Receita deliciosa: Pão Pinheirense com pasta de ricota

A ricota é um tipo de queijo preparado com o soro do leite que traz diversos benefícios para a saúde, além de possuir um sabor leve e neutro. Comparada com os queijos tradicionais, apresenta muito menos calorias e gordura. Por ser um alimento tão saudável, não podíamos deixar de associá-lo aos Pães Pinheirense – integrais, isentos de conservantes e feitos artesanalmente. Faça você mesmo a sua pasta de ricota:

Ingredientes

- 1 caixinha de creme de leite light – 200g
- 1 xícara (chá) de ervilha fresca congelada – 130g
- 100 g de ricota
- 1 colher (chá) de sementes de erva-doce – 1,5g
- Pão integral Pinheirense
- Sal a gosto

Modo de Fazer

1. Coloque a ervilha em uma panela com 1 xícara (chá) de água fervente e 1 colher (chá) de sal. Deixe no fogo por 5 minutos ou até a ervilha ficar macia. Retire do fogo e escorra a água.

2. Disponha, em um prato fundo, a ricota, o creme de leite, o sal e as sementes de erva-doce. Amasse com um garfo até ficar homogêneo. Sirva com o pão integral Pinheirense e, por cima, arrume a ervilha. Decore com tomate cortado em cubos pequenos.

Primavera: flores que informam as horas

Diariamente, as plantas usam um “relógio” interno. Todos os seres vivos, incluindo os humanos, têm relógios internos que coordenam vários processos biológicos. No caso das plantas, atividades como o fechamento dos estômatos à noite são baseadas em um ritmo circadiano (um ciclo diário – do latim circa dies, “cerca de um dia”).

Esse ciclo foi observado pelo botânico Carl Lineu, no século XVIII. Ele percebeu que as flores de algumas plantas se abriam e se fechavam em determinadas horas do dia. A maravilha (Mirabilis jalapa), por exemplo, abre suas flores todos os dias por volta das quatro da tarde.

A dormideira (Mimosa pudica) pode retrair-se com a velocidade de um raio em reação ao toque. Comum nos trópicos, ela tem folhas compostas, formadas por numerosos folíolos, que se fecham em questão de segundos à primeira “mordiscada” de um inseto.

Já que as plantas reagem a estímulos, será que também são capazes de se comunicar?

Castanha-do-pará e seus diversos benefícios

São vários os benefícios provenientes do consumo da castanha do Pará, que pode ser consumida torrada, em doces e sorvetes, in natura, na forma de farinhas, em receitas salgadas e doces.

Muita rica em nutrientes, é composta por fibras, proteínas, cálcio, ferro, potássio, zinco, selênio, vitamina e ácido fólico. As gorduras mono e poliinsaturadas presentes na castanha do Pará ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim do sangue (LDL) e a aumentar o bom colesterol (HDL).

Já é comprovado que também auxilia no combate à propagação do câncer, diminuindo a sua incidência. Além de melhorar o sistema imunológico, ajuda a equilibrar a atuação dos hormônios da tireoide. Como se não bastasse, é um poderoso antioxidante.

Ao se mastigar apenas uma única castanha-do-pará, pode-se superproteger as unidades microscópicas do organismo, devido ao selênio, que é um mineral muito importante para se ter uma vida longa e saudável, combatendo o envelhecimento celular causado pela ação dos radicais livres.

Devido a grande quantidade de selênio presente na castanha do Pará, o consumo de uma única unidade diária supre as necessidades do corpo. Justamente por ser um mineral antioxidante, o selênio combate os radicais livres, fortalece o sistema imunológico e ainda ajuda a evitar tumores.

O zinco, presente na castanha-do-pará, tem papel fundamental na produção de glóbulos brancos. Ajuda a controlar a pressão e a amenizar sintomas da tensão pré-menstrual, sem falar no potássio, um grande aliado no desenvolvimento dos músculos.

Confira a receita de arroz integral com castanha do Pará

Ingredientes:

½ xícara de chá de arroz integral;

1 xícara de chá de leite de soja;

¼ de colher de chá de noz moscada moída;

1 pitada de sal

8 castanhas do Pará picadas

Preparo:

Coloque o arroz integral, o leite de soja, a noz moscada e o sal em uma panela média;

Levar ao fogo e mexer de vez em quando; tampar a panela e reduzir o fogo;

Deixe cozinhar por 45 minutos. Acrescentar as castanhas do Pará;

Rendimento: 8 porções.

