Água engarrafada nem sempre é mineral

Água é vida! Mesmo sendo indispensável para todas as funções do nosso corpo, sua relevância para a saúde, assim como a sua potabilidade, nem sempre são consideradas. Talvez, você não esteja a par de alguns fatos sobre a água engarrafada (aquela comercializada em cada esquina). E mesmo que já tenha conhecimento acerca das informações a seguir, vale a pena relembrá-las:

- Estima-se que 25% da água engarrafada seja, na realidade, água de torneira filtrada;

- Água mineral é frequentemente rica em sódio;

- Diferentemente do sistema de abastecimento de água municipal, a água engarrafada pode não conter flúor suficiente para proteger contra as cáries;

- Não é uma boa ideia reutilizar garrafas plásticas de água. Lavá-las e reusá-las muitas vezes acelera o processo de quebra do plástico, aumentando a exposição a substâncias químicas potencialmente prejudiciais;

- Verifique a data de engarrafamento e a data de validade para descobrir quão fresca é a água. Normalmente, a água engarrafada contém um menor número de bactérias prejudiciais. Mas, se a água for armazenada por períodos longos em temperatura ambiente, as bactérias podem proliferar rapidamente. O melhor a fazer é armazenar a água em locais refrigerados;

- Recipientes abertos de água engarrafada devem ser refrigerados, caso bactérias potencialmente prejudiciais tenham entrado neles.

Infecção urinária: causas e prevenção

Grande parte das infecções do trato urinário (ITU), também conhecidas como cistite, afeta a bexiga, podendo, ainda, atingir os rins, os ureteres e a uretra. Os sintomas mais frequentes são: necessidade urgente de urinar, mesmo quando a bexiga não está cheia; dor e ardência ao urinar; dor na região lombar inferior, febre, além de sangramento ( nos casos mais graves).

A maioria das infecções urinárias é provocada pela bactéria E. coli, organismo que vive no trato intestinal, mas que pode se alojar na bexiga. A clamídia, um organismo transmitido sexualmente, também pode ser responsável pelas ITU.

Possíveis causas da infecção urinária:

Obesidade: as dobrinhas em várias partes do corpo, que resultam do excesso de peso, podem dificultar uma higienização eficaz da região genital após urinar, facilitando a proliferação de bactérias.

“Prender” o xixi: Urinar funciona como uma lavagem contínua da bexiga. O hábito de “segurar” o xixi aumenta os riscos de infecção, pois a bexiga ficará mais exposta à proliferação de bactérias. Também é indicado urinar antes e após a relação sexual, quando as chances de infecção também aumentam.

Diabete: qualquer doença que comprometa as defesas do organismo irá facilitar a infecção urinária. Também é bom tomar cuidado com medicamentos fortes e com o excesso de atividade física.

Constipação: A bactéria Escherichia coli  é a causadora da maioria dos episódios de cistite. No intestino, onde vive, não causa problemas, mas ao se infiltrar na área da vagina, começa a competir com outros micro-organismos, ocasionando a infecção.

Camisinha: Os espermicidas – substâncias responsáveis por matar os espermatozoides – modificam a flora vaginal, deixando as mulheres mais suscetíveis à ação maléfica das bactérias. Portanto, o ideal é usar camisinhas sem o tal espermicida ou que tenham a substância na parte interna, para o gel ficar em contato apenas com o pênis.

Táticas preventivas:

- evite duchas e desodorantes íntimos, que podem irritar a bexiga;

- se usar diafragma, peça para seu médico indicar o tamanho certo. Um diafragma um pouco acima do tamanho adequado pode irritar a uretra e a bexiga;

- urine e tome um copo de água antes do ato sexual, e urine no máximo uma hora depois para limpar o trato urinário;

Dieta para sinusite

Embora a nutrição não aja diretamente sobre a sinusite, algumas medidas alimentares podem ajudar bastante. Alguns pacientes com sinusite crônica dizem obter melhora após banirem laticínios de sua alimentação. As pessoas que desejarem experimentar essa abordagem devem consultar o médico, para saber se serão necessários suplementos ou um aumento de ingestão de alimentos ricos em cálcio, mas que não sejam derivados do leite.

