Patê de pimenta dedo de moça

O gosto picante confere um sabor a mais a diferentes pratos de diversas culturas. Temida por alguns e indispensável para outros, consumida na medida certa, a pimenta traz muitos benefícios à saúde.

Fonte de antioxidantes, possui propriedades analgésica, anti-inflamatória, energética, estimulante, afrodisíaca, é rica em vitaminas, controla o colesterol, ameniza enxaquecas, e ainda ajuda a emagrecer.

A pimenta também pode ajudar a aliviar a congestão nasal e a prevenir a formação de coágulos causadores de infartos ou derrames. Além disso, ajuda na liberação de noradrenalina e adrenalina, também associadas à melhora do ânimo de pessoas deprimidas; combate a enxaqueca, por provocar a liberação de endorfinas, potentes analgésicos naturais; a pimenta também se mostra útil contra infecções, por combater as bactérias, já que tem poder bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa, mas, pelo contrário, estimula a recuperação imunológica.

Veja como preparar um patê de pimenta dedo de moça:

Ingredientes: 4 pimentas dedo de moça sem sementes; 1 copo de azeite; 1 copo de vinagre escuro; 4 dentes de alho; 1 cebola média; 1 lata de extrato de tomate; 1 colher (sopa) de ketchup; 2 folhas de louro picadas; sal a gosto; Pão tipo Sueco Pinheirense.

Preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador até formar uma pasta homogênea. Deixe na geladeira por, aproximadamente, três horas. Sirva com o Pão tipo Sueco Pinheirense – integral, artesanal e livre de conservantes.  

Curiosidade: Um copo grande de leite funciona como antídoto para a pimenta. Para abrandar a sensação de ardência após ingerir uma pimenta picante, recomenda-se beber um copo grande de leite.

Algas marinhas contra o câncer

Excelente fonte de diversos nutrientes essenciais, inclusive proteínas, a maioria das algas é rica em iodo, importante substância para o organismo, pois atua na produção dos hormônios que regulam o metabolismo do corpo através da glândula tireoide.

Estamos falando de um vegetal muito versátil, que pode, inclusive, ser utilizado para realçar o sabor de diversos pratos, como saladas, carnes, sopas e frutos do mar. A alga é classificada de acordo com sua cor – vermelha, azul-esverdeada, marrom e verde.

No Japão, a alga marinha representa 25% da alimentação. Além de possuírem poucas calorias, a grande maioria fornece cálcio, cobre, ferro, potássio e magnésio. Benefícios para a saúde: aprimora o funcionamento do cérebro, previne o estômago contra a gastrite e a úlcera gástrica, melhora a saúde cardíaca, desintoxica o organismo, regula o metabolismo.

Mulheres japonesas, cujas dietas são ricas em algas marinhas, têm menores taxas de câncer no ovário, mama e câncer do endométrio. Segundo um estudo da Universidade de Berkeley, uma dieta contendo algas marinhas reduz as chances de ocorrência de câncer. Além disso, por conterem fucoidan, um carboidrato complexo, funcionam como um poderoso anti-inflamatório.

Temperos com algas

Folhas ou tiras de algas secas, conhecidas como nori, dão um sabor salgado diferente por causa do seu elevado teor de sódio. Vendida, geralmente, em lojas orientais e de comidas naturais, a alga nori é usada como tempero para saladas, sopas e macarrão. Também é utilizada como invólucro para fazer porções de arroz e sushi.

Pinheirense: pão integral com nozes e passas

Já experimentou o Pão Integral de nozes e passas da Pinheirense?! Para quem valoriza uma alimentação saudável e saborosa, fica a dica. Nossos pães são integrais, feitos artesanalmente e são isentos de conservantes. Seu paladar e sua saúde agradecem!

Confira os benefícios das nozes e da uva-passa para a saúde:

Nozes: Ricas em vitamina E e potássio.

A maioria é rica em minerais, incluindo cálcio, ferro, manganês e zinco.

Boa fonte de ácido fólico, niacina e outras vitaminas do complexo B, e de proteína.

Uva-passa: Rica em pectina e bioflavonóides.

Contém fitoquímicos que podem diminuir os riscos de doenças do coração, câncer e derrames.

Lanche ou sobremesa doces e pouco calóricas.

Transtorno obsessivo compulsivo

Se a sua mente é invadida, frequentemente, por pensamentos, palavras, frases, músicas, imagens ou impulsos indesejados, que se tornam inevitáveis, você pode ser portador, de acordo com o DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), de um Transtorno de Ansiedade muito comum e pouco divulgado, conhecido por Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC.

