Ginástica Hipopressiva

Você sabe o que é a ginástica hipopressiva? As primeiras técnicas hipopressivas foram criadas em 1980, por Marcel Caufriez, no Hospital Universitário Erasme, em Bruxelas, sob o título “Aspiração Diafragmática”, aplicado com técnicas manuais na reabilitação urogenital.

Quando o indivíduo realiza os exercícios da Ginástica Hipopressiva, o mesmo colabora para a ativação automática dos músculos do períneo e da faixa abdominal, atuando então na garantia de diversos benefícios, como na melhora das tensões dos músculos respiratórios e dos músculos antigravitacionais hipertónicos.

As técnicas hipopressivas englobam posturas e movimentos rítmicos que visam a diminuição da pressão nas cavidades torácica, abdominal e pélvica. A prática regular de hipopressivos causa, a curto e a longo prazos, efeitos positivos para a saúde, tais como:

-diminuição da pressão intra abdominal;

- melhora da competência do assoalho pélvico;

-proporciona mais tônus e coativação da musculatura abdominal;

- melhora o desempenho sexual;

- trata e previne incontinência urinária;

- prevenção e tratamento de diástase;

- afina a cintura;

- reposiciona órgãos internos;

- melhora a circulaçõ;

- tratamento e prevenção de hérnias;

- atua no intestino melhorando constipação;

- melhora a postura;

- melhora sequelas no período pós-parto.

Formas naturais para controlar a pressão alta

Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como conseqüência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Há quem pense que basta tomar os remédios para resolver o problema de pressão arterial elevada, contudo, promover algumas mudanças no estilo de vida é fundamental. Existem formas naturais que ajudam, e muito, no controle da pressão alta:

Alho: com ação analgésica, antibacteriana e expectorante, o alho consegue tratar aquela hipertensão arterial leve. Ele vem sendo usado desde a antiguidade por suas propriedades antimicrobianas e pelos efeitos benéficos ao coração e circulação.

Alimentos ricos em potássio: o potássio é um excelente diminuidor da pressão arterial, por ajudar a mandar o sódio embora do corpo. E há muitas formas de consumi-lo, já que está presente na abóbora, cenoura, feijão preto, inhame, lentilha, chicória, espinafre, vagem, abacate, rabanete, couve-flor, banana, laranja, maracujá, mamão e ameixa. Quando o potássio entra nas células, o sódio sai. Essa dinâmica garante o equilíbrio hidroelétrico do corpo.

Quem é adepto do sal light ou sal sem sódio (só com potássio) deve ficar atento. Médicos explicam que ele pode fazer muito mal para os que tomam remédios para controlar a pressão que são poupadores de potássio. O potássio em excesso faz com que os músculos percam a força e, como o coração é um músculo, pode causar batidas descompassadas ou até mesmo fazê-lo parar. O ideal é consumir o potássio por meio de alimentos naturais.

Alimentos com ômega 3 e 6: o brasileiro tem hábito de comer pouco peixe. Mas o salmão, arenque, cavala, atum e sardinha carregam ômega 3 e 6, que ajudam a retirar o excesso de gordura ruim do sangue. Com isso, a circulação flui melhor, ajudando a controlar a pressão arterial. Linhaça e chia também contêm esses ômegas. Lembrar de ingerir um pouco por dia faz bem à saúde.

Evite gorduras ruins da carne vermelha: não é preciso parar de consumir carne vermelha, mas prefira os cortes magros e os prepare grelhados, assados ou cozidos, já que gordura em excesso pode aumentar o colesterol e causar entupimento nos vasos, dificultando a circulação do sangue e aumentando a pressão arterial.

Use ervas para substituir o sal: que o sal dá um sabor especial a qualquer preparação é fato, mas ele também é o vilão para aumentar a pressão. Colocar menos sal e preencher essa lacuna com outros temperos como a cebola, salsa, coentro, orégano, cebolinha, louro ou limão ajudam a dar sabor à preparação. Experimente reduzir a quantidade de sal gradativamente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que se ingira menos de cinco gramas de sal, o que equivale a menos de duas gramas de sódio. Fique atento aos rótulos dos alimentos ultra-processados.