Líquidos podem ajudar a diluir a secreção e estimular a drenagem: beba oito a dez copos de água, suco, chá ou sopa por dia;

Consuma muitas frutas, verduras e legumes frescos para obter vitamina C: frutas cítricas (além de seus sucos), uva e amora preta são úteis, já que também possuem bioflavonóides, pigmentos vegetais com propriedades antiinflamatórias. A vitamina E traz benefícios antiinflamatórios. O zinco também é importante para estimular o funcionamento imunológico e pode ter propriedades antiinflamatórias. Alimentos ricos em zinco são frutos do mar, carne, aves, leite, iogurte, feijão, nozes, sementes e grãos integrais.

Alguns alimentos são descongestionantes nasais naturais: entre eles estão alho, cebola, pimenta e raiz-forte. Ervas e temperos descongestionantes incluem gengibre, tomilho, cominho, cravo e canela.

Para alívio rápido, inale vapor ou cubra o rosto com toalhas quentes e úmidas, a fim de promover a drenagem e aumentar o fluxo sanguíneo na área. Chá quente ajuda a reduzir a congestão, pois contém teofilina, um composto que facilita a respiração, já que relaxa os músculos lisos das paredes do trato respiratório.

Dias chuvosos: cuidados essenciais para dirigir com segurança

Em períodos chuvosos, a atenção dos motoristas deve ser redobrada. Vale, portanto, anotar algumas dicas para que seu veículo esteja em perfeito equilíbrio dinâmico na hora de pegar a estrada.

Começando pelos pneus, é crucial que eles estejam em bom estado, com as ranhuras profundas e bem definidas, além, é claro, de estarem sempre calibrados conforme a especificação do fabricante. O mesmo vale para o estepe. As rodas também devem estar alinhadas e balanceadas, para que o veículo aproveite ao máximo – e sem vibrações – o potencial de aderência dos pneus.

Observados estes procedimentos, é hora de verificar a cambagem e o caster de cada uma das rodas.

Camber é o ângulo vertical da roda quando o carro é observado pela frente ou por trás. Se a base das rodas estiver projetada para fora, o carro terá mais aderência para percorrer curvas e menos aderência para acelerar ou frear em linha reta. Se, por outro lado, os pneus estiverem perfeitamente perpendiculares ao piso, então o carro terá muita aderência para acelerações e frenagens, mas deverá se mostrar escorregadio em curvas. Aqui, mais uma vez o ideal é seguir a recomendação do fabricante, que para a maioria dos carros gira em torno de 1º de inclinação externa.

Já o caster se mede pela inclinação para frente ou para trás da linha central do pivô de sustentação da roda. Sua aferição rotineira é importante, porque ao subir em calçadas ou colher buracos em estradas, as rodas – principalmente as dianteiras – podem sofrer pequenos recuos, alterando negativamente o comportamento do carro. Se uma roda estiver mais recuada que a outra, a direção do veículo irá puxar para o lado mais recuado. E mesmo que as duas rodas estejam igualmente recuadas, ainda assim o carro irá perder estabilidade e sensibilidade.

Com estas questões resolvidas, vale observar também a distribuição de peso dentro do automóvel. Se possível, distribua os passageiros de maneira que um lado do carro não fique muito mais pesado que o outro. A distribuição da bagagem também pode ajudar nessa tarefa, e é sempre conveniente que as malas mais pesadas sejam colocadas ao fundo do porta-malas, próximas ao banco traseiro. Assim garante-se um comportamento mais neutro por parte do veículo quando percorrendo curvas acentuadas.