Tenha seu jardim medicinal

Que tal cultivar seu próprio jardim medicinal? Basta investir um pouco de tempo, adquirir as sementes, para, em seguida, poder preparar infusões, chás e bálsamos.

É importante escolher um local ensolarado e um solo fértil para preparar o jardim. As plantas perenes vão passar de estação a estação, enquanto as anuais devem ser replantadas ou transplantadas.

Manjericão: Anual. Colha as folhas novas do “rei das ervas” quando precisar. Usos: flatulência, falta de apetite, cortes e arranhões.

Camomila: Anual. Utilize as flores para infusões e pomadas. Usos: indigestão, ansiedade, inflamações cutâneas.

Tanaceto: Perene. Utilize flores e folhas para chás. Mastigue as folhas para aliviar a dor de cabeça. Usos: dores de cabeça, artrites, problemas da pele.

Erva-cidreira ou melissa: Perene. Da família da menta, a erva-cidreira é uma versátil erva medicinal. Usos: ansiedade, insônia, feridas, herpes, picadas de insetos, flatulência.

Salsa: Bianual. Semelhante à sua prima crespa P. crispum, essa erva é carregada de nutrientes. Usos: flatulência, dificuldade de respirar.

Sálvia: Perene. Seu nome significa “curar”, refletindo sua utilização primitiva como erva medicinal e não culinária. Usos: inflamações da boca e da garganta.

Hipérico: Perene. Suas folhas brilhantes e flores amarelas são as partes principais dessa erva. Usos: depressão leve a moderada.

Tomilho: Perene. O ativo principal do tomilho, o timol, é um forte antisséptico. Usos: tosses, congestão, indigestão, gases.

Pão sueco de gergelim: isento de conservantes

Assim como os demais produtos da Pinheirense,  o Pão tipo Sueco com Gergelim é integral, artesanal e isento de conservantes. 

Os muitos benefícios da semente de gergelim para a saúde derivam de seu teor nutricional, incluindo vitaminas, minerais, óleos naturais, e compostos orgânicos que consistem em cálcio, ferro, magnésio, fósforo, manganês, cobre, zinco, fibra, tiamina, vitamina B6, folato, proteína e triptofano.

O gergelim também auxilia no tratamento da hemorroida, do diabetes, na perda de peso, na prevenção do envelhecimento precoce, na manutenção de ossos saudáveis, além de melhorar a respiração, evitar a asma e ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares.

Aproveite todos os benefícios da maçã

Seja na salada de frutas, in natura, ou assada, a maçã é um alimento que traz inúmeros benefícios à saúde. Confira:

1. Ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL)

Tudo isso graças à pectina, um tipo de fibra solúvel encontrada na casca da maçã. Mas fique atento, pois, ao retirar a casca, essa substância é totalmente eliminada do alimento e seus benefícios vão embora.

2. Evita o envelhecimento precoce

A maçã possui muitos antioxidantes que combatem os radicais livres e protegem todas as células do corpo contra inúmeros agentes que causam doenças e o envelhecimento precoce. Suas propriedades antioxidantes blindam nosso coração e previnem certos tipos de câncer, como o de cólon e mama.

3. Protege a voz e a garganta

Como a maçã é rica em taninos e flavonoides, fitonutrientes que, entre diversas ações, atuam como adstringente, a fruta auxilia na limpeza da boca e faringe. E acaba por contribuir com a saúde da voz.

4. Fortalece o sistema imunológico

O responsável por isso é a quercitina, antioxidante que apresenta uma importante ação anti-inflamatória, além de contribuir para eliminar os radicais livres do organismo.

5. Ajuda o sistema digestivo

Por conta das boas quantidades de pectina, taninos, ácido málico e flavonoides, presentes na maçã, essas substâncias contribuem no alívio dos problemas no sistema digestivo, como diarreia, constipação intestinal, entre outros. Nesse caso, o indicado é consumir a maçã assada ou cozida, e até mesmo o chá de maçã.

6. Previne o derrame cerebral

Foi o que apontou um estudo da Universidade de Wageningen, na Holanda. Ao longo de dez anos, os pesquisadores acompanharam grupos de pessoas entre 20 e 65 anos. A conclusão da pesquisa apontou que aqueles indivíduos que consumiam alimentos de polpa branca, como a maçã, tinham 52% menos chances de desenvolver um AVC. Tudo isso por conta da alta concentração de fibras e vitaminas B, C e E.