Diga não a alimentos industrializados e dietéticos: embutidos, enlatados, salgados e refrigerantes sem açúcar costumam conter muito sódio, que aumenta a pressão por causa da retenção de líquidos.

Sopa detox: inhame com espinafre

As sopas detox são ricas em vitaminas e minerais, pobres em gordura, sendo uma excelente opção para desintoxicar o organismo, aumentar as defesas naturais e controlar o peso.

Ingredientes

5 inhames médios sem casca
1 colher (café) de gengibre em cubos
1 cebola média picada
2 dentes de alho
1 xícara (chá) de espinafre picado
2 colheres (sopa) de farinha de linhaça dourada
200 ml de água
1 colher (chá) de tomilho e alecrim triturados
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Refogue o alho e a cebola em panela antiaderente.
Junte o inhame e a farinha de linhaça.
Tempere com pimenta-do-reino a gosto.
Acrescente a água.
Ao levantar fervura, coloque o gengibre.
Quando o inhame estiver macio, amasse-o com a concha.
Adicione o espinafre e ferva por mais dois minutos, até as folhas amolecerem.
Sirva no prato e acrescente o tomilho e alecrim triturados.

Você pode servir a sua sopa detox com os pães pinheirense – sueco ou de forma. Todos os nossos produtos são integrais, artesanais e isentos de conservantes. 

Cistos mamários: tratamento e prevenção

Embora sejam comumente confundidos com tumores, de modo geral, os cistos não têm necessariamente relação com o câncer de mama. Os cistos simples são estruturas ovaladas ou arredondadas que apresentam líquido em seu interior e podem se apresentar em tamanhos diferentes.

Há cistos muito pequenos e praticamente imperceptíveis ao toque e, alguns, muito grandes, dolorosos, que chegam a causar uma diferença na superfície da mama. Nesses casos, é mais difícil diferenciá-los dos nódulos sólidos com base somente no exame clínico.

Em resumo, o cisto simples na mama pode ser definido como um caroço que não caracteriza o câncer de mama, nem aumenta o risco do seu aparecimento no futuro. É uma alteração mamária benigna, que acomete a maior parte das mulheres em idade reprodutiva e, geralmente, não apresenta sintomas, não sendo necessário nenhum tipo de tratamento específico.

Do ponto de vista oncológico (risco de ser câncer) apenas os cistos com conteúdo sólido podem ser preocupantes. Os cistos simples devem ser manejados de forma rotineira em relação à realização de mamografia e ultrassonografia mamária no que se refere ao rastreamento do câncer de mama, isto é, devem ser feitos anualmente. No entanto, podem necessitar de punção de agulha fina para evacuar o líquido, quando são muito grandes e se tornam perceptíveis, ou quando causam dor (também em função do grande volume).

Prevenção

Fibras: Os alimentos ricos em fibras não devem faltar em nenhum plano de alimentação, já que têm muitos benefícios para o corpo. Dentre os recomendados para prevenir o desenvolvimento de cistos nos seios estão:

  • Aveia
  • Leguminosas
  • Abacate
  • Pera
  • Maçã
  • Brócolis
  • Arroz integral
  • Pães integrais
Vegetais crucíferos: Esse tipo de verdura contém um composto chamado indol 3-carbinol, que pode contribuir para reduzir a capacidade dos estrogênios de se colar ao tecido mamário. Você pode escolher as seguintes:

  • Couve
  • Couve-de-bruxelas
  • Brócolis
  • Couve-flor
  • Nabo
  • Rabanete
  • Extrato de chá verde

Seu alto teor de antioxidantes contribui para combater a ação dos radicais livres que se acumulam no corpo e que estão associados ao desenvolvimento de tumores benignos e malignos.

É recomendável tomar uma xícara de chá verde por dia como um remédio natural para prevenir o câncer de mama.

Diminua o consumo de carboidratos:

Os tecidos mamários são sensíveis aos alimentos ricos em gordura e carboidratos refinados, já que os mesmos aumentam o estrogênio.

