Sopa cremosa de batata doce para os dias mais frios

Nos dias frios, sopas e caldos são a pedida certa para esquentar o corpo e fortalecer a saúde. O post de hoje mostra como preparar uma deliciosa receita de sopa cremosa de batata doce. Cai super bem com os pães da Pinheirense!

Estes tubérculos doces são muito nutritivos e contêm betacaroteno, um antioxidante precursor da vitamina A. Em geral, uma batata doce de tamanho médio fornece mais de 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de vitamina A, aproximadamente 65% da IDR de vitamina C, 20% da IDR de vitamina B6, 400 mg de potássio, além de ácido fólico e de um pouco de ferro. Como se não bastasse, também contém fitosteróis – compostos que ajudam a reduzir o colesterol.

Sopa Cremosa de Batata doce: Preparo: Rápido (até 30 minutos); Rendimento: 6 porções; Dificuldade: Fácil; Categoria: Sopa e caldo; Calorias: 313 por porção.

Ingredientes:

3 xícaras (chá) de caldo de legumes
3 batatas-doces descascadas e cortadas em rodelas
1 xícara (chá) de creme de leite fresco
1 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de salsa picada

Modo de Preparo:

1. Em uma panela, coloque o caldo de legumes e a batata-doce em rodelas.
2. Leve ao fogo e cozinhe durante 20 minutos depois do início da fervura.
3. Desligue o fogo, adicione o creme de leite, o sal e bata no liquidificador até formar um creme homogêneo.
4. Volte para a panela e aqueça a sopa em fogo brando.
5. Polvilhe a salsa e sirva com o Pão Sueco Pinheirense. Consuma esta sopa no mesmo dia do preparo.

Qualidade de vida na terceira idade

Com o tempo, a expectativa de vida da população aumentou e, juntamente com esse fato, surgiram novas questões relacionadas à saúde. Encontramos homens e mulheres acima dos 50 anos de idade que continuam a atuar profissionalmente e com qualidade de vida. Contudo, muitos ainda desconsideram a importância de manter atividades físicas regulares e hábitos de vida saudáveis.

Aproximadamente 70% dos brasileiros com mais de 50 anos são sedentários. A população dessa faixa etária também é a que apresenta a maior incidência de doenças cardiovasculares, assim como lesões ortopédicas que dificultam ou incapacitam a prática de atividades físicas. A maioria das pessoas tem dúvidas sobre como, quando e quanto praticá-las, para preservar a saúde sem correr riscos.

O processo natural de envelhecimento motiva a perda de pelo menos 30% das fibras musculares. Além disso, já é comprovado que exercícios com resistência ajudam os 70% restantes a garantirem estabilidade e conforto.

Os benefícios cardiorrespiratórios proporcionados através da atividade física são inquestionáveis, principalmente, nessa fase da vida. Entretanto, muitos se veem diante de um dilema: o exercício físico melhora o coração, mas também pode comprometer a parte óssea, muscular e ósseo-articular, quando feito sem a devida supervisão. 

Vale lembrar, que para as pessoas idosas, um programa de atividade física sem a devida precaução tem levado a uma maior incidência de patologias, como a morte súbita. Assim, a primeira providência é consultar um cardiologista para medir a pressão arterial, fazer eletrocardiograma, verificar quais são as condições orgânicas e demarcar os próprios limites.

O cardiologista irá dizer se serão necessários exames mais detalhados e específicos, o que não costuma acontecer entre 90% e 95% dos casos. Em seguida, a pessoa poderá iniciar progressivamente uma atividade física aeróbica, como caminhadas e natação. Simultaneamente, ela deve manter algum tipo de exercício de força que inclua resistência e desenvolva a coordenação.

Em suma, são inúmeros os benefícios da atividade física regular quando feita sob supervisão e respeitando a capacidade de reservas do organismo de cada indivíduo.