7. Combate à anemia

Por ser rica em ferro, a maçã pode ser uma aliada para quem estiver passando por problemas de anemia. Além disso, a fruta também apresenta boas quantidades de vitamina C, elemento essencial para a boa absorção do ferro no organismo.

8. Dentes fortes e cérebro saudável

A maçã também pode ajudar nesses dois quesitos. Isso porque a fruta é rica em fósforo, mineral essencial para a estrutura óssea do corpo, assim como para o sistema nervoso.

9. Aliada do emagrecimento

As fibras encontradas na casca da maçã podem ajudar também a aumentar a sensação de saciedade, o que reduz as chances de ingerir alimentos em maior quantidade e, como consequência, contribui para o processo de perda de peso – se estiver seguindo uma boa dieta.

10. Alivia gastrite e úlceras

A quercitina (presente na maçã), ao formar um gel que protege a mucosa intestinal, torna-se uma boa aliada no processo de gastrite e úlceras gástricas.

Primavera: um convite à prática de atividades físicas

Exercícios físicos propiciam diversos benefícios para a sua vida. Portanto, aproveite o espírito de renovação da primavera, inspire-se e mexa-se! Experimente usar pequenos truques que modificam sua rotina de treinamento e ajudam a aumentar o pique:

- Tenha objetivos claros: saiba por que está malhando, ou seja, se deseja emagrecer, melhorar a saúde e a qualidade de vida, por exemplo. O importante é estar consciente de seus objetivos;

- Estabeleça metas a serem atingidas: planeje coisas que realmente estão ao seu alcance. Tente estipular pequenas metas que ajudam a manter e até a aumentar seu interesse pelos exercícios;

- Conheça novos aparelhos: procure conhecer todos os aparelhos disponíveis na academia. Malhar sempre nos mesmos equipamentos acaba desmotivando;

- Faça avaliações físicas regularmente: um teste sério e completo ajuda você a notar melhor sua evolução. Descobrir os resultados de seu esforço aumenta a vontade de malhar;

- Experimente fazer aulas variadas: os circuitos ( aula de ginástica localizada com exercícios aeróbicos) normalmente são mais dinâmicos, animando bastante e espantando o tédio;

- Tente unir esporte e malhação: encare a academia como um treinamento, em que você melhora, e muito, seu condicionamento físico para desenvolver melhor suas qualidades de atleta;

- Converse sempre com seu instrutor: ninguém consegue malhar por muito tempo se fizer algo de que não goste. Por isso, conte ao seu instrutor o que lhe interessa.

Mil e um motivos para consumir kefir

O kefir ou quefir é uma colônia de microrganismos simbióticos imersa numa matriz composta de polissacarídeos e proteínas, ou seja, uma colônia de lactobacilos e fungos que podem ser encontrados na natureza.

Trata-se de um alimento muito nutritivo e com grandes propriedades e benefícios para a saúde. A sua dupla fermentação – láctica e alcoólica- confere-lhe as características organolépticas que o distinguem do iogurte. A sua textura é espessa e o seu sabor ligeiramente ácido.

Inúmeros benefícios: 

É um alimento facilmente digerível e uma rica fonte de proteínas e cálcio, que pode ser incluído na dieta diária de qualquer pessoa. Em linhas gerais, promove uma purificação orgânica que auxilia a saúde e, consequentemente, a longevidade.

Kefir também é rico em vitamina B12, B1 e vitamina K. É uma fonte excelente de biotina, a vitamina B que aumenta a assimilação das outras vitaminas do complexo B. Seus grãos têm propriedades antitumorais, antibacterianas e antifúngicas e seu consumo diário produz bons efeitos em convalescença após doenças graves.

A bebida é preparada com a colocação dos grãos de quefir no leite. Após a fermentação, os grãos são retirados podendo ser reaproveitados para a produção de mais fermentados. O leite fermentado tem sabor ácido suave, é espumoso e de baixo teor alcoólico. Para quem gosta do sabor um tanto ácido, embora levemente adocicado, o kefir pode ser bebido simples, ao natural.

Quem não aprecia a acidez pode juntar um pouco de mel. É também muito saboroso misturado com sumos de fruta ou em batidos de frutas.

Como fazer o Kefir em casa:

Você pode comprar grãos de kefir em lojas de alimentos saudáveis e supermercados. Coloque 1-2 colheres de sopa de grãos de kefir em um pequeno frasco.

