Antepasto de flor de bananeira

São vários os benefícios da flor da bananeira à saúde: por possuir substâncias que ajudam a prevenir o crescimento bacteriano patogênico, ajuda a curar infecções. Além disso, diabéticos podem consumi-la para reduzir o nível de açúcar no sangue e aumentar a hemoglobina no corpo, pois as flores são ricas em fibras e ferro que auxiliam na produção de glóbulos vermelhos; melhora a lactação, ajuda a curar o sangramento excessivo, mantém o útero saudável, restringe a prisão de ventre durante a gravidez; combate os radicais livres, doenças neurais, como o Mal de Parkinson e Alzheimer, podem ser prevenidas; auxilia na perda de peso; por ser rica em vitaminas C, A, E, fibra, potássio e magnésio, melhora o humor e diminui a ansiedade.

Existem diferentes receitas culinárias que usam o umbigo da banana, como saladas e pastas, por exemplo. Para prepará-lo, é preciso cortá-lo e conservá-lo em água e limão, para não escurecer, e depois ferver por duas a três vezes, para tirar o gosto cortante e amargo de banana verde- original do ingrediente. Em seguida, basta acrescentar o ingrediente de sua escolha ou simplesmente refogar com um pouco de cebola e alho.

Veja como preparar um delicioso antepasto de flor de bananeira:

Ingredientes:

4 corações de bananeira; ½ xicara de chá azeitonas pretas fatiadas; ½ xicara de chá de pimentão vermelho e amarelo em tirinhas finas; ½ xícara de chá de cebola cortada em tirinhas finas; ½ xicara de chá de azeite extra virgem; limão; orégano; sal a gosto.

Preparo: Em um pirex, coloque água, limão e uma pitada de bicarbonato. Pique o coração de bananeira em fatias e deixe-o de molho nessa água por 20 minutos. Após escorrer e jogar em água fervendo com bicarbonato e limão, escorrer e repetir novamente esse procedimento em água fervendo por somente 5 minutos. Reserve. Numa frigideira com azeite, sele rapidamente os pimentões, a cebola, o orégano e, quando desligar, acrescente a azeitona, o azeite e o limão. Misture tudo ao umbigo da bananeira. Sirva com os pães Pinheirense.

Como transportar crianças corretamente no carro

Dentro da realidade brasileira, nenhum problema de saúde pública conjuga tantos danos e tantas possibilidades de prevenção quanto os acidentes de trânsito. Por isso, tratar do assunto em suas várias facetas é tarefa de extrema importância para a sociedade como um todo. Investimentos, estrutura, legislação e, claro, conscientização.

Com o intuito de reforçar dicas e hábitos importantes, voltados tanto à manutenção preventiva quanto a uma direção mais defensiva, a Pinheirense publica este post dedicado à segurança no trânsito, mais especificamente, sobre a maneira correta de transportar crianças, em suas diversas faixas etárias.

Bebês e crianças até um ano de idade

Segundo a mais recente Resolução do CONTRAN, crianças de até um ano de idade deverão ser transportadas em cadeirinhas especialmente desenvolvidas para elas – as chamadas “conchinhas”. Estas possuem anatomia especial para que o corpo do bebê não sofra as consequências de acelerações mais bruscas, ou mesmo impactos de leve intensidade. Da mesma forma que protegem a frágil estrutura do pescoço do recém-nascido em relação a trepidações verticais, como aquelas causadas por buracos, por exemplo.

É importante lembrar que a conchinha sempre deve ser fixada no banco traseiro, de costas para o painel do carro. Os bebês ficam mais seguros se transportados virados para trás, porque a parte traseira do assento de segurança suportará melhor as costas, o pescoço e a cabeça da criança, no caso de uma colisão.

Por fim, a conchinha deve ser presa pelo cinto de segurança de três pontos do banco do automóvel. Além disso, o cinto de segurança da própria cadeira deve ser acionado sem que o bebê esteja envolto nas mantas ou cobertores, que podem ser colocados depois. Sempre que possível, uma terceira pessoa também deve ficar sentada no banco de trás, para observar qualquer movimento do bebê e, se necessário, acudi-lo.

Crianças entre 1 e 10 anos de idade

De modo geral, crianças com idade inferior a 10 anos só poderão ser transportadas no banco traseiro dos veículos. As duas únicas exceções a esta regra ficam para os casos em que o veículo possua apenas bancos dianteiros, ou a lotação dos bancos traseiros já tenha sido atingida por crianças ainda menores.