Ao produzir esses hormônios em excesso o tecido mamário se estimula e aumenta o risco de sentirmos dor, sofrermos de inflamações, cistos ou tumores.

Os alimentos que devemos evitar são:

  • Carnes processadas
  • Carnes vermelhas
  • Laticínios
  • Frituras e doces
  • Pão branco
  • Xarope de bordo
  • Bolos
  • Comidas rápidas e pré-cozidas
  • Molhos industrializados
Exame de rotina: quando cistos são detectados, é recomendável fazer o devido acompanhamento médico, realizando, ao menos uma vez por ano, o exame de ultrassonografia das mamas. Em alguns casos, a punção, para a retirada do (s) cisto (s) será indicada.

Sanduíche da estação: cogumelos, queijo e cebola caramelizada

Nesta época do ano, costumamos priorizar alimentos mais encorpados, numa preparação para o inverno. O sanduíche artesanal feito com o pão integral Pinheirense, combinado ao sabor exótico dos cogumelos, as cebolas caramelizadas e um pouco de rosbife (para criar uma refeição completa e com mais proteína), é uma ótima pedida em diferentes ocasiões. Você pode acrescentar algumas folhas de rúcula ou espinafre, para aumentar o valor nutritivo e deixá-lo com um visual ainda mais bonito.

Ingredientes:

  • 2 fatias de pão integral Pinheirense (artesanal, integral e isento de conservantes)
  • 3 fatias finas de rosbife
  • Cebola caramelizada (o quanto baste)
  • 3 folhas de rúcula ou espinafre
  • Cogumelos fatiados
  • 1 queijo fundido (tipo Polenguinho) ou requeijão/cottage light
  • Azeite para refogar
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
  • Numa frigideira, aqueça o azeite e junte os cogumelos e o rosbife. Tempere a gosto.
  • Mantenha a cebola caramelizada à temperatura ambiente.
  • Grelhe as fatias de pão e monte o sanduíche, começando com o queijo. Se preferir, pode umedecer o pão com um pouco de requeijão light ou queijo cottage.
  • Espere a carne esfriar um pouco e arrume sobre o pão, juntamente com os cogumelos e a cebola caramelizada.
  • Complete com as folhas de rúcula ou de espinafre bem lavadas e secas. Pronto!

Greve dos caminhoneiros: cuidados ao comprar carnes

Dúvidas quanto a procedência e qualidade das carnes comercializadas no país aumentam cada vez mais entre os consumidores. É bom ficar atento a alguns detalhes, e evitar diferentes transtornos. Saiba quais cuidados tomar ao comprar esse alimento.

No caso da carne, julgue o livro pela capa. Mesmo não sendo o único fator de avaliação, deve, com certeza, ser levado em consideração. No caso do frango, sempre busque produtos frescos, em ambientes bem refrigerados e com aparência clara.

Para carne de porco, muito cuidado. Sempre procure padrões dentro do normal para cada corte, além de evitar aparências escurecida, com sinais de estarem velhas ou em conservação irregular.

Neste casos, é sempre importante ter um açougue ou comércio de confiança, em que você tenha certeza de que os produtos têm  boaprocedência e são bem armazenados. Sempre converse com o açougueiro, peça dicas e questione sobre a procedência e datas das carnes.

Além da aparência, carnes com odores também são perigosas. Caso compre uma peça que apresente cor escura e odores, retorne imediatamente ao estabelecimento e peça seu dinheiro de volta.

Produtos processados

Os produtos que passaram por algum processamento também são perigosos, pois podem ser “mascarados”. A carne moída, por exemplo, pode ser feita com carnes velhas, sendo uma tática utilizada por estabelecimentos irregulares para não desperdiçar as sobras.

Sempre peça para o açougueiro moer um pedaço de carne de sua escolha, para que assim tenha certeza da boa procedência do produto bruto.

Produtos embalados

Pensava-se que apenas os produtos vendidos fora de embalagens corriam riscos de má conservação. Muito pelo contrário. Aquele pequeno açougue perto de sua casa, pode ser muito mais higiênico e correto do que grandes empresas do segmento.