A pessoa deve procurar um médico, para saber se tem ou não o TOC, nos seguintes casos: quando há preocupações excessivas com contaminação por germes, sujeira ou doenças; necessidade de fazer as coisas de forma absolutamente perfeita, repetindo, muitas vezes, as tarefas e ações; compulsão por vários banhos ao dia, por sentir-se sujo, ou lavar as mãos compulsivamente; necessidade de verificar portas, fogão, janelas, gás, porta do carro, de forma demasiada; hábito de fazer coisas repetidamente e sem sentido, como tocar, contar, repetir números, palavras ou frases; preocupação exagerada com as coisas, de maneira que devam estar sempre simétricas, perfeitas, organizadas, alinhadas; incapacidade de jogar fora objetos, entulhando o quarto, a casa, o quintal.

O pensamento repetitivo é denominado obsessivo, e muitas vezes produz incômodo por não ser afastado pela simples vontade da pessoa. Tais pensamentos são distanciados quando são realizadas certas ações ritualísticas (compulsões).

O problema é que não existe ligação entre as obsessões e as compulsões, mas o sujeito entende que há. Por exemplo: quando o indivíduo não consegue se desfazer de um objeto por algum medo, e o entulha em casa, este pensamento recorrente produz a ação de entulhar, e depois de várias ações desta natureza, que suprimem o pensamento obsessivo, o sujeito acredita ser esta a solução.

Outro exemplo: se a pessoa entende que está sendo contaminada por germes ao tocar em uma toalha, ou pano, ou camisa de outra pessoa, e lavando as mãos em seguida, esses pensamentos param, este comportamento tende a aumentar de frequência, como se fosse a solução para o problema. Na realidade, as compulsões apenas aliviam os pensamentos recorrentes, mas não são capazes de resolver o problema, pois os pensamentos sempre voltam. O que fazer, então?

O primeiro passo é procurar um médico competente para fornecer um diagnóstico preciso de TOC. No Brasil, o médico competente é o psiquiatra. Uma vez diagnosticado, o paciente deve seguir as orientações médicas, e procurar fazer um tratamento psicológico concomitantemente, para que aumente a probabilidade de um bom resultado.

O tratamento psicológico do TOC tende, entre outras coisas, a elucidar o paciente sobre os PNAs, isto é, Pensamentos Negativos Automáticos, ou falsas crenças, como por exemplo: se outros se desfazem de coisas, e não lhes acontece nada de mau, por que me aconteceria?

É importante se informar sobre as descargas hormonais, como adrenalina, noradrenalina e glicocorticóides pela glândula suprarrenal, quando em contato com o objeto do medo, enquanto geradoras das sensações de tremores, taquicardia, medo de morrer, aceleração na respiração, entre outros…

Se você, após ler este e outros textos, desconfiar portar o TOC, não haja fugindo ou se esquivando do problema. Encare de frente, pois este mal pode prejudicar sua vida por anos e anos, sendo, com o passar do tempo, e com o condicionamento das compulsões, cada vez mais difícil o tratamento.

Como me livrei dos sintomas da rinite

Desde que me entendo por gente, sofro com a rinite alérgica, aquela sensação desagradável de falta de ar, congestão nasal, nariz escorrendo (coriza), coceira no nariz e nos olhos, espirros sem fim, muitas vezes acompanhados de dor de cabeça.

Há três meses, parei de consumir leite (costumava tomar de duas a três canecas por dia) e, superando todas as minhas expectativas, os sintomas da rinite melhoraram MUITO, quase 100%! Nenhum médico, alergista, nutricionista ou coisa do gênero havia sugerido que o leite poderia ser um vilão, e muito menos me explicado a relação direta entre alimentação e alergia (não apenas a rinite).

Já sabia, obviamente, que a adoção de uma dieta saudável era fundamental para a saúde e qualidade de vida. Mas acredito que, assim como eu, muitas pessoas ouvem e leem essas coisas, concordam ( e até acham o máximo), porém, não colocam em prática tais avisos e conselhos. O ser humano, de um modo geral, tem o (péssimo) hábito de ir empurrando as coisas com a barriga, deixando sempre pra depois o que já poderia, há muito tempo, ter sido resolvido e evitado.