Após completar o 1º ano de idade, e ao longo dos próximos três anos de vida, a criança deverá ser transportada na cadeirinha específica, também fixada no banco traseiro. Esta, no entanto, ficará voltada para a frente do veículo.

Os assentos de segurança ficam pequenos para crianças com cerca de quatro anos, quando a nuca ultrapassar o encosto da cadeira. No entanto, elas ainda serão muito pequenas para utilizarem os cintos de segurança do automóvel, e isso não será seguro. Por conta disso, até os 7 anos e meio de idade é obrigatório o uso de um assento auxiliar chamado ‘Booster’, especialmente construído para que a criança possa fazer uso correto do cinto de segurança de três pontos do veículo.

Importante: nunca utilize almofadas para a criança sentar-se, pois numa desaceleração brusca a almofada geralmente escorrega e o corpo da criança abaixa, havendo a possibilidade de ocorrer estrangulamento.

Após os sete anos e meio, a criança já pode utilizar o cinto de segurança sem a ajuda de qualquer suporte específico, e após os 10 anos ela também já pode ocupar o banco da frente. Importante lembrar que veículos escolares seguem normas próprias, e não são obrigados a utilizar estes aparatos. Por fim, em relação às motos, crianças só podem ser transportadas nelas após completarem sete anos de idade.

Hambúrguer de shitake: nutritivo e saboroso

Nutritivo e saboroso, o cogumelo shitake ajuda a combater a anemia, fortalece os ossos, regula os níveis de colesterol, combate os radicais livres, fortalece o sistema imunológico, controla a pressão arterial e previne a trombose. Portanto, incluir esse alimento na dieta só trará benefícios à sua saúde. Saiba como preparar um delicioso hambúrguer vegano com shitake:

Ingredientes: 2 xícaras de shitake, 2 dentes de alho, 1/2 cebola roxa picada, cebolinha, salsinha, pimenta do reino, noz moscada.

Como fazer: Passe o shitake no moedor; em seguida, tempere-o com 2 dentes de alho, ½ cebola roxa picada, cebolinha, salsinha, pimenta do reino, noz moscada. Adicione 1 colher de sopa de semente de linhaça e 1 colher de sopa de farinha de arroz. Misture todos os ingredientes até formar uma massa e modele-o em formato de pequenos hambúrgueres. Leve ao forno pré-aquecido, a 200 graus, por aproximadamente 20 minutos. Se quiser deixar o prato ainda mais saudável, substitua o pão de hambúrguer tradicional pelo pão de forma integral Pinheirense- artesanal e isento de conservantes.

 

Dieta dos sucos

No post de hoje, selecionamos algumas receitas de sucos combinados- frutas + verduras- que ajudam bastante na perda de peso. Além de nutritivos, saudáveis e livres de gordura, são muito saborosos! Basta escolher aqueles que mais agradam ao seu paladar!

Abacaxi, laranja e limão: 1 rodela de abacaxi; 1 laranja, 1/2 limão com cascas; 100 ml de água. Preparo: corte a rodela de abacaxi em cubos. Descasque a laranja, deixando o máximo de pele branca. Corte-a em pedaços ou separe-a em gomos. Corte o limão em rodelas finas e bata tudo no liquidificador com água. Coe, acrescente gelo em cubinhos, se desejar, e sirva em seguida.

Cenoura, nabo, espinafre, alface e salsa: 5 cenouras, 6 folhas de espinafre, 4 folhas de alface, 1/4 de um nabo, 4 galhinhos de salsa, 200 ml de água. Preparo: corte as cenouras em fatias. Em seguida, coloque-as junto com os outros ingredientes no liquidificador. bata bem, coe e tome em seguida.

Uva, kiwi e laranja: 3 kiwis, 1 cacho de uvas, 1 laranja, 100 ml de água. Preparo: corte os kiwis em rodelas finas. Descasque a laranja, deixando o máximo de pele branca. Corte-a em pedaços ou separe-a em gomos. Leve as frutas todas juntas ao liquidificador, com água. Bata, coe e tome em seguida.

Caqui, abacaxi e pera: 1 caqui, 1 rodela de abacaxi, 1 pera, 150 ml de água. Preparo: corte o caqui e a pera em pedaços pequenos, descartando as sementes; o abacaxi, em cubos. Bata tudo no liquidificador, coe e tome em seguida.