Quando desconfiar de carnes já embaladas, mesmo que sejam de grandes empresas, registre uma reclamação e peça a troca ou estorno do produto no local de compra. Sempre verifique a embalagem antes, constatando a origem e data de validade destes produtos.

Cuidado na sua conservação

Os produtos também podem perder qualidade na sua geladeira. Após abrir um pacote ou consumir uma fração de uma peça de carne, busque condições corretas de armazenamento. Consulte a validade de cada produto após ser congelado. Evite descongelar e fazer o recongelamento, prática que faz um empobrecimento da carne.

Faça denúncias

Para um controle adequado das condições sanitárias, faça denúncias de locais em que comprou produtos com aspecto ruim. Com essas reclamações, a vigilância sanitária poderá fazer as verificações e constatar se as condições são adequadas ou não. Cumpra com seu dever cívico e ajude os órgãos fiscalizadores a chegarem até os problemas.

Probióticos e Prebióticos para cuidar da saúde

Muita gente se confunde, mas probióticos e prebióticos são coisas diferentes, e ambos são vitais para a saúde. Graças a eles, podemos melhorar a digestão e fortalecer o sistema imunológico, para combater tanto as infecções, como muitos outros tipos de doenças.

Probióticos: A Organização Mundial da Saúde define probióticos como micro- organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, têm um efeito benéfico sobre a nossa saúde.

- Consumir probióticos como leites fermentados também nos protegem contra muitas doenças. No entanto, ressaltamos o termo “fermentado”. O leite natural pode ser, em muitos casos, mais tóxico do que benéfico ao nosso intestino, porque o que faz, muitas vezes, é “inflamá-lo”.

- Estes micro-organismos exercem também a função de mecanismo imunológico na mucosa intestinal. O que eles fazem é evitar que os microrganismos patogênicos prejudiciais cresçam e se desenvolvam.

- Você pode se assustar um pouco por pensar que o nosso sistema digestivo é “colonizado” por uma gama de bactérias. Isso é o que conhecemos como microbiota intestinal, que, além de vital para nossa saúde, é muito sensível ao tipo de alimento que comemos, bem como ao estresse, doenças e muitos tipos de medicamentos.

-São bactérias intestinais que nos permitem estimular os sucos digestivos e as enzimas naturais para obter uma boa digestão. Recomenda-se sempre comer alimentos probióticos orgânicos ou silvestres.

Prebióticos: Os prebióticos são um tipo de carboidrato que serve como substrato para os probióticos. Eles são componentes que nossos intestinos não digerem, mas que servem como uma base estrutural para fornecer a força para esses micro-organismos vivos que nos protegem contra os elementos nocivos.

- Sua função é estimular o sistema imunológico, favorecendo o desenvolvimento de bactérias benéficas na flora intestinal e impedindo o crescimento de patógenos.

-Os prebióticos nos ajudam a absorver alguns minerais como o cálcio e o magnésio.

- Nos ajudam a reduzir os gases e facilitam o equilíbrio intestinal.

-Combatem a prisão de ventre e a doença inflamatória intestinal.

Os melhores probióticos que você pode consumir diariamente: 

- kefir

- chucrute

- iogurte

-sopa de missô

- chá de kombucha

- azeitonas

-chocolate escuro (cacau 70 % ou mais, ou o consumo de aproximadamente duas colheres de pó de cacau ou um quadrado da barra)

- ervilhas

- queijo cotagge

Melhores prebióticos:

-alcachofras

- raiz de chicória

-alho

- cebola

-alho-poro

-farelo de trigo

-farinha de trigo

-banana

Pães integrais com kümmel

Os pães integrais com kümmel – de forma e tipo sueco- fazem parte da nossa linha de produtos artesanais e sem conservantes. Usada para fins medicinais e na culinária, o kümmel é uma planta herbácea, também considerada aromática.

O sabor das sementes dessa planta é parecido com o da erva doce. De origem europeia, o Kümmel (no Brasil, mais conhecido como alcarávia) ajuda na digestão.

Muito usado para aromatizar bolos, bolachas, pães, carne de porco e outras carnes gordurosas, além de ser aproveitado em queijos e sopas, é fundamental no preparo dos licores Wolfschmidt Kümmel, Mentzendorff Kümmel e Gilka Kümmel, da aguardente da escandinávia “Aquavit”, e do queijo tipo “Tilsit” alemão.