Por fim, tenha a certeza de que seu carro está freando de forma similar em todas as quatro rodas (experimente frear levemente numa linha reta e sem inclinações, para ver se ele guina ou puxa para algum dos lados), e jamais dirija próximo a outros veículos. Esteja atento a manchas de óleo ou à presença de lama na pista, avisando sempre a quem vem no sentido contrário, e às autoridades competentes sobre os riscos encontrados.

Seguindo estas medidas simples, e observando o estado de molas e amortecedores, você estará no caminho certo para curtir este e muitos outros feriados.

Pão artesanal: nozes e passas

O Pão Integral de nozes e passas da Pinheirense é ideal para quem valoriza uma alimentação saudável e saborosa. Nossos pães são artesanais e isentos de conservantes. Seu paladar e sua saúde agradecem!

Confira os benefícios das nozes e da uva-passa para a saúde:

Nozes: Ricas em vitamina E e potássio.

A maioria é rica em minerais, incluindo cálcio, ferro, manganês e zinco.

Boa fonte de ácido fólico, niacina e outras vitaminas do complexo B, e de proteína.

Uva-passa: Rica em pectina e bioflavonóides.

Contém fitoquímicos que podem diminuir os riscos de doenças do coração, câncer e derrames.

Lanche ou sobremesa doces e pouco calóricas.

Não abandone a atividade física nas férias

Antes de abandonar os exercícios por falta de entusiasmo, experimente usar pequenos truques que modificam sua rotina de treinamento e ajudam a aumentar seu pique:

- Tenha objetivos claros: saiba por que está malhando, ou seja, se deseja emagrecer, melhorar a saúde e a qualidade de vida, por exemplo. O importante é estar consciente de seus objetivos;

- Estabeleça metas a serem atingidas: planeje coisas que realmente estão ao seu alcance. Tente estipular pequenas metas que ajudam a manter e até a aumentar seu interesse pelos exercícios;

- Conheça novos aparelhos: procure conhecer todos os aparelhos disponíveis na academia. Malhar sempre nos mesmos equipamentos acaba desmotivando;

- Faça avaliações físicas regularmente: um teste sério e completo ajuda você a notar melhor sua evolução. Descobrir os resultados de seu esforço aumenta a vontade de malhar;

- Experimente fazer aulas variadas: os circuitos ( aula de ginástica localizada com exercícios aeróbicos) normalmente são mais dinâmicos, animando bastante e espantando o tédio;

- Tente unir esporte e malhação: encare a academia como um treinamento, em que você melhora, e muito, seu condicionamento físico para desenvolver melhor suas qualidades de atleta;

- Converse sempre com seu instrutor: ninguém consegue malhar por muito tempo se fizer algo de que não goste. Por isso, conte ao seu instrutor o que lhe interessa.

Afaste os insetos da sua cozinha

Não é necessário fazer uso do inseticida ou de armadilhas para deixar a cozinha livre das formigas. O segredo: limão.

Primeiro, esprema um pouco de suco de limão na soleira das portas e nos peitoris das janelas. Em seguida, coloque o suco em todos os buracos e rachaduras para onde se dirigem as formigas.

Por último, espalhe algumas pequenas fatias de casca de limão em volta da porta de entrada. As formigas entenderão a mensagem de que não são bem-vindas.

Os limões também funcionam contra baratas e pulgas: junte o suco de 4 limões (com a casca) e 2 litros de água, e lave o chão com essa mistura; pulgas e baratas odeiam o cheiro de limão.

Leguminosas: campeãs de nutrição

As leguminosas estão entre os alimentos vegetais mais nutritivos – ricos em proteínas, vitaminas do complexo B, ferro, potássio e outros minerais. Elas fornecem grandes quantidades de fibras, inclusive as solúveis, importantes no controle dos níveis de colesterol no sangue.

Feijões, feijões e mais feijões:

Existem centenas de variedades de feijões. Confira as mais populares:

Feijão-preto: muito usado em sopas e feijoadas.

Feijão-roxinho: bom para saladas, sopas e como acompanhamento.