Maçã, beterraba e laranja: 2 maças vermelhas, médias; 1 beterraba, 1 laranja, 150 ml de água. Preparo: corte as maçãs em pedaços pequenos e descarte as sementes. Rale a beterraba. Descasque a laranja, deixando toda aquela parte branca ao redor dela. Depois, corte a laranja em pedaços menores e bata tudo na centrífuga com a água.

Goiaba e hortelã: 1 colher (sopa) de mel, 2 folhas de hortelã, 1 goiaba vermelha picada, 1 xícara (chá) de água. Preparo: bata todos os ingredientes no liquidificador, coe e sirva.

Melancia e água de coco: 1 copo (americano) de água de coco; 4 fatias médias de melancia. Preparo: bata tudo no liquidificador, coe e sirva.

Morango e alface: 1 xícara (chá) de morangos picados, 1 colher (sopa) de mel, 2 folhas de alface, 1 xícara (chá) de água. Preparo: bata todos os ingredientes no liquidificador, coe e sirva.

Benefícios da castanha do pará

São vários os benefícios provenientes do consumo da castanha do Pará, que pode ser consumida torrada, em doces e sorvetes, in natura, na forma de farinhas, em receitas salgadas e doces.

Muita rica em nutrientes, é composta por fibras, proteínas, cálcio, ferro, potássio, zinco, selênio, vitamina e ácido fólico. As gorduras mono e poliinsaturadas presentes na castanha do Pará ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim do sangue (LDL) e a aumentar o bom colesterol (HDL).

Já é comprovado que também auxilia no combate à propagação do câncer, diminuindo a sua incidência. Além de melhorar o sistema imunológico, ajuda a equilibrar a atuação dos hormônios da tireoide. Como se não bastasse, é um poderoso antioxidante.

Ao se mastigar apenas uma única castanha-do-pará, pode-se superproteger as unidades microscópicas do organismo, devido ao selênio, que é um mineral muito importante para se ter uma vida longa e saudável, combatendo o envelhecimento celular causado pela ação dos radicais livres.

Devido a grande quantidade de selênio presente na castanha do Pará, o consumo de uma única unidade diária supre as necessidades do corpo. Justamente por ser um mineral antioxidante, o selênio combate os radicais livres, fortalece o sistema imunológico e ainda ajuda a evitar tumores.

O zinco, presente na castanha-do-pará, tem papel fundamental na produção de glóbulos brancos. Ajuda a controlar a pressão e a amenizar sintomas da tensão pré-menstrual, sem falar no potássio, um grande aliado no desenvolvimento dos músculos.

Como prevenir problemas na tireoide

Com forma bem parecida com a de uma borboleta, a glândula tireoide é localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão. Reguladora da função de importantes órgãos como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, ela produz os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina).

Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo,  ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Nessas duas situações, o volume da glândula pode aumentar, o que é conhecido como bócio. 

Veja como prevenir problemas na tireoide:

Crie o hábito de comer peixe, principalmente de águas frias e profundas do oceano. Além de serem ricos em ácidos graxos ômega-3, são excelentes fontes de iodo, fundamental para o funcionamento da glândula tireoide, além de minerais como o selênio e o magnésio.

Minimize o consumo de açúcar e farináceos. Em se tratando de alimentação e tireoide, altos níveis de açúcar no sangue podem desregular o funcionamento da sua glândula tireoide.

Consuma alimentos ricos em iodo. Em pequenas quantidades, ele é necessário para a função da glândula tireoide, assim como o metabolismo das gorduras, produção de hormônios sexuais e uma série de processos bioquímicos. Cãibras musculares, dores de cabeça, depressão, pés frios, mãos geladas e ganho de peso podem ser sinal de deficiência dessa substância. Deficiências de iodo podem aumentar a suscetibilidade para doenças como o câncer de mama e a pólio.

Alguns alimentos ricos em iodo são: frutos do mar, sal não refinado, algas marinhas, caldo de peixe caseiro, manteiga (não margarina), abacaxi, alcachofra, aspargos e uma série de verduras de coloração mais escura. Para que possa ser utilizado pelo organismo, o iodo requer níveis adequados de vitamina A, que são obtidos através da ingestão de manteiga e gorduras de origem animal em moderação (de animais criados soltos, e não em cativeiro ou à base de ração).