Foi o meu fisioterapeuta quem me alertou sobre a relação entre os laticínios e a rinite alérgica.”Tente cortar somente o leite. Tenho certeza de que irá ajudar”, disse ele. E posso, com muita segurança, dizer que me sinto novinha em folha após seguir o conselho dele. Além disso, (só para não perder o hábito) fui pesquisar na Internet sobre o assunto e descobri o que nenhum médico jamais havia me explicado:

“O corpo produz muco por si só. O que é ótimo para a saúde, porque essa substância pegajosa serve para hidratar o pulmão, lubrificar o esôfago, reter e eliminar micro-organismos que entram pelas vias aéreas, entre outras coisas. Ou seja, em quantidades normais, o muco é uma mão na roda para o sistema imunológico. O problema é quando o corpo começa a produzir muco demais. Isso pode acontecer quando a pessoa consome leite e derivados em excesso, por exemplo, pois os produtos lácteos causam um aumento na produção de muco ou engrossam o catarro existente. Além disso, me explicou a nutricionista Priscila Di Ciero, o leite tem muitas moléculas que conseguem atravessar e desequilibrar a mucosa intestinal. O organismo entende então que essas moléculas são substâncias estranhas e, portanto, devem ser combatidas e eliminadas. “As reações subsequentes desencadeiam aumento de produção de muco. E isso se deve às proteínas encontradas no leite de vaca que passam para a circulação sem serem devidamente digeridas”.” (leia mais no blog “Casa Vegana”)

Em dias frios, a alergia sempre piorava bastava, o que prejudicava bastante a qualidade do meu sono, assim como o meu humor. Em Nova Friburgo, cidade serrana do estado do Rio, a sensação é a de que o inverno já chegou, rs. Contudo, ao contrário do que acontecia comigo, repetidamente, ano após ano, não estou mais sofrendo com os sintomas da rinite. Pela manhã, em jejum, tomo meio copo de água fria com o suco puro de um limão. Espero de quinze a vinte minutos, para tomar um copo de iogurte natural desnatado, que passou a substituir a caneca de leite com Nescafé. 

Sinto-me renovada, mais disposta, mais feliz! E desejo o mesmo a todas as pessoas. Aproveito, para recomendar o livro “O Poder de Cura do Limão”, de Conceição Trucom. Essa fruta é capaz de fazer “milagres”… Vale muito a pena adotar a disciplina em todos os aspectos de nossa vida, inclusive, em relação à alimentação. Boa sorte!

Os benefícios do limão vão além dos listados nesta imagem!

Salada multicolorida de frango com Pão Sueco

Esta receita proteica e nutritiva é ideal para um almoço fit!

Ingredientes:

-400 gramas de frango defumado em lascas.
- 1 cebola média ralada.
- 200 gramas de salsão (aipo) picados.
- 150 gramas de passas brancas.
- 150 gramas de nozes picadas.
- 300 gramas de maçã verde em cubinhos.
- 150 gramas de maionese light.
- 150 ml de creme de leite light.
- Pão tipo Sueco Pinheirense
- Sal a gosto.

Preparo:

Basta misturar a maionese, o creme de leite e a cebola. Em seguida, adicione os demais ingredientes. Sirva com o Pão Sueco Pinheirense – artesanal, integral e isento de conservantes.

Benefícios do caqui

Foto: Luciane Daux

O caqui é a fruta da estação e, além de saboroso, traz vários benefícios à saúde: é indicado para o bom funcionamento do intestino, atua como calmante, é essencial para a visão, unhas e cabelos, auxilia o desenvolvimento ósseo, retarda o envelhecimento precoce do organismo. Rico em fibras, vitaminas A e E e em betacaroteno, o caqui é um alimento versátil, usado no preparo de diferentes receitas, inclusive, em sorvetes e na caipirinha! 

No post de hoje, mostramos como você pode preparar uma deliciosa salada de salmão defumado com caqui (receita de Luciane Daux):

Ingredientes: 

1 caixa de folhas baby para saladas;
2 endívias;
2 caquis café em fatiaspequenas;
200g de salmão defumado (ou gravlax) em lâminas;
½ abacate em fatias;
½ xícara (chá) de sementes de romã;
microverdes

Preparo: 

1. Misture as folhas baby com as endívias. Por cima, ajeite as finas fatias de caqui e as fatias, um pouco mais grossas, de abacate.
2. Finalize, fazendo flores com o salmão defumado ou gravlax, e decore com as sementes de romã e os microverdes.
3. Sirva com vinagrete feito com 60ml de aceto balsâmico, 150 ml de azeite de oliva, quatro colheres (sopa) de mel, sal e pimenta do reino a gosto.

