Casamento engorda?

Determinadas perguntas, pelo simples fato de serem feitas com enorme frequência, acabam trazendo em si próprias as respostas que as satisfazem. É certamente o caso do questionamento que dá título a este post. Afinal, se tantas pessoas se perguntam a este respeito, então é sinal de que sim, existe alguma relação entre o matrimônio e o ponteiro da balança.

Mas como sempre é bom respaldar o óbvio com a devida comprovação científica, várias pesquisas foram, sim, levadas a cabo com esta finalidade. E, ainda que haja exceções pontuais, os resultados estatísticos gerais sempre apontam na mesma direção: recém-casados têm ao menos o dobro de chance de engordar, quando comparados a pessoas solteiras de mesma idade.

As razões para isso são as mais óbvias, ainda que possam variar de casal para casal. Por exemplo: casais que ainda não sabem cozinhar tendem a comer muito na rua. E aí, em meio a tantas opções, nem sempre as escolhas mais saudáveis acabam prevalecendo. Por sua vez, cônjuges que sabem cozinhar geralmente tentam agradar um ao outro através dos dotes culinários, e os abusos tornam a acontecer. Um problema que, não raramente, é passado também para os filhos.

O principal fator de engorda, no entanto, tem origens menos nobres, e é difícil de ser capturado em estatísticas. Simplesmente, para a maioria das pessoas que se casa, o ganho de peso nada mais é que uma consequência da própria segurança conjugal. Tanto assim que estas mesmas pessoas, quando eventualmente se separam e mais uma vez sentem a necessidade de estarem atraentes, na maioria das vezes conseguem perder peso rapidamente.

Mal comparando, é uma situação parecida com a que gera um enorme aumento na frequência das academias às vésperas do verão. Para este grande contingente de “atletas da primavera”, o cuidado com a saúde e a estética não são exatamente a manifestação de uma filosofia de vida, mas uma série de sacrifícios a serem feitos em nome de uma motivação maior e temporária. Da mesma forma, tantas pessoas competentes o bastante para serem aprovadas em difíceis concursos seletivos, muitas vezes acabam perdendo a motivação no trabalho justamente em função da estabilidade que tanto perseguiram.

O grande desafio, portanto, passa a ser o de encontrar estímulo em meio à segurança. Cuidar da saúde e do corpo, sim, primeiro porque não há nada melhor a se fazer. E depois porque, dentro da lógica conjugal, cuidar de si mesmo é também cuidar do outro.

Claro que investir numa alimentação saudável, leve e natural ajuda muito nesse processo. Optar por alimentos integrais e sem conservantes, de qualidade conhecida, tanto quanto desenvolver o hábito de fazer exercícios a dois, é passo importante na construção de uma rotina saudável e sustentável, fundamental para um relacionamento longo e para o bom desenvolvimento dos filhos. Além, é claro, de serem formas muito mais concretas e úteis de se demonstrar o verdadeiro amor.

Afinal, quem ama de verdade, não apenas cuida do outro, mas também de si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *