Mudanças bruscas de temperatura: como prevenir doenças

Enfim, primavera… Passados os meses mais frios do ano, o que se espera são dias de sol, temperaturas equilibradas e, consequentemente, benefícios à saúde. Contudo, não é sempre assim, pelo menos em algumas regiões do país, onde a instabilidade climática e as mudanças bruscas de temperatura parecem cada vez mais frequentes. Com isso, é normal encontrar pessoas de todas as idades com diferentes tipos de alergia e, ou com alguma enfermidade decorrente de tal fenômeno.

Por isso, é preciso estar preparado para qualquer variação no tempo. Em um único dia pode chover, fazer muito calor e também muito frio, independentemente da época do ano.

Problemas de saúde relacionados ao sistema respiratório são os mais comuns, mas no momento em que os termômetros oscilam muito, o sangue tende a ficar mais grosso, colaborando, ainda, com o surgimento de complicações cardiovasculares.

Normalmente, as temperaturas ficam mais elevadas no final da manhã e, no momento em que o dia vai chegando ao fim, há uma queda considerável. Este fato prejudica o mecanismo de defesa das vias aéreas, pois desencadeia a menor movimentação dos cílios da árvore respiratória, aumentando, e muito, a facilidade de se contrair uma infecção.

Além disso, as mudanças bruscas de tempo geralmente provocam o agravamento de doenças, como bronquite e enfisemas pulmonares, causando o aumento da tosse, assim como da expectoração e falta de ar. No caso da rinite alérgica, o doente espirra mais e apresenta um aumento imediato de coriza.

Prevenção

Nada melhor do que estar preparado para qualquer variação do tempo, por isso, não se esqueça do guarda-chuva e do casaco. Evite a prática de exercícios que levam à exaustão, pois consomem muito a energia do organismo, ocasionando a diminuição da defesa do corpo. O ar-condicionado também propicia o surgimento de problemas respiratórios, pois deixa o ambiente mais seco e poluído, contribuindo para a proliferação de ácaros.

Deixar as janelas abertas ajuda a manter a ventilação no local o mais natural possível. A umidade do ar no ambiente pode ser garantida com um umidificador. Para quem não pode comprá-lo, vale deixar nos cômodos do imóvel uma bacia de água, com superfície ampla.

Manter o corpo hidratado, através da ingestão de muita água, apostar em uma alimentação equilibrada, e praticar alguma atividade física são maneiras simples de se prevenir doenças típicas de climas instáveis.

Maior festival de curtas do mundo chega ao MIS neste sábado

O Future Shorts, considerado o maior festival de curtas do mundo, acontece em São Paulo, no Museu da Imagem e do Som, neste sábado, 29 de setembro. O evento reúne exibição de curtas-metragens, música e gastronomia . A entrada é gratuita.

O evento já acontece em mais de 144 cidades e 55 países, recebe mais de 25 mil espectadores que, além de escolher o melhor curta em votação feita logo após as exibições, também aproveitam uma tarde com programação artística variada.

Na edição paulista, além da exibição de curtas, o evento conta com música e barraca com cardápio gastronômico orgânico especial. O evento começa as 16h com apresentação de DJ e barraquinhas e, às 19h, começa a exibição dos curtas metragens. Serão duas sessões de 1 hora cada, com intervalo de 30 minutos entre elas.

Ao todo, serão exibidos cinco curtas em um telão instalado na área externa do MIS: o brasileiro Street Vendor Cinema, de Clarissa Knoll; o romeno We’ll Become Oil, de MihaiGrecu; o Americano Notes on Biology, de Will Madden; o sulcoreano Guest, de GaEun-Yoon; e os ingleses A Morning Stroll, de Grant Orchard e Tumult, de John Barrington. Todos selecionados pela sede do Future Shorts, em Londres.

Alimentação que afeta o humor

A cafeína, encontrada no café, no chá, nos refrigerantes de cola e no chocolate,  é a substância mais conhecida por alterar o humor. Uma xícara de café, por exemplo, pode ajudar a manter uma pessoa acordada, mas o excesso de cafeína resulta em insônia, palpitações e ansiedade.

Além dos tipos de alimentos que se consome, a hora e a quantidade que você os come também afeta seu humor. Comer pouco, mas com frequência, ao longo do dia pode manter mais constantes os níveis de energia e o humor.

Já pular refeições pode ter efeitos negativos, e fazer refeições grandes pode provocar cansaço e sonolência. Associações apreendidas e sentimentos conhecidos que você tem ao comer determinado alimento também podem influenciar bastante.

Dor de garganta: dicas para abrandar sintomas

Coceira e ardência na garganta geralmente são os primeiros indicativos de uma infecção viral das vias aéreas superiores, como um resfriado ou gripe, ou, ainda, uma infecção bacteriana, como a estreptocócica. Vírus das vias respiratórias e estreptococos são altamente contagiosos, contudo, cuidados com a higiene e alimentação auxiliam na prevenção de muitos episódios.

Confira algumas dicas para abrandar os sintomas:

Bebidas sem álcool, quentes ou frias, aliviam a dor durante a deglutição. Alguns médicos aconselham que os pacienetes sigam, temporariamente, uma dieta à base de líquidos. Boas opções são milk-shake, sucos de fruta, canja, sopas e alimentos semilíquidos como purê, pudim e gelatina.

Há vários remédios caseiros para a dor de garganta, e muitos realmente aliviam os sintomas. O mais popular e renomado é o gargarejo com água morna e sal. Você também pode fazer um gargarejo com meio copo de água e adicionar duas colheres de chá de vinagre de maçã. Outra dica é o chá de limão, que é rico em vitamina C. Aproveite para adicionar ao chá uma colher de mel.

Simbolismos do pão

A história do pão é praticamente tão antiga quanto a história em si, conforme academicamente a concebemos. Afinal, quando os primeiros pães começaram a ser consumidos, há cerca de 6.000 anos, a própria Revolução Neolítica ainda estava em curso dentro da realidade de diversas povoações espalhadas pelos quatro cantos da superfície terrestre.

O domínio da agricultura e do fogo, bem como a domesticação de animais e o surgimento dos primeiros esboços de uma comunicação padronizada, tanto em desenhos quanto em fonemas, eram ainda experiências tão recentes quanto raras entre a totalidade dos habitantes da Terra. E desde estes tempos remotos para a humanidade, o pão já alimentava parcela significativa de populações, como os egípcios, servindo também como forma de pagamento por trabalhos realizados.

As inúmeras serventias do alimento, no entanto, representam apenas a ponta visível de um iceberg muito maior. Afinal, a própria elaboração da receita, desde a obtenção da farinha e do sal até o cozimento em água e a fermentação, representa um verdadeiro marco evolutivo na trajetória da humanidade. O homem, agora estabelecido num ambiente fixo, começava a dialogar com o ambiente à sua volta, adaptando-o às suas necessidades, e não apenas fazendo o caminho inverso.

A bricolagem envolvida na aplicação de objetos naturais como ferramentas improvisadas começava a dar lugar a artefatos projetados e elaborados com finalidades específicas. O homem experimentava pela primeira vez a magia e a potência da criatividade, e materializava na complexidade do pão – um alimento composto, elaborado, e inexistente enquanto tal na natureza – o triunfo sobre o problema eterno da busca por nutrientes.

De forma bastante concreta, era pela primeira vez a mente alimentando o corpo. Uma constatação forte o bastante para tornar válida a discussão acerca do que terá de fato ocorrido: o pão nascido como filho primogênito do homem criativo; ou o próprio homem criativo ter vivido seu primeiro momento através do pão.

Distanciando-se dos instintos, o homem começava a sintetizar e produzir conhecimento. Experimentava, alterava, criava. E o pão – desde a noite dos tempos, testemunha e marco desta caminhada – não apenas dava materialidade a esta vocação criativa, como também era capaz de adaptar-se aos mais diferentes contextos, sempre conservando seu papel fundamental na alimentação de todas as gerações desde então.

Símbolo maior e mais antigo da cooperação entre o divino e o humano, o pão ganha contornos de profunda sacralidade aos olhos de boa parte da população mundial, através da vida e da mensagem pregada por Jesus Cristo, 2.000 anos atrás. Intitulando-se “o Pão da Vida”, Jesus eternizou o alimento ao citá-lo no Pai Nosso, e ao instruir que através da renovação de sua santa e derradeira ceia fosse celebrada sua memória. Além disso, foi também através da multiplicação de pães que Jesus, conforme o relato bíblico, alimentou ao menos por duas vezes grandes multidões que o seguiam.

Presente e ativo ao longo de toda a história registrada do homem sobre a Terra, o pão sobreviveu a todas as evoluções tecnológicas sem jamais ver questionada sua importância – tanto na nutrição quanto na composição da própria identidade cultural de uma espécie. Ao longo dos milênios, inúmeras civilizações fizeram suas próprias interpretações daquela receita tão simples e perfeita, gerando uma infinidade de variações deste que é o alimento humano por excelência. Todas elas, igualmente herdeiras desta parceria que não apenas serve de suporte à história humana, mas que também, sob vários aspectos, chegou mesmo a defini-la.

E esta história continua a ser escrita a cada fornada preparada, dia após dia, desde as primeiras horas da madrugada. Não existe nada de banal, portanto, no ato de levar um pedaço de pão à boca, quando este mesmo ato talvez represente a ligação mais próxima e atual com os hábitos e rituais dos primeiros ancestrais criativos, nas bases mais profundas da civilização, e de tudo aquilo que ainda significa ser humano.

Vale a pena lembrar disso durante o próximo café da manhã.

Síndrome do restaurante chinês

O glutamato monossódico ( GMS), utilizado como realçador de sabor, é um ingrediente comum na culinária asiática. Ele não modifica o sabor dos alimentos, mas age na língua, intensificando a percepção de certos sabores e minimizando outros.