Em seguida, adicione cerca de 2 xícaras de leite, de preferência orgânico. O leite de vaca é mais saudável. Deixar uma polegada de espaço na parte superior do frasco. Pode adicionar um pouco de creme gordo se quiser que o kefir seja mais espesso. Coloque a tampa e deixe por 12-36 horas, à temperatura ambiente.

Então, suavemente, retire os grãos do líquido e coloque-os em um novo frasco com um pouco de leite, para que você possa usar novamente. Delicioso, nutritivo e altamente sustentável!

1- Problemas estomacais: O kefir ajuda a reduzir a acidez estomacal em excesso, sendo, portanto, um ótimo alimento para pessoas com problemas de gastrite, úlcera e refluxo, entre outros.

2- Problemas hepáticos: Tem uma importante função referente ao controle de produção da bílis pelo fígado, sendo indicado como coadjuvante nos casos de hepatite.

3- Problemas intestinais: Suas leveduras, bactérias amigas e lactobacilos ajudam a enfrentar e suavizar as crises de colite em suas diversas formas, como também outras patologias relacionadas ao cólon e ao ataque às bactérias nocivas presentes no intestino. Poderoso aliado no combate à diarreia, constipação intestinal e inflamações.

4- Problemas articulares: A presença do cálcio na composição do kefir ajuda no combate a osteopenia, osteoporose e reumatismo.

5- Problemas respiratórios: Mais uma propriedade importante do kefir está ligada à melhora nas crises de asma, bronquite e tuberculose.

6- Fortalecimento do sistema imunológico: As alergias, candidíase e outras doenças oportunistas relacionadas ao sistema imunológico em desequilíbrio serão tratados com o uso do kefir.

7- Problemas emocionais: A presença do triptofano estimula o cérebro na produção de endorfinas e serotonina, ajudando nos casos de depressão e ansiedade.

8- Problemas dermatológicos: O kefir ajuda a manter a pele, cabelo e unhas saudáveis.

9- Problemas circulatórios: Estimula a circulação, favorecendo o bom funcionamento do coração, regulando a pressão arterial e ajudando no combate ao colesterol ruim.

10- Benefícios musculares: Rico em proteínas, que são os agentes fundamentais na construção muscular, também ajuda a potencializar a absorção de glicose pelas células musculares, o que promove grande ajuda no rendimento físico.

11- Ajuda a emagrecer: É um aliado importante no combate aos quilos adicionais.

Salada no inverno: receitas nutritivas

Nos dias frios, muita gente dispensa a salada, alegando que esse prato só combina com os dias mais quentes. Mas além de saudáveis, há vários tipos de saladas que podem ser muito bem apreciadas durante o inverno. Selecionamos duas receitas deliciosas:

Salada de atum com feijão branco:

Ingredientes (serve 4 pessoas)

  • 1 cabeça de alho
  • 1/4 de xícara de azeite de oliva extravirgem
  • 2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
  • 1 e 1/2 colher de sopa de suco de limão
  • 4 filés de anchova em conserva (sem o óleo)
  • Pimenta-do-reino moída na hora a gosto
  • 1 lata de feijão branco cozido escorrido
  • 5 xícaras de alface romana picada
  • 5 fatias de tomate seco picadas
  • 2 colheres de sopa de cheiro verde picado
  • 1 lata de atum (sem o óleo)

Preparo

1. Preaqueça o forno a 200 graus, deixando uma grelha no meio. Enquanto isso, corte a cabeça do alho ao meio, na horizontal, e embrulhe cada metade em um pedaço de papel-manteiga. Leve ao forno e asse por 30 minutos, ou até ficar bem macio. Retire do forno com cuidado, descasque os dentes e bata em um processador até formar uma pasta (ou amasse com um garfo). Disponha para uma tigela e e acrescente o azeite, o parmesão, o suco de limão, as anchovas e 1/2 colher de chá de pimenta. Mexa bem até formar um molho cremoso.
2. Misture os feijões com a alface, 3 colheres de sopa do molho de alho, o cheiro verde e 1/2 colher de chá de pimenta. Divida em quatro pratos diferentes, cobrindo a salada com o atum. Coloque o restante do molho por cima e sirva em seguida.