Feijão-fradinho: também conhecido como feijão-macassar ou feijão-de-corda: usado no preparo de acarajé.

Feijão-mulatinho: bom como acompanhamento, embora em algumas regiões seja mais usado para feijoada.

Feijão-branco: usado em sopas e saladas, também cai super bem em cozidos.

Feijão-jalo: ótimo para sopas e saladas.

Feijão-rosinha: usado como acompanhamento.

Feijão-rajadinho ou feijão-verde: usado como acompanhamento.

Soja: muito nutritiva, deu origem a diversos produtos amplamente consumidos, como o coalho, o leite de soja e a farinha.

As leguminosas mais ricas em ferro:

1. Feijões: ricos em ferro, cálcio, magnésio, fibras, vitaminas do complexo B e proteínas.

2. Soja: fornece proteínas, fibras, vitamina K, cálcio, ferro, fósforo, magnésio, zinco.

3. Grão-de-bico: fonte de proteínas, fibras, minerais como ferro, cálcio, magnésio, fósforo, potássio e vitaminas do complexo B.

4. Lentilha: contém fibras solúveis e insolúveis, proteínas, magnésio, ferro, vitaminas do complexo B.

5. Amendoim: ferro, zinco e potássio são alguns dos sais minerais presentes nessa leguminosa, assim como vitaminas do complexo B.

6. Tremoços: tem um alto teor proteico além de conter fósforo, ferro, potássio, cálcio e vitaminas E e B.

7. Ervilha: grande quantidade de vitaminas do complexo B, de fibras e de minerais como fósforo, ferro, potássio e zinco.

Aliados contra o câncer

É muito comum que pessoas com câncer percam peso. O tratamento dessa doença, principalmente a radioterapia e a quimioterapia, costumam afetar o apetite, além de provocarem náusea e outros efeitos colaterais. A cirurgia também pode influenciar, fazendo com que os pacientes percam a vontade de comer. Sendo assim, um bom nutricionista deve elaborar uma dieta ou recomendar o uso de suplementos.

Alguns alimentos são, comprovadamente, aliados no combate ao câncer:

-Maçãs, frutas silvestres, brócolis e outras verduras crucíferas, além de frutas cítricas contêm flavonoides, que atuam como antioxidantes, e ajudam a prevenir danos ao DNA das células.

-Tomates: contêm licopeno, que, segundo alguns estudos, protege contra o câncer de próstata.

-Cebola e alho: contêm compostos de enxofre que podem estimular as defesas naturais contra o câncer, além de ajudar a controlar o desenvolvimento do tumor. Os estudos sugerem que o alho pode ajudar a reduzir em até doze vezes a incidência de câncer de estômago.

-Chá verde: contém EGCG ( galato de epigalocatequina), uma catequina que pode ajudar a combater o câncer de três modos: ajuda a reduzir a formação de carcinógenos no corpo, aumenta as defesas naturais do organismo, e elimina o desenvolvimento do câncer.

-Castanha-de-caju, frutos do mar, algumas carnes e peixes, pão, trigo e arroz integral, germe de trigo e aveia: são as melhores fontes de selênio, uma arma poderosa contra o câncer. Alimentos à base de plantas, principalmente o trigo, são os grandes responsáveis por suprir o selênio na nossa alimentação.

Dicas de conservação dos pães Pinheirense

A Pinheirense produz, artesanalmente, deliciosos pães integrais de forma e Tipo Sueco. Devido ao fato de não utilizarmos produtos químicos e conservantes, a validade de nossos produtos, comparada a dos pães industrializados, é menor. A seguir, disponibilizamos algumas dicas de conservação dos Pães Pinheirense:

Pão tipo Sueco:

Para conservá-lo sempre fresco, guardá-lo em vasilha de vidro devidamente fechada.

Pão Integral:

Até quatro dias: guardá-lo em lugar fresco;

a partir do quinto dia: guardar na geladeira por até 10 dias;

após dez dias: conservá-lo no congelador.