Antepasto de Shitake e Pão Pinheirense

Está à procura de uma entrada rápida e saborosa para o almoço do Dia das Mães? O antepasto de shitake é saboroso, fácil de fazer, e fica ainda melhor quando servido com os Pães Pinheirense – integrais, artesanais e livres de conservantes. 

Você conhece os benefícios do shitake para a saúde? Além de ajudar a emagrecer, reduz o colesterol, auxilia no combate ao câncer, combate os radicais livres, fortalece o sistema imunológico, controla a pressão arterial, protege o sistema cardiovascular e previne a trombose. Motivos para incluir esse alimento não faltam, certo? Selecionamos uma receita prática e deliciosa de antepasto de shitake:

Ingredientes: 1 cebola média, ½ pimentão, 1 tomate, 100g de shiitake, Azeitonas picadas, Sal, azeite, salsinha, orégano, Pão Sueco  ou de forma Integral Pinheirense. 

Preparo: 

Corte os ingredientes em tiras finas.

Refogue a cebola até dourar e acrescente o pimentão.

Adicione o shiitake.

Tempere a gosto e deixe em fogo brando por aproximadamente 5 minutos.

Sirva com o Pão Sueco ou com o de forma integral da Pinheirense.

Doença pulmonar obstrutiva crônica

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma das principais causas de morte no mundo. Trata-se de um conjunto de doenças pulmonares crônicas, como enfisema e bronquite crônica, que bloqueiam as vias respiratórias e restringem o fluxo de oxigênio no corpo.

Prevenção

Pare de fumar: os cigarros são, sem dúvida, a principal causa da DPOC.

Siga a dieta mediterrânea: essa abordagem alimentar, com ênfase em frutas, hortaliças, óleos saudáveis, peixes e grãos integrais, pode reduzir em 25% as chances de você ter DPOC.

Mexa-se: a atividade física, em especial exercícios aeróbicos, como caminhar, pedalar e nadar, contribui para que os pulmões se tornem mais eficientes ao fornecer ao corpo o oxigênio necessário. Se você perde o fôlego com facilidade, está na hora de exercitar-se.

Respire de modo saudável: aprenda a respirar de forma mais profunda e menos frequente, usando principalmente o diafragma. Inspire pelo nariz, lenta e completamente. Grande parte do movimento deve vir do abdome; se apenas o tórax se mexer, a respiração está superficial demais. A expiração deve demorar o dobro do tempo da inspiração, e quanto mais você esvaziar os pulmões com expirações fortes, mais saudáveis e completas serão suas inspirações. A respiração profunda não só melhora o funcionamento do pulmão como também pode baixar a pressão arterial e promover o relaxamento, mesmo em tempos de estresse.

A maioria de nós não respira de forma saudável. Inspire longa e profundamente e expire devagar.

Síndrome do Intestino Irritável

A Síndrome do Intestino Irritável aflige cerca de 20% dos adultos e, normalmente, se caracteriza por contrações musculares anormais no intestino, resultantes de um excesso ou de uma escassez de líquidos no cólon. Os sintomas variam de pessoa para pessoa. Algumas têm diarreia, enquanto outras sofrem de cólon espástico, com surtos alternados de diarreia e de prisão de ventre, além de dores abdominais, cãibras, inchaço abdominal, gases e náusea, principalmente após as refeições. 

É comum que o estresse e a ansiedade excessiva piorem os sintomas da síndrome do intestino irritável. Dessa forma, vale muito a pena investir em técnicas de relaxamento, como a meditação. Exercícios físicos também podem contribuir significativamente para amenizar as crises.

O primeiro passo para aprender a controlar os sintomas da SII é identificar as causas, ou seja, os alimentos prejudiciais, assim como as situações de estresse que desencadearam o problema. Procure fazer várias refeições pequenas por dia em vez de refeições grandes; coma devagar; beba muita água; evite alimentos gordurosos, o açúcar e o álcool. 

Há muito tempo, a hortelã é usada para acalmar o trato digestivo. Para aliviar a SII, os adeptos da medicina alternativa recomendam a ingestão de uma a duas cápsulas de óleo de hortelã entre as refeições. Contudo, esse tratamento não é recomendado às pessoas que sofrem com o refluxo ácido.