Salada de Huevos Rancheros:

Ingredientes (serve 4 pessoas)

  • 1 lata de feijão preto cozido escorrido
  • 3 colheres de sopa de coentro picado grosseiramente
  • 2 e 1/2 colheres de sopa de suco de limão
  • 1 colher de sopa de pimenta chipotle (ou molho de pimenta vermelha)
  • 1/2 colher de chá de cominho
  • 1 dente de alho picado
  • 1 pitada de sal
  • 1 abacate maduro
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva extravirgem
  • 4 ovos grandes
  • 1 xícara de rúcula
  • 1/2 xícara de salsa verde mexicana

Preparo

1. Com um garfo, amasse em uma tigela os feijões com um pouco de coentro, 1 e 1/2 colher de sopa de suco de limão, o chipotle, o cominho, o alho e 1/4 de colher de chá de sal. Corte o abacate ao meio, remova a semente e remova a polpa cuidadosamente com o auxílio de uma colher. Depois corte em fatias e coloque 1 colher de sopa de suco de limão e a pitada de sal.
2. Em uma panela antiaderente, aqueça um pouco de azeite em temperatura média. Quebre os ovos e frite-os até cozinhar a clara. O ideal é que a gema fique mole (se não gostar, pode fritar mais). Divida a mistura de feijão em quatro pratos, cubra com a rúcola, o abacate, a salsa verde e os ovos. Sirva com o Pão tipo Sueco.

APLV: alternativas para a fase de amamentação

A sigla APLV refere-se à alergia à proteína do leite de vaca. Assim como outras alergias alimentares, ela ocorre quando o sistema imunológico reage a proteínas presentes nos alimentos por considerá-las elementos estranhos. O organismo inicia a produção de células inflamatórias e/ou anticorpos específicos (IgE) para combater as moléculas invasoras, desencadeando um processo alérgico.

Entre os principais sinais desse tipo de alergia estão aqueles de ordem digestiva, a exemplo de falta de apetite, vômitos, diarreia e sangue nas fezes. Outros sintomas comuns são os cutâneos, que incluem urticária (placas vermelhas na pele), dermatite atópica, coceira e inchaço. Vale lembrar também dos problemas respiratórios que os pequenos alérgicos à proteína do leite de vaca costumam apresentar – entre eles estão chiado no peito, pneumonia e tosse.

Não há um medicamento específico que trate a APLV. A principal forma de aliviar os sintomas é seguir uma dieta livre dos itens que provocam a alergia. A boa notícia é que a maior parte dos casos tende a desaparecer até os 5 anos de idade.

Além de conhecer os derivados do leite, pais e mães de pequenos com essa alergia devem estar atentos a substâncias com nomes muitas vezes complicados e que contêm a proteína do leite de vaca. De acordo com a SBP, algumas das principais são: alfacaseína, betacaseína, caseinato, alfalactoalbumina, betalactoglobulina, alfalactoglobulina, aroma de queijo, lactulose e lactose presente em medicamentos.

Alternativas às mães que amamentam:

No blog de Katia Ouang (minhasdikas.com), a Nutricionista Mariana Del Bosco escreveu sobre  a Alergia a Proteína do Leite de Vaca. Dentre outras informações, a profissional em questão apresenta alternativas às mães que amamentam, oferecendo dicas importantes a respeito dos cuidados em relação à alimentação, para não prejudicar o bebê.

“É bem difícil seguir a dieta isenta de alimentos que contêm as proteínas do leite. O leite está amplamente distribuído em preparações culinárias e nos alimentos industrializados, sendo assim, além de cortar o leite e seus derivados da dieta é preciso cozinhar de forma segura e checar a rotulagem de todos os alimentos industrializados.

O sanduíche vai ser bem diferente do habitual.  A começar pelo pão. Não há garantias que o pão da padaria não tenha sido contaminado com algum produto com leite. Já houve caso de padaria que usa leite em pó na receita para que o pão fique mais macio. Pães industrializados, por serem processados em equipamentos que tem contato com lácteos, podem conter traços de leite. Cheque nos SACs das empresas, quais pães são seguros para consumo. Na wickbold, o pão australiano está liberado, assim como toda a linha Pinheirense. Sugiro adquirir a máquina de pão para fazer receitas absolutamente seguras, saudáveis e deliciosas.”

Por não serem industrializados, os pães PInheirense são indicados em casos de APLV.

Leia a matéria completa em: http://www.minhasdikas.com/2013/03/coluna-da-mari-aplv.html