O GMS disfarça qualquer gosto desagradável e ressalta os sabores agradáveis. Encontrado naturalmente em algas marinhas desidratadas, é mais comumente fabricado a partir do trigo, glúten ou do líquido residual obtido durante o processo de refino da beterraba.

O glutamato monossódico pode ser encontrado em diversos produtos disponíveis no mercado.

Em indivíduos suscetíveis, o GMS pode causar dor de cabeça e outras reações que variam de uma pessoa para outra. Contudo, esses problemas são menos comuns do que se imagina.

Há pessoas que evitam o GMS por temer a “síndrome do restaurante chinês”. O temor é tanto que alguns restaurantes colocam avisos do tipo: “Sem adição de GMS”.

Nenhuma pesquisa conseguiu provar a existência do problema. É possível que as vítimas dessa síndrome tenham, na verdade, reações a outros ingredientes presentes na comida chinesa. Histamina, tiramina e feniletilamina podem causar enrubescimento, palpitações e dor de cabeça. São encontradas em feijões de soja pretos, camarões e molho de soja, comuns na culinária chinesa.

Grupo Pão de Açúcar e Casa Santa Luzia: parceiros Pinheirense há mais de meio século

Há mais de meio século, a Pinheirense é parceira das conceituadas empresas Grupo Pão de Açúcar e Casa Santa Luzia. Tais parcerias confirmam o sucesso dos produtos Pinheirense e o reconhecimento da qualidade preservada ao longo de seus 75 anos de história.

Fundado em 1948, o Grupo Pão de Açúcar foi pioneiro no setor varejista de alimentos no Brasil. Hoje, é a maior empresa de distribuição do país. A parceria com a Pinheirense teve início já na inauguração da primeira loja, há mais de 60 anos.

A paulista Casa Santa Luzia iniciou sua história em 1926, na esquina das ruas Augusta com Oscar Freire, época em que Sr. Henrich já cultivava uma amizade com os Senhores Jorge e Álvaro, então proprietários do estabelecimento. Em 1981, a Santa Luzia mudou-se para a Alameda Lorena, onde conta com uma equipe de 450 funcionários. Trabalhando com os conceitos de qualidade e variedade, a Santa Luzia oferece os melhores produtos produzidos no Brasil e no mundo.

Para a Pinheirense, é uma grande satisfação fazer parte da história dessas duas empresas.

Soluções para limpeza do para-brisa

Debaixo do capô, fica o reservatório do limpador de para-brisa, que precisa ser reabastecido de vez em quando. Não use produtos comerciais, se você pode fazer o seu.

Com a receita que segue abaixo, deixe para o carro o trabalho de manter o para-brisa limpo, e economize alguns trocados.

- O álcool presente nesta solução aumentará a velocidade de evaporação do líquido borrifado no para-brisa.

1 colher (sopa) de detergente líquido;

720 ml de álcool hospitalar;

2 1/2 litros de água.

Despeje o detergente em uma garrafa plástica de 4 litros com tampa hermética.

Adicione o álcool e a água. Tampe a garrafa e agite bem.

Coloque a quantidade necessária do líquido no reservatório do limpador de para-brisa do carro. Guarde o que sobrar para usar depois ou utilize para lavar as janelas de casa.

Cultive suas próprias buchas

A bucha vegetal ( Luffa cylindrica) é uma escolha prática para os jardineiros: é cultivada principalmente por sua polpa desidratada, que conhecemos como esponja de beleza esfoliante de mesmo nome. Basta plantar e cultivar as buchas conforme as instruções no pacote de sementes.

Quando a bucha fica leve e a casca se torna marrom, descasque-a. Molhe-a totalmente e retire as sementes com ambas as mãos. Em seguida, arrume a bucha sobre uma grade para secar, por duas a quatro semanas, ou até que ela endureça. Use uma faca afiada para cortar transversalmente a bucha seca em rodelas, para fazer esponjas esfoliantes caseiras que a família inteira pode usar.

Dicas para aliviar o estresse

Já que o estresse pode desencadear diversos sintomas, físicos e mentais, não é fácil determinar a real causa dos problemas, Por isso, é recomendável consultar um médico, que solicitará alguns exames.

A seguir, listamos algumas dicas de como aliviar o estresse:

- Faça refeições regulares e saudáveis. Várias refeições menores podem funcionar melhor;

- Todos os dias, durante alguns minutos, sente-se em silêncio e feche os olhos;

- Faça exercícios regularmente para estimular a produção de endorfinas, substâncias químicas que melhoram o humor;

- Escute sua música favorita; isso também eleva os níveis de endorfina;

- Aprensa técnicas de relaxamento, como ioga e meditação ou exercícios de respiração profunda;

- Faça uma lista diária de “coisas a fazer” e ordene os itens por nível de importância. Faça um item de cada vez e transfira os itens pendentes para a lista do dia seguinte;

- Pense em ter um animal de estimação. Afagar um animal pode ajudar a relaxar;

- Divida seus problemas com algum parente, amigo ou conselheiro.