnes magras, frutas e legumes também podem prejudicar a sua dieta se forem ingeridos em excesso. Observar o tamanho da porção é muito importante quando se trata da perda de peso.