O sabor característico dos pratos preparados no sul da Alemanha e na Áustria é obtido com a utilização do Kümmel, geralmente misturado ao alho para o preparo de carnes e vegetais. Outra utilização clássica pode ser observada no Sauerkraut (Chucrute – preparado com repolhos fermentados e juníperos). No norte da África, especialmente na Tunísia, a alcarávia é utilizada no preparo de uma pasta apimentada chamada de harissa.

Versáteis, os Pães Pinheirense podem ser servidos junto a diferentes receitas e em várias ocasiões. Aproveite! Seu paladar e sua saúde agradecem!

Benefícios do óleo de coco

O óleo de coco emagrece, reduz o colesterol, acelera o metabolismo e controla diabetes. Descubra outros benefícios desta gordura do bem.

Aumenta o colesterol bom

O óleo de coco é eficaz para aumentar os níveis de colesterol HDL, que é conhecido como o colesterol “bom”. Pesquisas feitas com mulheres com obesidade abdominal mostraram que a HDL aumentou para aquelas que consumiram o óleo de coco. Em contraste, as mulheres que consomem óleo de soja apresentaram uma diminuição no colesterol HDL.

Diminui a sensação de fome:

Os triglicerídeos de cadeia média presentes no óleo de coco reduzem a sua sensação de fome, levando a uma redução espontânea da ingestão de calorias.

Faz bem para a pele:

Manter a pele hidratada faz parte de um dos benefícios do óleo de coco. Muitas mulheres já descobriram que ele é um hidratante maravilhoso para as pernas, braços e cotovelos. Você pode usá-lo em seu rosto também; embora isso não seja recomendado para pessoas com pele muito oleosa.

Ele também pode ajudar a reparar calcanhares rachados. Basta aplicar uma camada fina nos calcanhares na hora de dormir e calçar meias.

Combate infecções

O óleo de coco virgem tem fortes propriedades antibacterianas, que podem ajudar a combater infecções. Um estudo descobriu que ele ajuda a interromper o crescimento da bactéria intestinal Clostridium difficile, que é a responsável por causar diarreia grave.

Suas propriedades também são ótimas para combater várias outras bactérias e leveduras.

Cicatrização de feridas

Estudos feitos em ratos, cujas feridas foram tratadas com óleo de coco, mostraram uma redução dos marcadores inflamatórios, e o aumento da produção de colágeno, um componente importante da pele. Como resultado, as feridas foram curadas muito mais rápido.

Para acelerar a cicatrização de pequenos cortes ou arranhões, aplique um pouco de óleo de coco diretamente na ferida e cubra com uma bandagem.

Combate a candidíase

A Cândida albicans é um fungo responsável por infecções, que normalmente ocorrem em áreas quentes e úmidas do corpo, como a boca ou vagina.

O óleo de coco é um aliado ao combate da candidíase.

Melhora a saúde do fígado

A gordura saturada do óleo de coco protege o fígado de danos causados pelo álcool ou por toxinas.

Em uma pesquisa recente, observaram a diminuição nos marcadores inflamatórios do fígado, e um aumento da atividade das enzimas hepáticas benéficas. Por isso, tenha sempre ele por perto. 

Melhora a função cerebral

Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) se transformam em cetonas, que podem atuar como uma fonte alternativa de energia para o seu cérebro.

Vários estudos têm encontrado benefícios impressionantes desse óleo para distúrbios cerebrais, incluindo epilepsia e doença de Alzheimer.

Protege o cabelo

Um estudo comparou os efeitos do óleo de coco, óleo mineral e óleo de girassol no cabelo. O óleo de coco pode ajudar a reduzir a perda de proteína do cabelo, quando aplicado antes ou após a lavagem. Este resultado ocorreu com os cabelos danificados e também saudáveis.

Isso porque o ácido láurico, o ácido gordo principal do óleo de coco, consegue penetrar a haste do cabelo de modo que a maioria das outras gorduras não pode.